Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Colecistite crônica

Por

Ali A. Siddiqui

, MD, Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo jun 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A colecistite crônica é a inflamação da vesícula biliar por longos períodos, quase sempre causada por litíase vesicular.

Colecistite crônica quase sempre resulta de cálculos biliares e episódios anteriores de colecistite aguda (mesmo que leve). Danos ocasionados na colecistite crônica variam de infiltração leve a vesícula biliar fibrosada, contraída e de paredes espessas. Extensa calcificação das paredes da vesícula pela fibrose é denominada vesícula em porcelana.

Sinais e sintomas

Cálculos obstruindo de forma intermitente o ducto cístico determinam o aparecimento da dor, chamada cólica biliar, que é recorrente. Esses episódios de dor não necessariamente são acompanhados por uma inflamação ostensiva da vesícula biliar; a extensão da inflamação não está correlacionada com a intensidade ou frequência da cólica biliar. Pode haver dor abdominal superior com defesa local, mas geralmente sem febre. A presença de febre sugere fortemente colecistite aguda. Uma vez iniciados os sintomas, estes tendem a recorrer.

Diagnóstico

  • Ultrassonografia

A colecistite crônica deve ser suspeitada em todo paciente que apresente cólica biliar recorrente e litíase vesicular. A ultrassonografia ou outros exames de imagem geralmente revelam a presença de litíase, mas podem não demonstrar a retração ou a fibrose vesicular. O diagnóstico é feito em pacientes com história de cólica biliar recorrente e evidências ultrassonográficas de cálculos biliares. A cintigrafia pode demonstrar a falha de captação vesicular do radiofármaco, mas sua acurácia é mais baixa.

Tratamento

  • Colecistectomia laparoscópica

Colecistectomia laparoscópica é indicada para evitar sintomas de recorrência e outras lesões teciduais. O procedimento é particularmente apropriado para vesícula em porcelana, que é associada ao colangiocarcinoma de vesícula.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS