Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Suplementos de zinco

Por

Laura Shane-McWhorter

, PharmD, University of Utah College of Pharmacy

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

O zinco, é um mineral necessário em pequenas quantidades (IDR em adultos de 8 a 11 mg/dia) para múltiplos processos metabólicos. As fontes alimentares incluem ostras, carne e cereais enriquecidos.

Alegações

Tem sido afirmado que o zinco reduz os sintomas de resfriados, ajuda as crianças a se recuperarem de doenças infecciosas e desacelera a evolução da degeneração macular relacionada com a idade e ajuda na cicatrização de ferimentos.

A deficiência leve de zinco prejudica o crescimento das crianças e é possível corrigi-la com suplementação de zinco (Suplementos de zinco : Referências sobre zinco).

Evidências

Alguns especialistas acreditam que, quando ingerido logo no início dos sintomas de resfriado, o zinco, na forma de gliconato de zinco ou pastilhas de acetato, pode reduzir a evolução do resfriado comum (2). Uma revisão de Cochrane de 16 ensaios terapêuticos (1.387 participantes) e 2 ensaios preventivos (394 participantes) em 2013 demonstrou que o zinco reduziu a duração (em dias), mas não a gravidade dos sintomas do resfriado comum (2). Embora a proporção dos participantes com sintomas após 7 dias do tratamento tenha sido significativamente menor do que a dos grupos de controle, os efeitos adversos, como disgeusia e náuseas foram maiores no grupo tomando zinco e devem ser levados em consideração (2).

Há fortes evidências de que, nos países em desenvolvimento, os suplementos contendo 20 mg de zinco e 20 mg de ferro, administrados 1 vez por semana, quando consumidos nos primeiros 12 meses de vida, reduzam a mortalidade infantil decorrente de diarreia e infecções respiratórias (3). Uma revisão Cochrane de 2016 descobriu que a suplementação com zinco pode ser benéfica para o tratamento da diarreia de crianças desnutridas ou com deficiência de zinco com mais de 6 meses de idade. (4). Há também fortes evidências de que suplementos contendo zinco, 40 a 80 mg, e antioxidantes (vitaminas C e E e luteína/zeaxantina) administrados uma vez ao dia desacelerem a progressão de atrofia moderada a grave (forma seca) na degeneração macular relacionada com a idade (5-6).

Efeitos adversos

O zinco geralmente é seguro, mas pode ocorrer toxicidade se forem utilizadas doses elevadas (ver a página Toxicidade). Efeitos adversos das pastilhas de zinco incluem náuseas, vômitos, diarreia, irritação da boca, aftas e gosto ruim. Como o zinco é um metal-traço e pode remover outros metais necessários para o organismo, a dose de suas pastilhas não deve exceder 75 mg/dia (dose total, independentemente da frequência de dosagem) por 14 dias. Os sprays com zinco podem causar irritação na boca e garganta.

Interações medicamentosas

Pode ocorrer diminuição da absorção e do efeito de certos antibióticos (p. ex., cefalexina) com a suplementação oral com zinco; portanto, deve-se tomar o zinco pelo menos 3 horas após o antibiótico.

Referências sobre zinco

  • Mayo-Wilson E, Junior JA, Imdad A, et al: Zinc supplementation for preventing mortality, morbidity, and growth failure in children aged 6 months to 12 years of age. Cochrane Database Syst Rev, 5:CD009384, 2014. doi: 10.1002/14651858.

  • Singh M, Das RR: Zinc for the common cold. Cochrane Database Syst Rev 6: CD001364 de 2013. doi: 10.1002/14651858.CD001364.pub4.

  • Baqui AH, Zaman K, Persson LA, et al: Simultaneous weekly supplementation of iron and zinc is associated with lower morbidity due to diarrhea and acute lower respiratory infection in Bangladeshi infants. J Nutr 133(12):4150-4157, 2003. doi: 10.1093/jn/133.12.4150.

  • Lazzerini M, Wanzira H: Oral zinc for treating diarrhoea in children. Cochrane Database Syst Rev 12:CD005436, 2016. doi: 10.1002/14651858.CD005436.pub5.

  • Age-Related Eye Disease Study Research Group: A randomized, placebo-controlled, clinical trial of high-dose supplementation with vitamins C and E, beta carotene, and zinc for age-related macular degeneration and vision loss: AREDS report no. 8. Arch Ophthalmol 119(10):1417-1436, 2001.

  • The Age-Related Eye Disease Study 2 (AREDS2) Research Group, Chew EY, Clemons TE, et al: Secondary analyses of the effects of lutein/zeaxanthin on age-related macular degeneration progression: AREDS2 report No. 3. JAMA Ophthalmol 132(2):142-149, 2014. doi: 10.1001/jamaophthalmol.2013.7376.

Informações adicionais

  • NIH National Center for Complementary and Integrative Health: Zinc

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS