Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Artrite infecciosa

(Artrite séptica)

Por

Steven Schmitt

, MD, Cleveland Clinic Lerner College of Medicine at Case Western Reserve University

Última revisão/alteração completa jan 2019| Última modificação do conteúdo jan 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Artrite infecciosa é a infecção no líquido e tecidos de uma articulação, geralmente causada por bactérias, mas ocasionalmente por vírus ou fungos.

  • Bactérias, vírus ou fungos podem se espalhar através da corrente sanguínea ou de uma infecção nas proximidades em uma articulação, causando infecção.

  • Dor, inchaço e febre geralmente se desenvolvem dentro de horas ou alguns dias.

  • O líquido articular é retirado com uma agulha e examinado.

  • O uso de antibióticos é iniciado imediatamente.

Existem dois tipos de artrite infecciosa:

  • Aguda

  • Crônica

Artrite infecciosa aguda

A artrite infecciosa aguda, que é causada por bactérias, inicia-se rapidamente. A maioria dos casos de artrite infecciosa é aguda. A artrite infecciosa aguda pode afetar pessoas saudáveis bem como pessoas com fatores de risco. A cartilagem dentro da articulação, que é essencial para seu funcionamento normal, pode ser destruída ou danificada em poucas horas ou dias.

Às vezes, a artrite se desenvolve em pessoas que têm infecções que não envolvem os ossos ou articulações, como infecções dos órgãos genitais ou órgãos digestivos. Esse tipo de artrite é uma reação a tais infecções e, por isso, é chamada artrite reativa. Na artrite reativa, a articulação fica inflamada, mas não realmente infectada.

Artrite infecciosa crônica

A artrite infecciosa crônica começa gradualmente ao longo de várias semanas. São muito poucos os casos de artrite infecciosa crônica. Com frequência, a artrite infecciosa crônica afeta pessoas com fatores de risco.

As articulações mais comumente infectadas são os joelhos, ombros, pulsos, quadril, cotovelos e as articulações dos dedos. A maioria das infecções bacterianas, fúngicas e micobacterianas afetam apenas uma articulação ou, menos frequentemente, várias articulações. Por exemplo, as bactérias que causam a doença de Lyme infectam mais frequentemente as articulações do joelho. A bactéria gonocócica (gonococos), que causa gonorreia, vírus (como a hepatite) e, ocasionalmente, algumas outras bactérias podem infectar algumas ou muitas articulações ao mesmo tempo.

Causas

Os organismos que causam infecções, principalmente bactérias, geralmente atingem uma articulação a partir de uma infecção na proximidade (como osteomielite ou uma ferida infectada) ou pela corrente sanguínea. A articulação pode ser infectada diretamente se for contaminada durante uma cirurgia ou por uma injeção ou lesão (como uma mordida causada por uma pessoa ou uma mordida de um cão, gato ou rato).

Artrite infecciosa aguda

A artrite infecciosa aguda normalmente é causada por bactérias e vírus.

Diferentes bactérias podem infectar uma articulação, mas as bactérias com maior probabilidade de causarem uma artrite infecciosa aguda dependem da idade da pessoa:

Espiroquetas (um tipo de bactéria), como aquelas que causam a doença de Lyme e a sífilis, podem infectar as articulações.

Vírus, como o HIV, parvovírus e aqueles que causam rubéola, caxumba, hepatite B e hepatite C, podem infectar articulações em pessoas de qualquer idade.

Há muitos fatores de risco para a artrite infecciosa. A maioria das crianças que desenvolvem artrite infecciosa não têm fatores de risco identificados.

Os fatores de risco para artrite infecciosa aguda incluem

  • Um histórico de infecção articular

  • Uma cirurgia da articulação ou da articulação artificial

  • Uso de agulhas para injetar drogas

  • Doenças crônicas (tais como diabetes, lúpus e distúrbios pulmonares ou hepáticos crônicos)

  • Idade avançada

  • Comportamentos que aumentam o risco de doenças sexualmente transmissíveis (tais como sexo com múltiplos parceiros e sem uso de preservativos)

  • Distúrbios que causam lesões articulares contínuas (incluindo artrite reumatoide, osteoartrite e artrite causada por lesão)

  • Uma infecção que alcança a corrente sanguínea (bacteremia)

  • Pessoas sendo tratadas com diálise

  • Infecções da pele

Por exemplo, pode haver a deposição de bactérias em uma ou mais articulações em uma pessoa com pneumonia (uma infecção pulmonar) ou sepse (uma infecção na corrente sanguínea), resultando em artrite infecciosa.

A artrite infecciosa aguda pode ocorrer em crianças que não têm fatores de risco. Cerca de 50% das crianças com infecção articular têm menos de três anos de idade. No entanto, a vacinação infantil de rotina contra Haemophilus influenzae e Streptococcus pneumoniae está reduzindo a incidência nessa faixa etária.

Artrite infecciosa crônica

A artrite infecciosa crônica é geralmente causada por Mycobacterium tuberculosis (a principal causa da tuberculose) ou por fungos ou outras bactérias.

Os fatores de risco para artrite infecciosa crônica incluem

Você sabia que...

  • As pessoas que têm artrite crônica, como artrite reumatoide, e desenvolvem dor e inchaço em uma única articulação subitamente devem entrar em contato com seu médico imediatamente, pois podem ter uma infecção, mesmo se não tiverem febre.

Sintomas

Na artrite infecciosa aguda, os sintomas geralmente começam dentro de algumas horas a alguns dias. A articulação infectada geralmente se torna muito dolorida e, às vezes, avermelhada e quente. Movê-la ou tocá-la é muito doloroso. Ocorre acúmulo de líquido na articulação infectada, fazendo com que esta inche e se enrijeça. Às vezes, os sintomas também incluem febre e calafrios.

A artrite gonocócica geralmente provoca sintomas mais leves. Normalmente, as pessoas apresentam febre por 5 a 7 dias. As pessoas podem desenvolver bolhas, caroços, feridas, erupções na pele ou feridas na boca ou genitais e no tronco, mãos ou pernas. A dor pode passar de uma articulação para outra antes de uma articulação ficar inflamada e sensível. Os tendões podem ficar inflamados.

Bebês e crianças muito pequenas que ainda não falam tendem a não mover a articulação infectada, ficam irritáveis, podem se recusar a comer e podem ter febre ou não. Crianças com infecções do joelho ou quadril podem se recusar a andar.

Na artrite infecciosa crônica, os sintomas geralmente são inchaço gradual, calor leve, vermelhidão sobre a área da articulação mínima ou ausente e dor que pode ser leve e menos grave do que na artrite infecciosa aguda. Normalmente, uma única articulação está envolvida.

As pessoas podem ter outros sintomas, dependendo da causa da artrite infecciosa, como sintomas da doença de Lyme ou linfonodos inchados, se a causa for uma ferida por mordida infectada.

Diagnóstico

  • Análise e cultura do líquido articular

  • Exames de sangue

  • Às vezes, exames de escarro, líquido cefalorraquidiano e urina

  • Às vezes, radiografias, ressonância magnética (RM) ou ultrassonografia

Os médicos normalmente suspeitam do diagnóstico de artrite infecciosa em pessoas que têm artrite grave ou não explicada e em pessoas que têm outras combinações de sintomas que são conhecidos por ocorrerem em quem tem artrite infecciosa.

Geralmente, uma amostra de líquido articular é removida com uma agulha (procedimento chamado aspiração articular ou artrocentese) assim que possível. Ela é examinada para verificar se há aumento do número de leucócitos ou bactérias e outros organismos. O laboratório geralmente pode cultivar e identificar as bactérias responsáveis pela infecção a partir do líquido articular (procedimento chamado cultura), a menos que a pessoa tenha tomado antibióticos recentemente. No entanto, é difícil recuperar as bactérias que causam gonorreia, doença de Lyme e sífilis a partir do líquido articular. Se crescem bactérias na cultura, o laboratório, em seguida, testa quais antibióticos seriam eficazes.

Os médicos normalmente fazem exames de sangue, pois bactérias causando infecções articulares muitas vezes aparecem na corrente sanguínea. Escarro, líquido cefalorraquidiano e urina também podem ser examinados quanto à presença de bactérias para ajudar a determinar a fonte da infecção e determinar se a infecção está em qualquer outra parte do corpo.

Se os médicos suspeitarem de que a artrite infecciosa é causada por gonococos, também são coletadas amostras da uretra, colo do útero, reto e garganta. Exames para infecção por clamídia dos genitais (outra doença sexualmente transmitida) também são realizados uma vez que muitas pessoas que apresentam gonorreia também apresentam infecção por clamídia.

Para facilitar a detecção e identificação das bactérias, os médicos podem analisar o líquido articular usando a técnica de reação em cadeia da polimerase (um tipo de teste de amplificação de ácidos nucleicos [nucleic acid amplification test, NAAT]) para detectar o DNA de gonococos e micobactérias.

Os médicos podem solicitar radiografias da articulação afetada para descartar outros quadros clínicos. Os médicos podem fazer uma ressonância magnética (RM) se a articulação não puder ser examinada ou aspirada facilmente. Também são feitas RM ou ultrassonografia para identificar acúmulos de líquido ou coleções de pus (abscessos).

Prognóstico

A artrite infecciosa causada por bactérias não gonocócicas pode destruir permanentemente a cartilagem articular em horas ou dias.

A artrite infecciosa causada por bactérias gonocócicas geralmente não danifica as articulações permanentemente.

As pessoas com artrite reumatoide geralmente não recuperam o uso total da articulação infectada e o risco de mortalidade é maior.

Tratamento

  • Antibióticos ou antifúngicos

  • Remoção de pus

  • Imobilização da articulação, seguida por fisioterapia

Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) podem ajudar a reduzir a dor, a inflamação e a febre.

Antibióticos

É importante iniciar o uso de antibióticos logo que se suspeita de uma infecção, mesmo antes de o laboratório ter identificado o organismo infectante. Os antibióticos que matam as bactérias mais propensas a causar a infecção são dados até que o organismo infectante seja identificado, geralmente dentro de 48 horas após o teste do líquido articular. São administrados antibióticos pela veia (por via intravenosa) de imediato para garantir que uma quantidade suficiente do medicamento atinja a articulação infectada.

Se os antibióticos forem eficazes contra as bactérias responsáveis pela infecção, a melhora geralmente ocorre dentro de 48 horas. Quando o médico recebe os resultados laboratoriais, o antibiótico pode ser alterado, dependendo da sensibilidade das bactérias particulares, a antibióticos específicos. Os antibióticos intravenosos são mantidos por duas a quatro semanas. Em seguida, são administrados antibióticos por via oral em doses elevadas durante mais duas a seis semanas.

Uma infecção que dura um longo tempo e que não desaparece após o uso de antibióticos convencionais pode ser causada por micobactérias ou fungos. Infecções causadas por fungos são tratadas com medicamentos antifúngicos. Infecções provocadas por micobactérias são tratadas com uma combinação de antibióticos. Infecções causadas por fungos e micobactérias necessitam tratamento de longo prazo.

Infecções causadas por vírus geralmente melhoram sem tratamento antibiótico.

Remoção de pus

Os médicos geralmente removem pus com uma agulha (aspiração) para evitar seu acúmulo, visto que pus acumulado pode danificar a articulação e pode ser mais difícil de curar com antibióticos. Se a drenagem com uma agulha for difícil (como ocorre com a articulação da coxa) ou malsucedida, pode ser necessária uma artroscopia (um procedimento que utiliza uma pequena câmera para visualizar o interior da articulação) ou uma cirurgia para drenar a articulação. A aspiração geralmente é feita mais de uma vez. Às vezes, um tubo é deixado no local para drenar o pus.

Imobilização com tala e fisioterapia

A imobilização da articulação (para impedir seu movimento) é feita nos primeiros dias da infecção para ajudar a aliviar a dor; em seguida, é iniciada a fisioterapia para fortalecer os músculos e evitar rigidez e perda permanente de função.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Biópsia
Vídeo
Biópsia
Uma biópsia é um procedimento em que uma amostra de tecido é retirada do corpo para exame...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Bursite
Modelo 3D
Bursite

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS