Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Infecções pneumocócicas

Por

Larry M. Bush

, MD, FACP, Charles E. Schmidt College of Medicine, Florida Atlantic University

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

As infecções pneumocócicas são causadas pela bactéria Gram-positiva em forma de esfera (coco) (veja a figura Como as bactérias tomam forma) Streptococcus pneumoniae (pneumococo). Essas bactérias habitualmente causam pneumonia, meningite, sinusite e infecção do ouvido médio.

  • As bactérias pneumocócicas são dispersas no ar quando pessoas infectadas tossem ou espirram.

  • As infecções pneumocócicas geralmente causam febre e uma sensação geral de mal-estar, com outros sintomas dependendo da parte do corpo afetada.

  • O diagnóstico pode basear-se em sintomas ou identificação da bactéria nas amostras de material infectado.

  • Crianças novas são rotineiramente vacinadas contra essas infecções, e a vacinação é recomendada para todas as pessoas com alto risco.

  • A penicilina ou outro antibiótico é um tratamento geralmente eficaz.

Há mais de noventa tipos de pneumococos. No entanto, as infecções mais sérias são causadas somente por alguns tipos.

Os pneumococos costumam habitar no trato respiratório superior de pessoas saudáveis, seus hospedeiros naturais, particularmente durante o inverno e começo da primavera. As bactérias são transmitidas para outras pessoas quando elas:

  • Inalam gotículas infectadas dispersadas por espirros ou tosse

  • Entram em contato estreito com uma pessoa infectada

A disseminação é mais provável entre grupos independentes de pessoas, como pessoas que vivem, permanecem por um tempo ou trabalham em asilos, prisões, bases militares, abrigos para sem-teto, ou creches.

Fatores de risco

Determinadas condições aumentam o risco de desenvolvimento e a gravidade das infecções pneumocócicas:

Gripe e bronquite crônica podem danificar o revestimento do trato respiratório e, dessa forma, facilitar a infecção pela bactéria pneumocócica.

Além disso, pessoas mais idosas, mesmo se saudáveis, tendem a ter sintomas e complicações mais graves quando contraem uma infecção pneumocócica.

A vacinação pneumocócica é recomendada para pessoas com um ou mais fatores de risco.

Sintomas e diagnóstico

Os sintomas de infecções pneumocócicas variam de acordo com o local da infecção.

A maioria das infecções pneumocócicas ocorre no(s)

As bactérias podem também ser transmitidas para a corrente sanguínea e através dela (chamado bacteremia). Podem ocorrer infecções nos tecidos que recobrem o cérebro e a medula espinhal (meningite) ou, com menos frequência, nas válvulas do coração (endocardite), nos ossos, nas articulações ou na cavidade abdominal.

Pneumonia pneumocócica

Muitas vezes os sintomas de pneumonia pneumocócica começam repentinamente. As pessoas têm febre, calafrios, uma sensação geral de mal-estar, falta de ar e tosse. A tosse pode vir acompanhada de expectoração que tem cor de ferrugem.

Geralmente, dores agudas no peito com sensação penetrante ocorrem em um lado. Respiração profunda e tosse pioram as dores. Em cerca de 40% das pessoas, há acúmulo de líquido entre as camadas de tecido que recobrem os pulmões (chamado derrame pleural). O derrame pleural pode contribuir para a dor no peito e dificultar a respiração.

Para identificar sinais de pneumonia, são realizadas radiografias do tórax. Os médicos obtêm uma amostra de expectoração e procedem ao seu exame ao microscópio. Uma amostra da expectoração, pus ou sangue pode ser enviada a um laboratório para fazer a cultura da bactéria. As bactérias pneumocócicas são facilmente identificadas. Elas também são testadas para verificar quais antibióticos são eficazes (um processo chamado teste de suscetibilidade).

Meningite pneumocócica

As pessoas com meningite pneumocócica apresentam febre, dor de cabeça e uma sensação geral de indisposição (mal-estar). Elas manifestam rigidez no pescoço, o que torna doloroso e difícil abaixar o queixo até o peito, mas este problema nem sempre é óbvio no início da doença.

Ao contrário de crianças mais velhas e adultos, a maioria dos bebês com meningite não apresenta pescoço rígido. Eles podem apenas ficar relutantes em comer e ficar irritadiços ou letárgicos.

A meningite pneumocócica pode causar complicações, como

  • Perda de audição (em até 50% das pessoas)

  • Convulsões

  • Dificuldades de aprendizagem

  • Disfunção mental

O diagnóstico de meningite pneumocócica requer uma punção na coluna vertebral (punção lombar) para obter uma amostra do líquido que circunda o cérebro e a medula espinhal (líquido cefalorraquidiano). A amostra é verificada relativamente a sinais de infecção, tais como glóbulos brancos do sangue e bactérias.

Otite média pneumocócica

A otite média pneumocócica causa dor de ouvido e tímpano vermelho e abaulado ou pus atrás do tímpano. Essas infecções podem causar

As bactérias pneumocócicas causam cerca de 30% a 40% de todos os casos de otite média em crianças. A otite média pneumocócica comumente reincide.

O diagnóstico de otite média pneumocócica é geralmente baseado nos sintomas e nos resultados de um exame físico. Geralmente, não são realizadas culturas nem outros exames diagnósticos.

Prevenção

Há dois tipos de vacinas pneumocócicas disponíveis:

  • Uma vacina conjugada (PCV13) que protege contra treze tipos de pneumococos

  • Uma vacina polissacarídica não conjugada (PPSV23) que protege contra 23 tipos de pneumococos

Se crianças com menos de 5 anos de idade não tiverem baço ou se seu baço não estiver funcionando, elas podem receber antibióticos (como penicilina), além da vacina. Nesses casos, os antibióticos podem ser mantidos por toda a infância até a fase adulta.

Vacina conjugada (PCV13)

A PCV13 é rotineiramente recomendada para

  • Todas as crianças

  • Todos os adultos a partir de 65 anos de idade

A PCV13 também é recomendada para pessoas entre 6 e 64 anos que tenham qualquer uma das seguintes condições de alto risco:

  • Uma lesão ou outro distúrbio que provoque vazamento do líquido espinhal

  • Anemia falciforme ou distúrbios semelhantes dos glóbulos vermelhos do sangue

  • Sistema imunológico enfraquecido (por exemplo, devido a um distúrbio congênito, certos distúrbios renais crônicos, infecção por HIV, leucemia, linfomas, outros tipos de câncer ou uso de medicamentos que suprimem o sistema imunológico)

Vacina não conjugada (PPSV23)

A PPSV23 é recomendada para

  • Todos os adultos a partir de 65 anos de idade

A PPSV23 também é recomendada para pessoas entre 2 e 64 anos que apresentem qualquer um dos seguintes:

  • Qualquer uma das condições de alto risco citadas acima

  • Uma doença pulmonar crônica (incluindo asma)

  • Uma doença cardíaca crônica (exceto hipertensão arterial)

  • Um distúrbio hepático crônico

  • Abuso crônico de álcool

  • Tabagismo

Tratamento

  • Penicilina ou outro antibiótico

A penicilina (ou medicamentos relacionados, ampicilina e amoxicilina) é usada para a maioria das infecções pneumocócicas. É administrada, geralmente, por via oral e, se a infecção for grave, pode ser administrada por via intravenosa.

Os pneumococos que são resistentes à penicilina estão se tornando mais comuns. Assim, outros antibióticos, tais como ceftriaxona, cefotaxima, fluoroquinolonas (como levofloxacino), vancomicina ou omadaciclina, são frequentemente usados. A vancomicina nem sempre é eficaz contra a meningite causada por pneumococos. Assim, as pessoas com meningite geralmente recebem ceftriaxona ou cefotaxima, rifampicina, ou ambos, bem como vancomicina.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS