Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Retenção urinária

Por

Patrick J. Shenot

, MD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo jul 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

Retenção urinária é o esvaziamento incompleto da bexiga ou a cessação da micção; pode ser

  • Aguda

  • Crônica

As causas são alteração da contratilidade vesical, obstrução do colo vesical, dissinergia detrusor-esfincteriana (falta de coordenação entre a contração da bexiga e o relaxamento do esfíncter), ou uma combinação. (Ver também Visão geral da micção.)

A retenção é mais comum entre homens, nos quais anormalidades da próstata e estreitamento uretral causam obstrução do colo vesical. Em qualquer dos sexos, a retenção pode decorrer de fármacos (em particular aquelas com efeitos anticolinérgicos, incluindo vários fármacos vendidos em farmácias e sem receita médica), impacção fecal grave (que pode aumentar a pressão sobre o trígono vesical) ou bexiga neurogênica em pacientes com diabetes, esclerose múltipla, doença de Parkinson, ou cirurgia pélvica anterior resultando em desnervação da bexiga.

A retenção urinária pode ser assintomática ou causar frequência urinária, uma sensação de esvaziamento incompleto, e incontinência de urgência ou transbordamento. Pode causar distensão abdominal e dor. Quando a retenção se desenvolve de modo lento, pode não haver dor. A retenção de longa duração predispõe a ITU e pode aumentar a pressão na bexiga, causando uropatia obstrutiva.

Diagnóstico

  • Medida do volume residual pós-miccional

O diagnóstico é óbvio em pacientes que não conseguem urinar. Naqueles que conseguem urinar, esvaziamento incompleto da bexiga é diagnosticado por cateterismo pós-miccional ou ultrassonografia mostrando volume residual miccional elevado. Um volume < 50 mL é normal; < 100 mL é geralmente aceitável em pacientes > 65 anos de idade, mas é anormal em pacientes jovens. Outros exames (p. ex., urina, exames de sangue, ultrassonografia, exame urodinâmico, cistoscopia e cistografia) são realizados com base nos achados clínicos.

Tratamento

  • Cateterização uretral e tratamento da causa

O alívio da retenção urinária aguda requer cateterismo uretral. O tratamento subsequente depende da causa. Em homens com hipertrofia benigna da próstata, fármacos (geralmente, bloqueadores alfa-adrenérgicos ou inibidores da 5-alfa-redutase) ou cirurgia podem auxiliar a reduzir a resistência do colo vesical.

Nenhum tratamento é eficaz para a contratilidade vesical prejudicada; mas reduzir a resistência de saída com bloqueadores alfa-adrenérgicos pode aumentar o esvaziamento da bexiga.

Autocateterismo intermitente ou cateterismo de demora é muitas vezes necessário. Uma sonda suprapúbica de demora ou derivação urinária é o último recurso.

Pontos-chave

  • Os mecanismos incluem contratilidade prejudicada da bexiga, obstrução do colo vesical e dissinergia detrusor-esfincteriana.

  • A retenção incompleta é diagnosticada por um volume residual pós-micção > 50 mL (> 100 mL em pacientes > 65).

  • Prescrever cateterização uretral e tratar a causa da retenção.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS