Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Transtorno de ansiedade generalizada

Por

John W. Barnhill

, MD, Weill Cornell Medical College and New York Presbyterian Hospital

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos

O transtorno de ansiedade generalizada ocorre quando a pessoa sente nervosismo e preocupação excessivos em relação a diversas atividades ou acontecimentos. O número de dias em que a pessoa tem ansiedade é superior ao número de dias em que não tem, por um período de seis meses ou mais.

  • A pessoa fica ansiosa e preocupada com diversos problemas, atividades e situações, e não apenas com um tipo.

  • Para que esse transtorno seja diagnosticado, vários outros sintomas (por exemplo, a tendência de se cansar facilmente, dificuldade de concentração e tensão muscular) precisam acompanhar a ansiedade.

  • O tratamento envolve uma combinação de farmacoterapia (normalmente à base de ansiolíticos e ocasionalmente antidepressivos) e psicoterapia.

O transtorno de ansiedade generalizada é um tipo comum de transtorno de ansiedade. Aproximadamente 3% dos adultos sofrem desse transtorno anualmente. As mulheres têm o dobro de probabilidade de sofrer deste transtorno. Começa frequentemente na infância ou na adolescência (consulte transtorno de ansiedade generalizada em crianças), mas pode ter início em qualquer idade.

Na maioria das pessoas, esse transtorno é oscilante e, ocasionalmente, agrava-se (sobretudo em períodos de estresse) e persiste ao longo de vários anos.

Sintomas

A pessoa com transtorno de ansiedade generalizada se sente constantemente preocupada ou angustiada e ela tem muita dificuldade em controlar esses sentimentos. A intensidade, a frequência ou a duração das preocupações são maiores que o esperado para aquela situação.

As preocupações são de natureza geral, incluem vários assuntos e, muitas vezes, saltam de um assunto para outro ao longo do tempo. Preocupações comuns incluem responsabilidades profissionais e familiares, dinheiro, saúde, segurança, reparos do carro e afazeres.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico com base em critérios específicos

Para que um médico diagnostique o transtorno de ansiedade generalizada, a pessoa precisa sentir uma preocupação ou ansiedade que

  • É excessiva

  • Diz respeito a diversas atividades e eventos

  • O número de dias em que está presente é superior ao número de dias em que está ausente, por um período de seis meses ou mais

Além disso, a pessoa precisa apresentar três ou mais dos sintomas a seguir:

  • Agitação ou uma sensação de tensão ou nervosismo

  • Tendência a cansar-se facilmente

  • Dificuldade de concentração

  • Irritabilidade

  • Tensão muscular

  • Distúrbio do sono

Antes de diagnosticar o transtorno de ansiedade generalizada, o médico realiza um exame físico. Ele pode solicitar exames de sangue ou outros para ter certeza de que os sintomas não são causados por uma doença física ou uso de um medicamento ou droga.

Tratamento

  • Uma combinação de psicoterapia e farmacoterapia

Esse transtorno costuma ser tratado por meio de uma combinação entre alguma forma de psicoterapia e farmacoterapia. A psicoterapia pode abordar as causas que desencadeiam a ansiedade e fornecer meios de superação.

Alguns antidepressivos, particularmente os inibidores de recaptação de serotonina seletivos (por exemplo, o escitalopram) e os inibidores de recaptação de serotonina- noradrenalina (por exemplo, a venlafaxina), são eficazes no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada. Geralmente, demora algumas semanas antes de esses antidepressivos começarem a melhorar a ansiedade e, por isso, a pessoa recebe, de início, um benzodiazepínico juntamente com o antidepressivo. Os benzodiazepínicos são medicamentos ansiolíticos que melhoram a ansiedade rapidamente, em geral de forma imediata. Contudo, uma vez que o uso prolongado de benzodiazepínicos pode dar origem a um transtorno por uso de drogas ({blank} Medicamentos ansiolíticos e sedativos), esses medicamentos costumam ser apenas administrados por tempo limitado. Assim que o antidepressivo e a psicoterapia começarem a fazer efeito, é possível que a dose do benzodiazepínico comece a ser gradativamente reduzida e, depois, suspensa. Os benzodiazepínicos não devem ser interrompidos abruptamente.

A buspirona, outro medicamento ansiolítico, é eficaz para algumas pessoas com transtorno de ansiedade generalizada. Seu uso não dá origem a um transtorno por uso de droga. No entanto, a buspirona pode demorar duas semanas ou mais para começar a fazer efeito.

Produtos fitoterápicos, como a kava kava e a valeriana podem ter efeitos ansiolíticos, embora sua eficácia e segurança no tratamento de transtornos de ansiedade, como o transtorno da ansiedade generalizada, exijam estudos mais completos.

A terapia cognitivo-comportamental já demonstrou sua eficácia no tratamento do transtorno de ansiedade generalizada. Ao ser tratada com esse tipo de terapia, a pessoa aprende a:

  • Reconhecer em que aspecto seus pensamentos estão distorcidos

  • Controlar os pensamentos distorcidos

  • Modificar seu comportamento adequadamente

Relaxamento, ioga, meditação, exercício e técnicas de biofeedback também podem ser úteis ({blank} Tipos de medicina complementar e alternativa : Medicina de interação mente-corpo).

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS