Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Angiomatose bacilar

(Angiomatose epitelioide)

Por

Larry M. Bush

, MD, FACP, Charles E. Schmidt College of Medicine, Florida Atlantic University;


Maria T. Perez

, MD, Wellington Regional Medical Center, West Palm Beach

Última modificação do conteúdo abr 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Angiomatose bacilar é uma infecção cutânea causada pelas bactérias Gram-negativas Bartonella henselae ou B. quintana.

A angiomatose bacilar quase sempre ocorre em pessoas imunocomprometidas e caracteriza-se por lesão verrucosa, protuberante e avermelhada na pele, frequentemente rodeada por um colar de descamação. Lesões sangram profusamente se traumatizadas. Elas podem se assemelhar ao sarcoma de Kaposi ou a granulomas piogênicos.

A infecção por B. quintana é disseminada por piolhos; a infecção por B. henselae é provavelmente disseminada por pulgas de gatos domésticos. A doença pode se disseminar ao longo do sistema reticuloendotelial, causando peliose bacilar (peliose hepática devido à bactéria Bartonella), particularmente em pacientes com aids.

O diagnóstico da angiomatose bacilar é confirmado por meio de histopatologia das lesões de pele, culturas e PCR. Deve-se notificar o laboratório sobre suspeita de Bartonella porque colorações especiais e incubação prolongada são necessárias.

O tratamento da angiomatose bacilar é feito com eritromicina, 500 mg VO a cada 6 h, ou doxiciclina, 100 mg VO a cada 12 h, continuamente, durante pelo menos 3 meses. Fluoroquinolonas e azitromicina são alternativas.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS