Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Corpos estranhos no trato digestivo

Por

Zubair Malik

, MD, Temple University Hospital

Última revisão/alteração completa fev 2020| Última modificação do conteúdo fev 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os corpos estranhos são objetos ingeridos que podem ficar presos no trato digestivo, podendo até mesmo perfurá-lo.

  • Os corpos estranhos podem ser engolidos de maneira acidental ou intencional.

  • Os corpos estranhos podem vir ou não a causar sintomas, dependendo de onde eles ficaram presos.

  • O diagnóstico pode tomar por base uma combinação dos resultados de radiografia, endoscopia ou, às vezes, de tomografia computadorizada.

  • A maioria dos corpos estranhos é expelida sem tratamento, mas alguns precisam ser removidos por endoscopia, por cirurgia ou manualmente.

Corpos estranhos podem ficar presos em diversas partes do trato digestivo como, por exemplo

Os corpos estranhos podem ser acidentalmente engolidos. As crianças podem engolir alimentos pequenos e redondos (como, por exemplo, uvas, amendoim ou balas), que podem ficar entalados. Além disso, bebês e crianças curiosos frequentemente engolem acidentalmente uma grande variedade de objetos não comestíveis (como, por exemplo, moedas e pilhas botão ou pilhas moeda), sendo que alguns desses objetos podem ficar presos no esôfago. Pessoas que usam dentaduras, pessoas mais velhas e adultos intoxicados correm o risco de acidentalmente engolir alimentos que não foram adequadamente mastigados (sobretudo bife ou salsicha), que podem ficar entalados no esôfago.

Às vezes, corpos estranhos são engolidos de propósito, por exemplo quando contrabandistas (que fazem o transporte drogas no corpo por deglutição) ou pessoas que transportam drogas por ocultação engolem balões, pacotes ou frascos enchidos de drogas ilegais para tentar escapar à detecção. A população carcerária e pessoas com transtornos da saúde mental podem também engolir corpos estranhos de propósito e repetidamente.

Se esses objetos não digeríveis forem pequenos, eles atravessam o sistema digestivo e são expelidos nas fezes. Contudo, objetos maiores ou pontiagudos como, por exemplo, palitos de dente e ossos de frango ou espinhas de peixe podem ficar presos no esôfago ou no estômago ou em regiões do intestino que têm curvas acentuadas ou são estreitas por natureza ou devido a uma doença, cirurgia anterior, tumores ou estruturas anômalas. Mesmo os objetos que atravessam todo o intestino podem ainda assim ficar presos no reto.

É possível que corpos estranhos sejam inseridos no reto intencionalmente (por exemplo, durante o ato sexual), mas é possível que fiquem presos involuntariamente (consulte Objetos estranhos no reto).

Sintomas

Corpos estranhos causam sintomas dependendo da natureza do corpo estranho e do local onde ele ficou preso.

Corpos estranhos no esôfago

A ingestão de um objeto pequeno e não pontiagudo pode causar a sensação de que algo ficou preso no esôfago e dificuldade em engolir (disfagia). Essa sensação pode persistir durante algum tempo, mesmo depois de o objeto ter passado para o estômago. Se o que foi ingerido for um objeto pequeno e pontiagudo, este pode alojar-se no esôfago e causar dor, mesmo quando a pessoa é capaz de engolir normalmente. Quando o esôfago fica completamente obstruído, a pessoa não consegue engolir nada, nem sequer saliva, começando a babar e a cuspir constantemente. A saliva pode apresentar manchas de sangue e a pessoa pode ter ânsia de vômito e se engasgar. A pessoa pode tentar vomitar, mas não consegue expulsar nada.

Corpos estranhos no estômago e intestino

Caso um corpo estranho esteja obstruindo total ou parcialmente o estômago, o intestino delgado ou, raramente, o intestino grosso, ele pode provocar cólicas, distensão, dor abdominal, náusea e vômitos (consulte Obstrução intestinal).

Corpos estranhos no reto

Dor repentina e intensa durante a evacuação sugere a possibilidade de que um objeto estranho esteja perfurando o revestimento do ânus ou do reto. É possível também haver sangue nas fezes.

Complicações da presença de corpos estranhos no trato digestivo

Se um objeto pontiagudo perfurar o esôfago, as consequências podem ser sérias. Alimentos e outros conteúdos esofágicos podem vazar na cavidade torácica (mediastino) e causar inflamação com risco de morte (mediastinite). Se a pessoa tiver engolido pilhas botão, que podem corroer o revestimento esofágico, ela pode apresentar queimaduras no esôfago.

Objetos pontiagudos também podem causar uma perfuração do trato digestivo. Uma perfuração permite o vazamento de alimentos, sucos gástricos ou conteúdo intestinal, inclusive fezes, para dentro do abdômen. Esse tipo de vazamento constitui uma emergência médica porque ele causa peritonite (a inflamação da cavidade peritoneal [abdominal]).

Às vezes, os corpos estranhos causam a presença de sangue nas fezes.

Se uma pessoa tiver engolido um objeto que foi enchido com drogas, o objeto pode se romper, o que pode causar uma overdose da droga.

Diagnóstico

  • Exames de imagem (normalmente radiografias)

  • Endoscopia

Com frequência, um corpo estranho pode ser visualizado nas radiografias do abdômen e, às vezes, do tórax. Às vezes, outros exames de imagem como, por exemplo, tomografia computadorizada (TC), podem ser realizados para ajudar a identificar e a localizar o corpo estranho.

Normalmente, uma endoscopia (exame visual do trato digestivo utilizando um tubo flexível, denominado endoscópio) é realizada para determinar a natureza e a localização exata do corpo estranho e excluir uma região em que um tumor ou outro distúrbio causou um estreitamento.

Exames de imagem para detectar corpos estranhos no trato digestivo

Corpos estranhos que estão presos no reto frequentemente podem ser sentidos pelo médico durante um exame de toque retal, no qual o médico insere um dedo recoberto por uma luva no reto da pessoa.

É possível que o médico utilize um detector de metal portátil para detectar corpos estranhos metálicos (por exemplo, moedas e pilhas), o que é particularmente útil em crianças. No entanto, esses objetos metálicos normalmente são detectados por meio de radiografia ou, às vezes, um exame de TC.

Tratamento

  • No caso de corpos estranhos no esôfago, glucagon ou endoscopia

  • No caso de corpos estranhos no estômago, endoscopia

  • No caso de corpos estranhos no intestino, ocasionalmente remoção endoscópica ou cirúrgica

  • No caso de corpos estranhos no reto, remoção endoscópica ou manual

Alguns corpos estranhos são expelidos espontaneamente e não precisam de tratamento. Às vezes, o médico recomenda à pessoa que ingira uma grande quantidade de líquidos para ajudar a expulsar o objeto. Alguns objetos pequenos como, por exemplo, um palito de dente ou uma espinha de peixe, podem permanecer no trato gastrointestinal por muitos anos sem causar sintomas.

Corpos estranhos no esôfago

Se a pessoa não apresentar sintomas de obstrução e não tiver ingerido um objeto pontiagudo ou uma pilha botão ou pilha moeda, ela será mantida sob observação médica por 24 horas para ver se o objeto é expelido espontaneamente. Quando o médico suspeita que um pedaço de alimento se encontra preso no esôfago, o medicamento glucagon pode ser administrado pela veia (via intravenosa) para relaxar o esôfago e permitir que o alimento atravesse espontaneamente o trato digestivo.

Normalmente, o médico fará a remoção de um corpo estranho que não tenha sido expelido do esôfago no prazo de 24 horas porque adiar a remoção aumenta o risco de complicações, incluindo perfuração e diminui a probabilidade de uma remoção bem-sucedida.

O médico pode remover alguns objetos que estão presos no esôfago usando um endoscópio para empurrá-los para dentro do estômago ou pode removê-los com um fórceps, uma malha ou uma cesta inseridos através de um endoscópio.

Uma vez que objetos pontiagudos podem perfurar a parede do esôfago, eles devem ser removidos com urgência por endoscopia. As pilhas também precisam ser removidas com urgência do esôfago porque elas podem causar queimaduras internas.

Corpos estranhos no estômago e intestino

Normalmente, o médico realiza uma endoscopia para remover objetos pontiagudos do estômago porque eles podem causar perfuração. Além disso, os médicos realizam uma endoscopia para remover

  • Qualquer objeto que tenha permanecido no estômago por mais de três a quatro semanas

  • Pilhas que têm estado no estômago há mais de 48 horas mas que não causaram lesões

  • Objetos que têm mais de 2,5 cm de diâmetro no estômago

  • Ímãs que podem ser alcançados com o endoscópio

Objetos pequenos e redondos como, por exemplo moedas, podem ser expelidos espontaneamente. O médico aconselha à pessoa que examine as próprias fezes para ver se o objeto foi expelido. Se o objeto não aparecer nas fezes, o médico realiza radiografias repetidas para ver se o objeto foi expelido.

Corpos estranhos que saem do estômago e chegam ao intestino delgado normalmente atravessam o trato digestivo sem problemas. Contudo, se um objeto curto e não pontiagudo ficar preso no intestino delgado por mais de uma semana e não puder ser removido por endoscopia ou se a pessoa estiver apresentando sintomas de obstrução intestinal, é possível que o médico venha a removê-lo cirurgicamente.

Caso um objeto que se suspeita ter sido enchido com drogas seja detectado em uma pessoa que não tem sintomas, essa pessoa será hospitalizada e monitorada com cuidado em uma unidade de terapia intensiva (UTI). O médico pode realizar cirurgia se a pessoa

  • Tiver sintomas de obstrução intestinal

  • Tiver sintomas de overdose de droga (o que sugere que há drogas vazando do objeto)

  • Não tiver expelido o objeto após um período considerável

Os médicos normalmente não realizam uma endoscopia para remover um objeto que foi enchido com drogas porque existe um risco elevado de que ele possa se romper durante a remoção e causar uma overdose grave.

Corpos estranhos no reto

Um corpo estranho no reto pode ser removido por via endoscópica ou manual, dependendo do tipo de objeto. Às vezes, para que seja possível a remoção manual do objeto, o ânus da pessoa precisará ser amortecido com a aplicação de injeções de anestesia local e seja mantido aberto com um instrumento especial. Depois disso, o médico usa o fórceps para agarrar e remover o objeto. Esse procedimento pode exigir a colocação da pessoa sob sedação profunda.

Após a remoção do corpo estranho, o médico possivelmente examinará o reto e a parte inferior do cólon com um tubo flexível chamado sigmoidoscópio para descartar a possibilidade de haver lesões ou perfuração. Ver também tratamento de objetos estranhos no reto.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

OUTROS TÓPICOS NESTE CAPÍTULO

Bezoares e corpos estranhos ao trato digestivo
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Câncer de estômago
Qual das seguintes opções é o melhor procedimento diagnóstico para o câncer de estômago?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS