Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre a anemia

Por

Evan M. Braunstein

, MD, PhD, Johns Hopkins School of Medicine

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Anemia é um quadro clínico em que o número de glóbulos vermelhos é baixo.

Os glóbulos vermelhos contêm hemoglobina, uma proteína que lhes permite transportar oxigênio dos pulmões para todas as partes do corpo. Quando o número de glóbulos vermelhos está reduzido, o sangue não consegue transportar uma quantidade adequada de oxigênio. Um suprimento inadequado de oxigênio nos tecidos causa os sintomas da anemia.

Causas

As causas da anemia são numerosas, mas a maioria pode ser agrupada de acordo com três mecanismos principais que produzem anemia:

  • Perda de sangue (hemorragia excessiva)

  • Produção inadequada de glóbulos vermelhos

  • Destruição excessiva de glóbulos vermelhos

Tabela
icon

Causas comuns da anemia

Mecanismo

Exemplos

Hemorragia excessiva crônica

Câncer no trato digestivo

Úlceras no estômago ou no intestino delgado

Hemorragia excessiva súbita

Lesões

Ruptura de vaso sanguíneo

Cirurgia

Redução na produção de glóbulos vermelhos

Câncer metastático

Mielodisplasia (anomalias no tecido da medula óssea)

Aumento da destruição de glóbulos vermelhos

Reações autoimunes contra os glóbulos vermelhos

Deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PD)

Eliptocitose hereditária

Esferocitose hereditária

Estomatocitose hereditária

Xerocitose hereditária

Dano mecânico aos glóbulos vermelhos

Hemoglobinúria paroxística noturna

Tabela
icon

Mais sobre as causas da anemia

Causa

Mecanismo

Tratamento

Comentários

Um baço aumentado captura e destrói glóbulos vermelhos anormais.

O distúrbio que causou a esplenomegalia é tratado.

Às vezes, o baço precisa ser removido cirurgicamente.

Baços extremamente grandes causam dor abdominal e uma sensação de inchaço abdominal após a ingestão de uma pequena quantidade de alimento.

Geralmente, a esplenomegalia captura também plaquetas e glóbulos brancos e reduz, assim, o seu número na corrente sanguínea.

Dano mecânico aos glóbulos vermelhos

Anomalias nos vasos sanguíneos (como um aneurisma) e uma válvula cardíaca artificial ou danificada podem romper glóbulos vermelhos normais.

A causa do dano é identificada e corrigida.

O baço filtra os glóbulos vermelhos danificados.

O sistema imunológico destrói os glóbulos vermelhos.

A hemoglobina dessas células danificadas é concentrada na urina durante a noite, o que resulta em uma urina de cor vermelha escura de manhã.

Eculizumabe, um medicamento que bloqueia o sistema do complemento, ajuda a aliviar os sintomas.

Pessoas com coágulos sanguíneos podem precisar tomar anticoagulantes.

Pessoas podem apresentar cólicas estomacais intensas e coágulos nas grandes veias do abdômen e das pernas.

Os sintomas ocorrem geralmente em episódios (de maneira paroxística).

Esferocitose hereditária

Os glóbulos vermelhos se tornam deformados e rígidos e são capturados e destruídos no baço.

Em geral, não é necessário tratamento, mas a anemia grave pode exigir remoção do baço.

Esse distúrbio hereditário pode causar também anomalias ósseas, tais como crânio em forma de torre.

Às vezes, esse distúrbio pode causar cálculos biliares.

Eliptocitose hereditária

Os glóbulos vermelhos assumem um formato oval ou elíptico em vez do formato de disco normal.

Anemia grave pode exigir remoção do baço.

A anemia é em geral leve e não exige tratamento.

Anomalias enzimáticas dos glóbulos vermelhos

Deficiência de glicose-6-fosfato desidrogenase (G6PD): A enzima G6PD está ausente nas membranas dos glóbulos vermelhos, tornando-os mais frágeis.

A deficiência de piruvato quinase (PK), normalmente presente no nascimento (congênita), também torna os glóbulos vermelhos mais frágeis.

Nos casos de deficiência de G6PD, a anemia pode ser prevenida evitando-se coisas que podem desencadeá-la, como drogas.

Nos casos de deficiência de PK, algumas pessoas podem se beneficiar da remoção do baço.

A deficiência de G6PD é um distúrbio hereditário que normalmente afeta mais o sexo masculino.

Cerca de 10% dos homens negros e um percentual menor das pessoas brancas de origem mediterrânea têm deficiência de G6PD.

A deficiência de piruvato quinase é rara.

Outras anormalidades da membrana dos glóbulos vermelhos

estomatocitose (em que a membrana celular tem uma “fenda” anormal), que pode ser hereditária ou pode se desenvolver durante a vida (adquirida), ou em casos raros de baixos níveis de fosfato no sangue.

Para estomatocitose adquirida, evitar fatores desencadeantes (como o álcool)

Para estomatocitose hereditária, às vezes a remoção do baço

Para pessoas com baixos níveis de fósforo no sangue, suplementos de fosfato

A anemia é em geral leve e não exige tratamento.

Anemia causada por hemorragia excessiva

A anemia pode ser causada por hemorragia excessiva. A hemorragia pode ser repentina, como acontece em consequência de uma lesão ou durante uma cirurgia. Muitas vezes, a hemorragia é gradual e repetitiva (hemorragia crônica), normalmente devido a anomalias no trato digestivo ou urinário, ou a menstruações intensas. A hemorragia crônica costuma levar a níveis baixos de ferro, o que agrava a anemia.

Anemia por produção inadequada de glóbulos vermelhos

A anemia pode igualmente resultar da produção insuficiente de glóbulos vermelhos pelo corpo (veja também Formação das células sanguíneas). São necessários muitos nutrientes para a produção de glóbulos vermelhos. Os mais importantes são ferro, vitamina B12 e folato (ácido fólico), mas o corpo precisa também de quantidades residuais de cobre, bem como de um equilíbrio hormonal apropriado, sobretudo de eritropoietina (um hormônio que estimula a produção de glóbulos vermelhos). Sem esses nutrientes e hormônios, a produção de glóbulos vermelhos se torna lenta e inadequada ou os glóbulos vermelhos podem se deformar e se tornar incapazes de transportar oxigênio de maneira adequada.

Doenças crônicas também podem afetar a produção de glóbulos vermelhos. Em algumas circunstâncias, o espaço da medula óssea pode ser invadido e substituído (em caso de leucemia, linfoma, ou câncer metastático, por exemplo), resultando numa diminuição da produção de glóbulos vermelhos.

Anemia devido à destruição excessiva de glóbulos vermelhos

Anemia pode resultar também quando são destruídos glóbulos vermelhos demais. Normalmente, os glóbulos vermelhos vivem cerca de 120 dias. Existem células depuradoras na medula óssea, no baço e no fígado que detectam e destroem os glóbulos vermelhos que estão próximos ou ultrapassaram o final do seu ciclo de vida. Se os glóbulos vermelhos forem prematuramente destruídos (hemólise), a medula óssea tenta compensar essa perda produzindo novas células mais rapidamente. Quando o ritmo de destruição dos glóbulos vermelhos ultrapassa o ritmo de produção, o resultado é uma anemia hemolítica. A anemia hemolítica é relativamente incomum em comparação com a anemia causada pela hemorragia excessiva e pela diminuição da produção de glóbulos vermelhos. A anemia hemolítica pode resultar de distúrbios dos próprios glóbulos vermelhos, mas resulta mais frequentemente de outros distúrbios que fazem com que glóbulos vermelhos sejam destruídos.

Sintomas

Os sintomas variam dependendo da gravidade da anemia e da velocidade do seu desenvolvimento. Algumas pessoas com anemia leve, especialmente quando ela se desenvolve lentamente, não apresentam absolutamente nenhum sintoma. Outras pessoas podem apresentar sintomas somente ao realizar esforço físico. Uma anemia mais grave pode causar sintomas mesmo quando a pessoa está em repouso. Os sintomas são mais graves quando uma anemia leve ou grave se desenvolve rapidamente como, por exemplo, no caso de uma hemorragia associada à ruptura de um vaso sanguíneo.

Uma anemia leve provoca frequentemente fadiga, fraqueza e palidez. Além desses sintomas, anemias mais graves podem causar desfalecimento, tontura, aumento da sede, sudorese, pulso fraco e rápido e respiração rápida. A anemia grave pode causar cãibras dolorosas na parte inferior das pernas durante o exercício físico, falta de ar e dor no peito, sobretudo se a circulação de sangue nas pernas já estiver comprometida ou se a pessoa sofrer de certos tipos de doenças pulmonares ou cardíacas.

Alguns sintomas também podem oferecer pistas da causa da anemia. Por exemplo, fezes escuras e pastosas, sangue na urina ou nas fezes, ou tosse com sangue sugerem que a anemia é causada por hemorragia. Urina escura ou icterícia (uma tonalidade amarelada da pele ou do branco dos olhos) sugere que a destruição de glóbulos vermelhos pode ser a causa da anemia. Uma sensação de queimação ou formigamento nas mãos ou nos pés pode indicar deficiência de vitamina B12.

Anemia em adultos mais idosos

Muitas doenças que causam anemia, por exemplo, câncer, incluindo cânceres do sangue, como mielodisplasia e mieloma múltiplo, tendem a ser mais comuns entre pessoas mais idosas. Assim, muitas pessoas mais idosas desenvolvem anemia. A anemia por doença crônica e anemia ferropriva provocadas por hemorragia anormal são as causas mais comuns de anemia entre pessoas mais idosas. A anemia não é uma consequência normal do envelhecimento e, quando identificada, deve-se sempre pesquisar o que a causou.

Os sintomas da anemia são basicamente os mesmos, independentemente da idade. Além disso, mesmo quando a anemia é leve, as pessoas mais idosas são mais propensas a se tornar confusas, deprimidas, agitadas ou inquietas do que as mais jovens. Elas podem também perder o equilíbrio e ter dificuldades ao andar. Esses problemas podem interferir na capacidade de viver de maneira independente. Contudo, algumas pessoas mais idosas com anemia leve não apresentam sintoma algum, especialmente quando a anemia se desenvolve gradualmente, como frequentemente acontece.

Nas pessoas mais idosas, a anemia causada por deficiência de vitamina B12 pode ser confundida com demência, uma vez que esse tipo de anemia pode afetar a função mental.

Ter anemia pode diminuir a expectativa de vida das pessoas mais idosas. Assim, identificar a causa e corrigi-la é particularmente importante.

Diagnóstico

  • Exames de sangue

Às vezes, a anemia é detectada antes de as pessoas notarem sintomas, quando exames de sangue de rotina são realizados.

Níveis baixos de hemoglobina ou redução do hematócrito (porcentagem de glóbulos vermelhos presentes no volume total do sangue) em uma amostra de sangue confirmam a anemia. Outros exames, tais como de amostra de sangue ao microscópio e, com menor frequência, exame de uma amostra tomada da medula óssea, ajudam a determinar a causa da anemia.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Linfoma de Hodgkin
Vídeo
Linfoma de Hodgkin
O sistema linfático faz parte do sistema imunológico do corpo. Os linfonodos em todo o corpo...
Transfusão de plaquetas
Vídeo
Transfusão de plaquetas
O sangue que circula no corpo é constituído por diversos componentes: hemácias, que transportam...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS