honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Causas da hepatite

Por

Anna E. Rutherford

, MD, MPH, Harvard Medical School

Última modificação do conteúdo jan 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Hepatite é uma inflamação do fígado caracterizada por necrose difusa ou irregular.

A hepatite pode ser aguda ou crônica (geralmente definida como duração de > 6 meses). A maioria dos casos de hepatite viral grave desaparece espontaneamente, mas alguns progridem para hepatite crônica.

Causas comuns

Causas comuns da hepatite incluem

Pelo menos 5 vírus específicos parecem causar hepatites (ver tabela Características das hepatites). Outros vírus ainda não identificados provavelmente também causam hepatite viral aguda.

Causas menos comuns

Causas menos comum da hepatite incluem outras infecções virais (p. ex., mononucleose infecciosa, febre amarela, infecção por citomegalovírus) e leptospirose.

Infecções parasitárias (p. ex., esquistossomose, malária e amebíase), infecções piogênicas e abscessos que afetam o fígado não são considerados hepatite. O comprometimento hepático pela tuberculose e outras granulomatoses infiltrativas costuma ser chamado de hepatite granulomatosa, mas as características clínicas, bioquímicas e histológicas diferem daquelas do comprometimento hepático difuso da hepatite causada por vírus, álcool e drogas.

Várias infecções sistêmicas e outras doenças podem produzir inflamações hepáticas ou necrose em pequenas áreas focais. Essa hepatite reativa não específica pode causar pequenas alterações das funções hepáticas, mas geralmente é assintomática.

Alguns tipos de inflamação hepática infecciosa e não infecciosa estão resumidos na tabela Algumas infecções com comprometimento hepático.

Tabela
icon

Algumas infecções com comprometimento hepático

Doença ou organismo

Manifestações

Vírus

Em neonatos: hepatomegalia, icterícia, defeitos congênitos

Em adultos: doença semelhante à mononucleose com hepatite; pode ser pós-transfusional

Infecções pelo vírus Epstein-Barr

Hepatite clínica com icterícia em 5–10%; acometimento hepático subclínico em 90–95%

Hepatite aguda, às vezes grave, em adultos jovens

Icterícia, toxemia sistêmica, sangramento

Necrose hepática com reação inflamatória leve

Outros

Infecção hepática ocasionalmente decorrente de infecçõs por ecovírus, coxsackie, herpes simples ou varicela; roséola; ou rubéola

Bactérias

Reação granulomatosa do fígado com abscessos necrosantes progressivos

Abscesso piogênico*

Infecção grave adquirida por meio de piemia portal, colangite, ou disseminação hematogênica ou direta; decorrente de vários organismos, principalmente Gram-negativos e anaeróbios

Enfermidade e toxicidade, ainda que apenas com disfunção hepática leve

Envolvimento hepático (comum; em geral, subclínico) com infiltração granulomatosa; icterícia (rara)

Fosfatase alcalina desproporcionalmente elevada

Outros

Hepatite focal discreta em diversas infecções sistêmicas (comum; geralmente subclínica)

Fungos

Granulomas no fígado e no baço (geralmente subclínicos) que se calcificam quando curados

Outros

Infiltração granulomatosa algumas vezes em criptococose, coccidioidomicose, blastomicose ou outras infecções

Protozoários

Doença importante, frequentemente sem disenteria óbvia

Geralmente, grande abscesso único com liquefação

Enfermidade sistêmica, hepatomegalia dolorosa, disfunção hepática surpreendentemente leve

Uma causa comum de hepatosplenomegalia em áreas endêmicas

Icterícia ausente ou leve, a menos que haja hemólise ativa

Infecção transplacentária

Em neonatos: icterícia, manifestações no sistema nervoso central e outras manifestações sistêmicas

Infiltração do sistema reticuloendotelial pelo parasita, hepatoesplenomegalia

Helmintos

Obstrução biliar por vermes adultos, granulomas de parênquima causados pelas formas larvais

Infestação do trato biliar, colangite, litíase, colangiocarcinoma

Um ou mais cistos hidáticos, geralmente com bordas calcificadas e que podem ser grandes, mas geralmentesão assintomáticos e não prejudicam a função hepática

Podem romper-se no peritônio ou na árvore biliar

Aguda: hepatomegalia dolorosa, febre, eosinofilia

Crônica: fibrose biliar, colangite

Granulomas periportais como reação aos ovos, com hepatoesplenomegalia progressiva, fibrose em cachimbo, hipertensão portal e varizes

Função hepatocelular preservada; cirrose não verdadeira

Síndrome visceral da larva migrans

Hepatomegalia com granulomas, eosinofilia

Espiroquetas

Febre aguda, prostração, icterícia, sangramento, lesão renal

Necrose hepática (geralmente leve, apesar da icterícia intensa)

Congênita: hepatoesplenomegalia neonatal, fibrose

Adquirida: hepatite em estágio secundário, gomas com cicatrização irregular na fase terciária

Infecção por Borrelia

Sintomas sistêmicos, hepatomegalia, às vezes, icterícia

Desconhecido

Inflamação granulomatosa crônica ativa de causa desconhecida (variante sarcoide?)

Pode causar sintomas sistêmicos (p. ex., febre, mal-estar) e pode ocorrer quando alguns fármacos são usadas

Infiltração granulomatosa (comum, geralmente subclínica); icterícia rara

Inflamação progressiva ocasional, com formação de cicatrizes e hipertensão portal

O espectro do comprometimento hepático, principalmente na colite ulcerativa abrange a inflamação periportal (pericolangite), a colangite esclerosante, o colangiocarcinoma e a hepatite autoimune

Baixa correlação entre função hepática e atividade do distúrbio intestinal

*Diferenciar de amebíase com testes sorológicos para ameba e aspiração percutânea direta do abscesso.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS