Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Cronograma de vacinação na infância

Por

Michael J. Smith

, MD, MSCE, Duke University

Última revisão/alteração completa set 2018| Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A maioria dos médicos segue o cronograma de vacinação recomendado pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC – consulte o site da Internet do CDC), que começa com a vacina contra a hepatite B aplicada na maternidade do hospital. (Consulte também Vacinações na infância.)

Os pais devem tentar vacinar seus filhos de acordo com o cronograma. Um atraso significativo na vacinação coloca crianças em risco de terem doenças graves que poderiam ter sido evitadas pelas vacinas.

Se as crianças não tomar uma dose de vacina, os pais devem conversar com seu médico para atualizar o cronograma. Deixar de tomar uma dose não significa que a criança precisa reiniciar a série de injeções desde o começo.

A vacinação não precisa ser adiada se o bebê tem uma febre leve causada por uma infecção leve como, por exemplo, um resfriado comum.

Algumas vacinas são recomendadas apenas em circunstâncias especiais como, por exemplo, somente quando as crianças têm um maior risco de contrair a doença prevenida pela vacina.

Mais de uma vacina pode ser aplicada durante uma consulta com o médico, mas diversas vacinas são com frequência combinadas em uma única injeção. Por exemplo, existe uma vacina que combina as vacinas contra a coqueluche, a difteria, o tétano, a poliomielite e Haemophilus influenzae tipo b em uma única injeção. A vacina combinada simplesmente reduz o número de injeções necessárias sem reduzir a segurança ou a efetividade das vacinas.

Vacinações de rotina para crianças e bebês

Seguir o cronograma de vacinação recomendado é importante porque ajuda a proteger bebês e crianças contra infecções que podem ser prevenidas. O cronograma abaixo se baseia naquele recomendado pela Sociedade Americana de Pediatria e pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (consulte Cronogramas de imunização para crianças e bebês). O cronograma indica quais vacinas são necessárias, em quais idades e quantas doses (indicadas pelos números nos símbolos).

Há uma faixa de idades aceitáveis para muitas vacinas. O médico da criança pode fornecer recomendações específicas que podem variar dependendo da condição de saúde da criança e de outras circunstâncias. Vacinas combinadas são usadas com frequência, de maneira que as crianças recebam menos injeções. Nas crianças não vacinadas de acordo com o cronograma, vacinação de compensação é recomendada e os pais devem contatar um médico ou clínica de saúde para descobrir como fazê-lo. Os pais devem relatar qualquer efeito colateral após a vacinação ao médico da criança.

Para obter mais informações sobre esse cronograma, os pais devem conversar com um médico ou visitar o site da Internet do Programa Nacional de Imunização (National Immunization Program) dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças.

Vacinações de rotina para crianças e bebês

aVacina contra a hepatite B: Esta vacina é administrada à maioria dos recém-nascidos antes de receberem alta hospitalar. A segunda dose é administrada entre 1 a 2 meses de idade, seguida por uma terceira dose entre 6 a 18 meses de idade.

bVacina contra o rotavírus: Dependendo da vacina usada, duas ou três doses da vacina são administradas: com 2 meses, 4 meses e 6 meses de idade ou com 2 e 4 meses de idade.

cVacina contra o Haemophilus influenzae tipo b (Hib): Dependendo da vacina usada, duas ou três doses da vacina Hib são administradas: aos 2 meses, 4 meses e 12 a 15 meses de idade ou aos 2 meses, 4 meses, 6 meses e 12 a 15 meses de idade.

dVacina contra o poliovírus: Quatro doses da vacina são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, entre os 6 e os 18 meses e entre os 4 e os 6 anos de idade.

eVacina contra difteria, tétano e coqueluche acelular: Antes dos 7 anos de idade, as crianças recebem o preparado contra difteria, tétano e coqueluche acelular (DTaP). Cinco doses da vacina DTaP são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, aos 6 meses, entre os 15 e os 18 meses e entre os 4 e os 6 anos de idade.

Uma dose de um preparado contra tétano, difteria e coqueluche (Tdap) para adolescentes é recomendado entre 11 e 12 anos de idade.

fVacina pneumocócica: Quatro doses da vacina são administradas: aos 2 meses, aos 4 meses, aos 6 meses e entre os 12 e os 15 meses de idade.

gVacina meningocócica: Duas doses são administradas: aos 11 a 12 anos de idade e 16 anos (não mostrado no cronograma acima).

hVacina contra a gripe: A vacina contra a gripe deve ser administrada anualmente a todas as pessoas, começando aos 6 meses de idade. A maioria das pessoas precisa de somente uma dose. As crianças entre 6 meses e 8 anos de idade recebem pelo menos duas doses com no mínimo quatro semanas de intervalo entre elas, caso estejam recebendo a vacina contra a gripe pela primeira vez.

iVacina contra sarampo, caxumba e rubéola (MMR): Duas doses são administradas: entre os 12 e os 15 meses e entre os 4 e 6 anos de idade.

jVacina contra a varicela: Duas doses são administradas: entre os 12 e os 15 meses e entre os 4 e 6 anos de idade.

kVacina contra a hepatite A: São necessárias duas doses da vacina contra a hepatite A para obter uma proteção duradoura. A primeira dose é administrada entre os 12 e 23 meses de idade e a segunda é administrada 6 a 18 meses depois. Se a criança com mais de 23 meses de idade não tiver sido vacinada, ela pode receber a vacina contra a hepatite A para ajudar na proteção contra a hepatite A.

lVacina contra o papilomavírus humano (HPV): A vacina contra o papilomavírus humano é administrada a adolescentes (meninas e meninos) em 2 ou 3 doses. O número de doses depende da idade da adolescente ao receber a primeira dose. Aquelas que recebem a primeira dose entre 9 e 14 anos de idade recebem 2 doses, com intervalo mínimo de 5 meses. Aquelas que recebem a primeira dose a partir dos 15 anos de idade recebem 3 doses. A segunda dose é administrada pelo menos um mês após a primeira dose e a terceira dose é administrada pelo menos 5 meses após a primeira dose. A vacinação de rotina é recomendada entre os 11 e 12 anos de idade.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Diabetes mellitus
Vídeo
Diabetes mellitus
Durante o processo digestivo, uma grande parte dos alimentos consumidos é convertida em glicose...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrose cística pulmonar
Modelo 3D
Fibrose cística pulmonar

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS