Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Gengibre

Por

Laura Shane-McWhorter

, PharmD, University of Utah College of Pharmacy

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A raiz de gengibre (Zingiber officinale) é extraída e transformada em comprimido, ou pode ser usada fresca, seca ou como suco ou óleo. Os ingredientes ativos incluem gingerol (que dá ao gengibre seu sabor e odor) e estragol.

Alegações

Alega-se que o gengibre seja um antiemético eficaz, em especial para náuseas relacionadas com movimento e na gestação e que alivie cólicas intestinais. O gengibre também é utilizado como anti-inflamatório e analgésico.

Evidências

Gengibre pode apresentar propriedades antibacterianas e efeitos antiplaquetários in vitro, mas os dados são inconsistentes.

Metanálises sugeriram possíveis benefícios do gengibre no controle de náuseas e vômitos no pós-operatório (1) e também na gestação (2), mas nenhum benefício para náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia (3).

As propriedades anti-inflamatórias e analgésicas do gengibre são menos bem embasadas. No entanto, uma revisão de 8 ensaios (481 participantes) indica um potencial efeito anti-inflamatório, o que pode reduzir a dor em algumas doenças, como a osteoartrite (4). Uma metanálise de 2015 de 5 estudos (593 indivíduos) descobriu que o gengibre foi apenas moderadamente eficaz para a osteoartrite (5).

Efeitos adversos

O gengibre geralmente não é lesivo, apesar de algumas pessoas sentirem uma sensação de queimação ao ingeri-lo. Náuseas, dispepsia e disgeusia são possíveis.

Interações medicamentosas

Teoricamente, o gengibre é contraindicado para pacientes que apresentem diáteses hemorrágicas ou utilizem fármacos antiplaquetários ou varfarina.

Referências sobre gengibre

  • Chaiyakunapruk N, Kitikannakorn N, Nathisuwan S, et al: The efficacy of ginger for the prevention of postoperative nausea and vomiting: a meta-analysis.Am J Obstet Gynecol194(1): 95-99, 2006. doi: 10.1016/j.ajog.2005.06.046.

  • Koen N, Musekiwa A, Viljoen E, et al: A systematic review and meta-analysis of the effect and safety of ginger in the treatment of pregnancy-associated nausea and vomiting. Nutr J Mar 19;13:20, 2014. doi: 10.1186/1475-2891-13-20.

  • Lee J, Oh H: Ginger as an antiemetic modality for chemotherapy-induced nausea and vomiting: a systematic review and meta-analysis. Oncol Nurs Forum40(2):163-170, 2013. doi: 10.1188/13.ONF.163-170.

  • Terry R, Posadzki P, Watson LK, et al: The use of ginger (Zingiber officinale) for the treatment of pain: a systematic review of clinical trials. Pain Med 12(12):1808-1818, 2011. doi: 10.1111/j.1526-4637.2011.01261.x.

  • Bartels EM, Folmer VN, Bliddal H, et al: Efficacy and safety of ginger in osteoarthritis patients: a meta-analysis of randomized placebo-controlled trials. Osteoarthritis Cartilage 23(1):13-21, 2015. doi: 10.1016/j.joca.2014.09.024. 

Informações adicionais

  • NIH National Center for Complementary and Integrative Health: Ginger

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS