Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Dermatite de pés e mãos

Por

Mercedes E. Gonzalez

, MD,

  • Clinical Assistant Professor of Dermatology
  • University of Miami Miller School of Medicine
  • Clinical Assistant Professor of Dermatology
  • Florida International University Herbert Wertheim College of Medicine
  • Medical Director
  • Pediatric Dermatology of Miami

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A dermatite de pés e mãos não é uma doença única. Em vez disso, é uma categorização da dermatite que afeta as mãos e os pés seletivamente devido a uma de várias causas.

(Ver também Definição da dermatite.)

Os pacientes geralmente apresentam dermatite isolada nas mãos ou pés. As causas incluem

  • Dermatite de contato (alérgica ou irritante)

  • Infecção fúngica

  • Eczema disidrótico (dermatite disidrótica)

  • Psoríase (pode afetar apenas as palmas das mãos e plantas dos pés e ser confundida com dermatite)

  • Escabiose (normalmente, espaços interdigitais)

Outras causas incluem infecções virais sistêmicas em crianças (doença da mão-pé-boca) ou determinados tipos de quimioterapia (síndrome da mão-pé). Alguns casos são idiopáticos.

O diagnóstico da dermatite das mãos pode, às vezes, ser inferido pela localização e aparência das lesões cutâneas (ver tabela Diagnóstico diferencial da dermatite nas mãos).

O tratamento de todas as formas da dermatite das mãos e pés deve ser dirigido à causa de base, quando possível. Pode-se tentar o uso empírico de corticoides. Os pacientes devem evitar contato prolongado com a água, pois esta por outro lado remove os óleos protetores causando paradoxalmente a secura da pele.

Tabela
icon

Diagnóstico diferencial da dermatite das mãos

Aparência da lesão

Localização

Palmas das mãos

Dorso

Eritema e descamação

DCA

Eczema disidrótico

CDI

Eczema hiperqueratótico

Queratólise esfoliativa

Psoríase

Infecção fúngica (tinea manum)

DCA

CDI

Infecção fúngica (tinea manum)

Pústulas

Eczema disidrótico

Infecção (bacteriana)

Psoríase

Infecção (bacteriana)

Psoríase

Escabiose (espaços interdigitais)

Vesículas

DCA

Eczema disidrótico (dermatite disidrótica)

Reação do tipo Id

DCA

Escabiose (espaços interdigitais)

CDA = dermatite de contato alérgica; DCI = dermatite de contato irritativa.

Eczema disidrótico (dermatite disidrótica)

Bolhas ou vesículas pruriginosas nas palmas das mãos, laterais dos dedos ou solas dos pés são características dessa doença. Descamação, eritema e exsudação geralmente seguem vesiculação. Os sintomas são intermitentes e os surtos geralmente duram várias semanas, mas são mais curtos se tratados.

A disidrose é uma forma grave de eczema disidrótico com formação de bolhas. A causa da disidrose é desconhecida, mas infecções fúngicas, dermatite de contato e reações dermatofítides (do tipo id) na Tinea pedis podem apresentar aparência clínica semelhante e devem ser descartadas. O tratamento é feito com corticosteroides tópicos potentes, tacrolimo ou pimecrolimo, antibióticos orais (em caso de infecção secundária) e luz ultravioleta. Compressas úmidas com permanganato de potássio ou acetato de alumínio podem ajudar a aliviar os sintomas.

Queratólise esfoliativa

É uma descamação em placas não dolorosa nas palmas e/ou plantas. A causa da queratólise exfoliativa é desconhecida; o tratamento não é necessário porque o quadro regride espontaneamente.

Eczema hiperqueratótico

Placas espessas amarelo-acastanhadas nas palmas das mãos e, às vezes, nas solas dos pés são características dessa doença. Pode ocorrer descamação. A causa do eczema hiperqueratótico é desconhecida. O tratamento é feito com corticoides tópicos e queratolíticos, radiação por PUVA ( Psoríase : Fototerapia), e retinoides.

Reação dermatofítide (reação do tipo id)

O aparecimento de vesículas, geralmente nas laterais dos dedos, nas palmas das mãos ou nas plantas dos pés, em resposta a uma dermatite ativa em qualquer outro local, é característico desse distúrbio. A causa pode ser uma reação alérgica ( Dermatofítide). A reação tem múltiplas formas e pode se manifestar como vesículas, pápulas, placas semelhantes a erisipela, eritema nodoso, eritema anular centrífugo ou urticária.

Dermatite de contato irritativa (eczema das donas de casa)

Esta dermatite de contato irritativa acomete pessoas que estão com as mãos frequentemente imersas na água. Piora à lavagem de pratos, louças e roupas e nos cuidados a crianças, devido à repetida exposição a detergentes, até os menos agressivos, e água ou à exposição prolongada ao suor decorrente do uso de luvas de borracha que pode irritar a pele ou causar a dermatite de contato irritativa.

Síndrome da mão-pé

Esta alteração (também denominada eritema acral ou eritrodisestesia palmoplantar) representa uma toxicidade cutânea causada por determinados quimioterápicos sistêmicos (p. ex., capecitabina, citarabina, fluoruracila, idarrubicina, doxorrubicina, taxanos, metotrexato, cisplatina e tegafur). As manifestações são: dor, edema, dormência, formigamento, rubor e algumas vezes descamação ou formação de bolhas nas palmas ou plantas.

O tratamento da síndrome mão-pé é com corticoides orais ou tópicos, dimetilsulfóxido tópico, vitamina B6 (piridoxina) oral, analgésicos de venda livre (como paracetamol e ibuprofeno) e medidas de suporte (compressas frias, minimização de tarefas manuais).

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS