honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Ultrassonografia

Por

Mehmet Kocak

, MD, Rush University Medical Center

Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Na ultrassonografia um gerador de sinal é associado a um transdutor. Cristais piezoelétricos no gerador de sinais convertem eletricidade em ondas de som de alta frequência que são enviadas aos tecidos. Os tecidos dispersam, refratam e a atenuam as ondas de som em vários graus. As ondas de som que são refletidas de volta (ecos) são convertidas em sinais elétricos. O computador analisa os sinais e apresenta uma imagem anatômica na tela.

A ultrassonografia é portátil, amplamente disponível, relativamente barata e segura. Não é usada radiação.

Usos da ultrassonografia

A ultrassonografia pode identificar tumores superficiais e corpos estranhos (p. ex., na glândula tireoide, mamas, testículos, membros e alguns linfonodos). Em estruturas mais profundas, outros tecidos e densidades (p. ex., osso e ar) podem interferir nas imagens.

A ultrassonografia é comumente usada para avaliar:

Também pode-se utilizar ultrassonografia para orientar a coleta de amostras para biópsia e a inserção de cateteres intravenosos.

Algumas vezes a ultrassonografia é feita internamente, usando um pequeno transdutor na ponta de um endoscópio ou de um cateter vascular.

Variações da ultrassonografia

As informações da ultrassonografia podem ser apresentadas de várias maneiras.

Modo A

É o modo de exibição mais simples; os sinais elétricos são registrados como picos em um gráfico. O eixo vertical (Y) da apresentação mostra a amplitude do eco e o horizontal (X) mostra a profundidade.

Esse tipo de ultrassonografia é utilizado para mapeamento oftalmológico.

Modo B (escala de cinzas)

Esse modo é mais frequentemente utilizado em imagens diagnósticas; os sinais elétricos são exibidos como uma imagem 2D.

O modo B é comumente usado para avaliar o feto em desenvolvimento e múltiplos órgãos, incluindo fígado, baço, rins, tireoide, testículos, mamas, útero, ovários e próstata.

A ultrassonografia em modo B é rápida o suficiente para mostrar movimentos em tempo real, como o movimento de uma batida do coração ou de vasos sanguíneos pulsantes. As imagens em tempo real fornecem informações anatômicas e funcionais.

Modo M

Esse modo é utilizado para imagens de estruturas em movimento; os sinais elétricos refletidos pelas estruturas em movimento são convertidos em ondas exibidas continuamente ao longo de um eixo vertical.

O modo M é usado primariamente para avaliação dos batimentos cardíacos fetais e em imagens cardíacas, principalmente em doenças valvares.

Doppler

Este tipo de ultrassonografia é utilizado para avaliar o fluxo sanguíneo. A ultrassonografia Doppler usa o efeito Doppler (alteração da frequência do som pela reflexão a partir de um objeto em movimento). Os objetos em movimento são as hemácias no sangue.

Informações sobre a direção e a velocidade do fluxo sanguíneo podem ser determinadas pela análise das alterações na frequência das ondas de som:

  • Se uma onda de som refletida tem frequência menor do que a onda de som transmitida, o fluxo do som está para longe do transdutor.

  • Se uma onda de som refletida tiver uma frequência mais elevada do que a onda de som transmitida, o fluxo está na direção do transdutor.

  • A magnitude da alteração da frequência é proporcional à velocidade do fluxo de sangue.

Alterações na frequência de ondas de som refletidas são convertidas em imagens mostrando a direção e a velocidade do fluxo de sangue.

A ultrassonografia por Doppler também é utilizada

  • Para avaliar a vascularização dos tumores e órgãos

  • Para avaliar a função cardíaca (p. ex., como para ecocardiografia)

  • Para detectar oclusão e estenose dos vasos sanguíneos

  • Para detectar coágulos sanguíneos nos vasos sanguíneos (p. ex., na trombose venosa profunda)

Ultrassonografia espectral por Doppler exibe informações do fluxo sanguíneo como um gráfico com a velocidade no eixo vertical e o tempo no eixo horizontal. É possível medir velocidades específicas se o ângulo do Doppler (o ângulo entre a direção do feixe de ultrassom e a direção do fluxo sanguíneo) puder ser determinado. As medições da velocidade e aparência do traçado do Doppler espectral podem indicar a gravidade da estenose vascular.

Ultrassonografia duplex Doppler combina a apresentação gráfica da ultrassonografia espectral com imagens em modo B.

A ultrassonografia com Doppler colorido converte as informações do fluxo sanguíneo em uma imagem colorida por Doppler com o fluxo sanguíneo na respectiva cor; são exibidas na imagem anatômica ultrassonográfica na escala de cinza. A direção do fluxo sanguíneo é indicada pela tonalidade da cor (p. ex., vermelho para o fluxo sanguíneo para o transdutor, azul para o fluxo sanguíneo para fora do transdutor). A velocidade média do fluxo sanguíneo é indicada pelo brilho da cor (p. ex., vermelho brilhante indica fluxo de alta velocidade para o transdutor; azul escuro indica baixa velocidade de fluxo para fora do transdutor).

Desvantagens da ultrassonografia

A qualidade da imagem depende da habilidade do operador.

Obter imagens claras das estruturas alvo pode ser tecnicamente difícil em pacientes com excesso de peso.

A ultrassonografia não pode ser utilizada para obter imagens através de ossos ou gases, assim é difícil a obtenção de algumas imagens.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS