Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Rupturas no tendão do bíceps braquial

Por

Danielle Campagne

, MD, University of San Francisco - Fresno

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Rupturas no tendão do bíceps braquial podem envolver a inserção do tendão no ombro ou no cotovelo. Ocorre dor aguda no local da ruptura. Correção cirúrgica geralmente é necessária.

O músculo bíceps braquial tem dois tendões que se inserem proximalmente na escápula (tubérculo supraglenoidal e processo coracoide do ombro) e um tendão que se insere distalmente no rádio no cotovelo (tuberosidade radial). Rupturas proximais no tendão do bíceps braquial são mais comuns que as rupturas em sua inserção distal.

As rupturas no tendão do bíceps braquial são causadas por um evento repentino e vigoroso (p. ex., levantar um objeto pesado) ou extensão ou torção vigorosa do cotovelo. Essas rupturas geralmente ocorrem quando o tendão já está enfraquecido pelo uso excessivo (p. ex., como ocorre na musculação), que pode causar tendinite e, às vezes, desgaste do tendão. Em pacientes idosos, a tendinose degenerativa, que enfraquece os tendões do bíceps braquial, aumenta o risco de ruptura. Outros fatores que podem enfraquecer um tendão podem aumentar o risco de ruptura, mas sua contribuição para as rupturas do bíceps braquial não foi bem estudada.

A lesão que rompeu o tendão do bíceps braquial também pode danificar outras estruturas no ombro (p. ex., manguito rotador).

Rupturas do tendão do bíceps podem ser parciais ou completas.

Sinais e sintomas

Rupturas no tendão do bíceps braquial causam dor súbita e intensa na parte superior do membro superior e no ombro ou perto do cotovelo, dependendo da localização da ruptura. A dor piora ao levantar ou puxar um peso. Outros sintomas são hematoma, edema e fraqueza. Além disso, o músculo desinserido pode formar uma protuberância no braço (deformidade de Popeye).

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

  • Ultrassonografia

  • RM

Pode-se diagnosticar rupturas no tendão do bíceps braquial com base na anamnese e no exame físico. O exame e testes especiais (p. ex., teste de gancho) podem sugerir qual tendão está lesionado e se o tendão está rompido. Para o teste de gancho, o cotovelo flexionado é supinado, e o examinador tentam prender seu dedo indicador sob o tendão intacto do bíceps braquial a partir do aspecto lateral. Se o tendão do bíceps braquial está rompido (avulsão distal), não há estrutura semelhante a cordão para palpar ou prender.

Ultrassonografia musculoesquelética costuma ser usada para examinar o ombro e é precisa para o diagnóstico de rupturas completas do tendão proximal do bíceps braquial. A ultrassonografia é menos útil para rupturas parciais e rupturas do tendão distal do bíceps braquial.

A RM pode confirmar o diagnóstico, mas geralmente não é necessária.

Tratamento

  • Em geral, correção cirúrgica

O tratamento de rupturas do tendão distal do bíceps braquial é frequentemente correção cirúrgica o mais rápido possível.

Às vezes, tratam-se de modo conservador as rupturas do tendão distal do bíceps braquial, pois se um dos dois tendões do ombro está intacto, esse tendão poderá manter a função.

Entretanto, frequentemente é necessária cirurgia para o reparo de rupturas dos tendões proximais, especialmente quando existem outras lesões no ombro.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Vídeo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tecido conjuntivo musculoesquelético
Modelo 3D
Tecido conjuntivo musculoesquelético

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS