Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Artrite da articulação temporomandibular (ATM)

Por

Noshir R. Mehta

, DMD, MDS, MS, Department of Public Health and Community Service

Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

Artrite infecciosa, artrite traumática, osteoartrite, artrite reumatoide e artrite degenerativa secundária podem afetar a articulação temporomandibular.

Artrite infecciosa

Infecção da articulação temporomandibular pode resultar de extensão direta de infecção adjacente ou distribuição hematogênica de microrganismos transmitidos pelo sangue ( Artrite infecciosa aguda). A área é inflamada e os movimentos mandibulares são limitados e dolorosos. Sinais locais de infecção associados à evidência de doença sistêmica ou com infecção adjacente sugerem o diagnóstico. Os resultados dos exames radiográficos são negativos em estágios precoces, mas podem apresentar destruição óssea posteriormente. Caso se suspeite de artrite supurativa, a articulação é aspirada para confirmar o diagnóstico e identificar o microrganismo causador. O diagnóstico deve ser feito rapidamente para prevenir dano articular permanente.

O tratamento é feito com antibióticos, hidratação adequada, controle da dor e restrição de movimentação. Penicilina G parenteral é o fármaco de escolha até que um diagnóstico bacteriológico específico possa ser feito, com base em cultura e teste de sensibilidade. Na infecção de estruturas orais por Staphylococcus aureus (MRSA) resistentes à meticilina, a vancomicina IV é o antibiótico de escolha. Infecções supurativas são aspiradas ou incisionadas. Quando a infecção tiver sido controlada, exercícios passivos de abertura de boca auxiliam na prevenção de cicatrizes e limitação de movimentação.

Artrite traumática

Raramente uma lesão aguda (p. ex., decorrente da dificuldade durante extração dental ou entubação orotraqueal) pode ocasionar artrite da articulação temporomandibular. Dor, sensibilidade e limitação de movimentação ocorrem. O diagnóstico baseia-se primariamente na história. Os resultados dos exames radiográficos são negativos, exceto quando edema intra-articular ou hemorragia atinge o espaço articular. O tratamento é feito com AINEs, aplicação de calor, dieta branda e restrição de movimentação da mandíbula.

Osteoartrite

A articulação temporomandibular pode ser afetada, em geral, em pessoas com > 50 anos de idade. Ocasionalmente, os pacientes reclamam de rigidez, ruídos ou dor moderada. A crepitação resulta de um orifício que se forma no disco, causando o atrito entre os ossos. O envolvimento da articulação é quase sempre bilateral. Radiografias ou TC podem mostrar aplainamento e osteófito da cabeça da mandíbula, sugestivo de alteração disfuncional. O tratamento é sintomático. Um protetor bucal usado durante a noite ou dia pode ajudar a aliviar a dor e reduzir os sons de rangido em pacientes com dentes faltando (o que pode fazer com que as mandíbulas se aproximem durante a mordida). ( Osteoartrite.)

Artrite reumatoide

A articulação temporomandibular é afetada em > 17% de adultos e crianças com artrite reumatoideR e é usualmente uma das últimas articulações envolvidas. Dor, edema e limitação de movimentação são os achados mais comuns. Em crianças, a destruição da cabeça da mandíbula resulta em distúrbio do crescimento mandibular e deformidade facial. A ancilose pode surgir posteriormente. Radiografias da articulação temporomandibular são, muitas vezes, negativas em estágios precoces, mas posteriormente apresentam destruição óssea, o que pode resultar em deformidade de mordida aberta anterior. O diagnóstico é sugerido por inflamação da articulação temporomandibular associada à poliartrite e é confirmado por outros achados típicos da doença.

O tratamento é similar ao da artrite reumatoide em outras articulações ( Artrite reumatoide : Tratamento). No estágio agudo, AINEs podem ser prescritos e a função mandibular deve ser limitada. Um protetor interoclusal usado à noite sempre é útil. Quando os sintomas diminuem, exercícios mandibulares moderados auxiliam na prevenção de perda excessiva de mobilidade. A cirurgia é necessária se a ancilose se desenvolveu, mas não deve ser realizada até a condição estar estável.

Artrite secundária degenerativa

Este tipo de artrite costuma ocorrer nas pessoas com idade entre 20 e 40 anos, após trauma ou em pessoas com síndrome de dor miofascial persistente. Caracteriza-se por abertura de boca limitada, dor unilateral durante os movimentos mandibulares, sensibilidade articular e crepitação. Quando está associada à síndrome de dor miofascial, os sintomas aumentam e diminuem. O diagnóstico baseia--se em radiografias, que geralmente mostram aplainamento, osteófito, projeção óssea ou erosão. O envolvimento articular unilateral auxilia na distinção entre artrite secundária degenerativa e osteoartrite.

O tratamento é conservador, como o da síndrome da dor miofascial, embora artroplastia ou condilectomia alta possa ser necessária. Uma placa interoclusal, em geral, alivia os sintomas. A placa é utilizada constantemente, exceto durante refeições, higiene oral e sua limpeza. Quando os sintomas se resolvem, a quantidade de tempo que a placa é usada cada dia é gradualmente reduzida. Injeção intra-articular de corticoides podem aliviar os sintomas, mas podem prejudicar a articulação se utilizados com frequência.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS