honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Considerações gerais sobre transtornos por uso de substâncias

Por

Coreen B. Domingo

, DrPH, Baylor College of Medicine;


Xuefeng Zhang

, Baylor College of Medicine

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os medicamentos e as drogas são um componente essencial da vida cotidiana de muitas pessoas, independentemente de serem usados para finalidades médicas legítimas ou de modo recreativo (consulte a tabela Drogas de uso médico e uso recreativo).

Os transtornos por uso de substâncias podem surgir quando as drogas que ativam diretamente o sistema de recompensa do cérebro são tomadas com o fim de sentir o prazer que elas causam. As sensações de prazer variam de acordo com a droga. As drogas são divididas em dez classes, tomando por base os efeitos variados que elas produzem no organismo:

Um transtorno por uso de substâncias pode surgir independentemente de uma droga ser ou não permitida por lei, ser socialmente aceitável ou ser aceita para uso médico (com ou sem receita). Informações sobre drogas específicas e seus efeitos estão descritas em outras seções do Manual.

Tabela
icon

Drugs With Medical and Recreational Uses

Medicamento

Uso médico

para tratar ansiedade e insônia

para causar dormência de superfícies do corpo (como anestésico tópico)

para proporcionar anestesia

Para tratar náusea causada por câncer avançado e alguns tipos de convulsões infantis

para aliviar a dor e proporcionar anestesia

Tipos de transtornos por uso de substâncias

De modo geral, os transtornos por uso de substâncias são divididos em dois grupos:

Os transtornos induzidos por substâncias são problemas causados pelos efeitos diretos de uma droga e incluem

  • Intoxicação

  • Abstinência

  • Transtornos mentais induzidos por substâncias

De modo geral, os transtornos por uso de substâncias envolvem padrões de comportamento em que as pessoas continuam a usar a substância apesar dos problemas causados pelo seu uso.

As drogas nas dez classes variam de acordo com a probabilidade de elas causarem ou não um transtorno por uso de substâncias. Essa probabilidade é chamada de efeito toxicomaníaco e depende de uma combinação de fatores, incluindo

  • Como a droga é usada

  • Em que grau as vias de recompensa do cérebro são estimuladas pela droga

  • Qual a velocidade de ação da droga

  • A capacidade da droga de induzir tolerância e/ou sintomas de abstinência

Definições

Os termos “vício”, “abuso” e “dependência” têm sido tradicionalmente usados para designar pessoas com transtornos por uso de substâncias. Contudo, a definição desses termos é demasiadamente ampla e variável para poder ser suficientemente útil, além de eles serem frequentemente usados com uma conotação pejorativa. Assim, os médicos atualmente preferem usar o termo mais abrangente e menos negativo “transtorno por uso de substâncias”.

O termo “narcótico” é usado com frequência nas discussões sobre substâncias controladas e uso de drogas. Esse termo diz respeito a drogas que causam a perda de sensibilidade, uma sensação de dormência e sonolência, especificamente os opioides (drogas que se ligam aos receptores de opiáceos nas células). No entanto, o termo “narcóticos” também é usado em um sentido mais amplo (e impreciso), para incluir toda droga que seja ilegal ou usada sem uma finalidade legítima.

Drogas classificadas

A Lei Abrangente de Controle e Prevenção Contra o Abuso de Drogas (ou Comprehensive Drug Abuse Prevention and Control Act), também chamada de Lei de Substâncias Controladas (Controlled Substances Act), foi decretada nos Estados Unidos em 1970 e foi alterada com o passar dos anos para regulamentar a fabricação e a distribuição de classes específicas de medicamentos ou substâncias controladas (consulte a tabela Alguns exemplos de substâncias controladas*).

As substâncias controladas são divididas em cinco tabelas de classificação (ou classes) tomando por base seu potencial de abuso, seu grau de aceitação para uso médico e seu grau de segurança quando são usadas sob supervisão médica. As drogas de Classe I são consideradas as mais nocivas e, portanto, são as mais rigidamente controladas. As drogas de Classe V são consideradas as menos nocivas e podem ser facilmente encontradas. As tabelas de classificação podem variar entre os governos federal e estadual (consulte também a tabela de classificação de drogas da agência de combate às drogas (Drug Enforcement Administration) dos EUA).

Tabela
icon

Some Examples of Controlled Substances*

Classe

Exemplos

I

II

Anfetaminas, barbitúricos (de curta duração), cocaína, hidrocodona (incluindo produtos combinados de hidrocodona), hidromorfona, metadona, metilfenidato, morfina e outros agonistas de opioides potentes, oxicodona, hidrocodona, fenciclidina

III

Esteroides anabolizantes, barbitúricos (de média duração), buprenorfina, diidrocodeína, dronabinol, cetamina, paregórico

IV

Barbitúricos (de longa duração), benzodiazepínicos, hidrato de cloral, modafinila, meprobamato, pentazocina, propoxifeno, zolpidem

V

Xaropes de tosse contendo uma pequena quantidade de codeína, pregabalina

*A agência de combate às drogas tem uma lista completa em ordem alfabética das substâncias controladas.

Não podem ser receitadas.

GHB = ácido gama hidroxibutirato; LSD = dietilamida do ácido lisérgico; MDMA = metilenodioximetanfetamina.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS