Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Deficiência de proteína Z

Por

Joel L. Moake

, MD, Baylor College of Medicine

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

Como a proteína Z ajuda a inativar o fator de coagulação Xa, a deficiência ou disfunção da proteína Z predispõe à trombose venosa (principalmente em pacientes com outras alterações da coagulação).

A proteína Z, uma proteína vitamina K-dependente, funciona como um cofator de regulação para menos da coagulação mediante formação de um complexo com a proteína plasmática, o inibidor de protease Z-dependente. O complexo predominantemente inativa os fatores Xa, XI e IX nas superfícies de fosfolipídios.

A consequência da deficiência congênita da proteína Z ou ZPI, ou dos autoanticorpos adquiridos contra a proteína Z, na fisiopatologia da trombose, da perda fetal e do câncer (ovariano ou gástrico) não está inteiramente elucidada; entretanto, um defeito na proteína Z ou ZPI pode fazer a trombose ser mais provável se o paciente tiver outra anomalia congênita da coagulação (p. ex., fator V de Leiden) ou anticorpos adquiridos contra alguma proteína de ligação aos fosfolipídios (anticorpo antifosfolipídico).

A quantificação da proteína Z, e autoanticorpos da proteína Z, é feita em laboratórios regionais especializados por meio de eletroforese plasmática, imunotransferência e ensaio imunoabsorvente ligado a enzimas.

Ainda não se sabe se terapia de anticoagulantes ou profilaxia é indicada na deficiência da proteína Z ou de protease Z-dependente.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS