Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Problemas de coordenação

Por

Hector A. Gonzalez-Usigli

, MD, HE UMAE Centro Médico Nacional de Occidente

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os problemas de coordenação são resultantes da disfunção do cerebelo, a parte do cérebro que coordena os movimentos voluntários e controla o equilíbrio.

  • O cerebelo não funciona bem, o que causa a perda de coordenação.

  • Geralmente, as pessoas não conseguem controlar os braços e as pernas, o que faz elas darem passos amplos e instáveis, quando caminham.

  • Os médicos baseiam o diagnóstico nos sintomas, no histórico familiar, na imagem por ressonância magnética do cérebro e frequentemente em testes genéticos.

  • Se for possível, a causa é corrigida, se não for, o tratamento foca no alívio de sintomas.

O cerebelo é a parte do cérebro mais envolvida na coordenação de sequência de movimentos. Controla também o equilíbrio e a postura. Qualquer fator que lesione o cerebelo pode causar perda de coordenação (ataxia).

Causas

As principais causas de problemas de coordenação são

  • Uso de álcool excessivo, prolongado que permanentemente lesiona o cerebelo

Menos comumente, outras doenças, como glândula tireoide hipoativa (hipotireoidismo), deficiência de vitamina E e tumores no cérebro, podem causar problemas de coordenação. Algumas doenças hereditárias, como a ataxia de Friedreich, causam a perda de coordenação.

Raramente, em pessoas com câncer (especialmente câncer pulmonar), o sistema imunológico apresenta mau funcionamento e ataca o cerebelo ‑ uma reação autoimune. Essa doença, chamada degeneração cerebelar subaguda, resulta na perda de coordenação.

Certos medicamentos (como medicamentos anticonvulsivantes), principalmente quando são administrados em altas doses, podem causar problemas de coordenação. Nesses casos, o problema pode desaparecer quando se interrompe o uso do medicamento.

Você sabia que...

  • A causa mais comum dos problemas de coordenação é o uso prolongado e em excesso de álcool.

Tabela
icon

Causas de problemas de coordenação

Tipos

Exemplos

Problemas que afetam o cerebelo

Defeitos congênitos do cerebelo

Sangramento (hemorragia) no cerebelo

Tumores no cerebelo, particularmente em crianças

Lesões na cabeça (repetidas)

Acidente vascular cerebral que afeta o cerebelo

Doenças hereditárias

Outras doenças

Insolação ou febre extremamente alta

Glândula tireoide com baixa atividade (hipotireoidismo)

Medicamentos e substâncias tóxicas

Uso de álcool (excessivo e prolongado)

Medicamentos anticonvulsivantes, como fenitoína, particularmente em doses altas e tomados por um longo período de tempo

Metais pesados, como mercúrio ou chumbo

Sedativos (como as benzodiazepinas) em doses elevadas

Sintomas

A perda de coordenação priva as pessoas de serem capazes de controlar a posição de seus braços e pernas ou sua postura. Assim, quando caminham, dão passos largos e cambaleantes e fazem movimentos amplos e em zigue-zague com os braços.

Os problemas de coordenação podem causar outras anomalias, como:

  • Dismetria: As pessoas não conseguem controlar a amplitude dos movimentos do corpo. Por exemplo, ao tentar alcançar um objeto, as pessoas com dismetria podem levar a mão para depois deste.

  • Disartria: A fala fica incompreensível e as flutuações em volume não podem ser controladas, pois os músculos da fala estão descoordenados. O movimento dos músculos ao redor da boca pode ser exagerado.

  • Explosão da fala: As pessoas falam em uma voz monótona com uma tendência a hesitar no início de uma palavra ou sílaba.

  • Nistagmo: Quando se observa um objeto, os olhos podem errar o alvo e pode ocorrer o nistagmo. Neste caso, os olhos se movem repetidamente e rápido, em uma direção, depois voltam lentamente a sua posição original.

  • Tremor: a lesão no cerebelo também pode causar um tremor quando as pessoas tentam um movimento intencional, como alcançar um objeto (tremor intencional) ou quando tentam manter um membro esticado em uma posição (tremor postural).

  • Ataxia: a coordenação é perdida. As pessoas podem ficar instáveis ao caminhar e podem dar passos largos. Elas podem ter que se apoiar em móveis e paredes para se locomoverem.

O tônus muscular pode diminuir.

Ataxia de Friedreich

A ataxia de Friedreich é um distúrbio hereditário. O gene para ataxia de Friedreich é recessivo. Por isso, para desenvolver a doença, as pessoas precisam herdar duas cópias do gene anormal, uma de cada genitor.

A ataxia de Friedreich é progressiva. Caminhar torna-se instável entre as idades de 5 e 15 anos. Depois, os movimentos do braço ficam descoordenados e a fala fica incompreensível e difícil de entender.

Muitas crianças com esta doença nascem com um pé torto, coluna vertebral curvada (escoliose) ou os dois.

As pessoas com ataxia de Friedreich não conseguem sentir vibrações, nem sentir onde estão os braços e as pernas (perdem o senso de posicionamento) e não têm mais reflexos. A função mental pode deteriorar. Se houver tremor, é leve.

Problemas cardíacos frequentemente desenvolvem-se e tornam-se progressivamente piores.

No final da segunda década de vida, as pessoas com ataxia de Friedreich podem ficar confinadas a uma cadeira de rodas. O óbito geralmente ocorre até a meia-idade, muitas vezes por arritmia ou insuficiência cardíaca.

Ataxias espinocerebelares

O gene para ataxias espinocerebelares (spinocerebellar ataxias, SCAs) é dominante. Assim, ter apenas uma cópia do gene anormal, herdado de um dos pais, é suficiente para causar a doença. Existem muitos diferentes tipos dessas ataxias. Mundialmente, a SCA tipo 3 (anteriormente denominada doença de Machado-Joseph) pode ser a mais comum. Essas doenças são progressivas, degenerativas e com frequência acabam sendo fatais. Não existe tratamento eficaz conhecido.

Os sintomas de SCAs variam por tipo, mas a maioria causa problemas com sensação (por exemplo, as pessoas têm pouca sensação de dores, toque e vibrações ou não sentem nada), fraqueza muscular e síndrome das pernas inquietas, assim como perda de coordenação. As pessoas apresentam problemas com equilíbrio, fala e movimentos oculares. Alguns tipos normalmente causam apenas perda de coordenação.

As SCAs são uma causa comum de tremores intencionais (iniciados por um movimento com um objetivo). As pessoas podem apresentar sintomas que se parecem com aqueles da doença de Parkinson (parkinsonismo), tais como tremores e músculos rígidos.

Algumas pessoas com doença de Machado-Joseph apresentam outros sintomas além de perda de coordenação e tremores. Seus movimentos oculares podem ficar comprometidos, seus músculos faciais e a língua podem contrair-se descontroladamente e seus olhos podem ficar abaulados.

Algumas pessoas apresentam contrações musculares de longa duração (contínuas), dolorosas e involuntárias (distonia).

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Geralmente, imagem por ressonância magnética

  • Exames genéticos

O diagnóstico de problemas de coordenação é baseado em sintomas. Os médicos também perguntam sobre parentes que tiveram sintomas semelhantes (histórico familiar) e sobre os quadros clínicos que poderiam causar os sintomas.

Imagem por ressonância magnética (RM) do cérebro é em geral realizada.

Testes genéticos estão sendo cada vez mais realizados em pessoas que podem ter um histórico familiar de problemas de coordenação.

Tratamento

  • Tratamento da causa, se possível

  • Fisioterapia e terapia ocupacional

A causa é eliminada ou tratada, se possível. Por exemplo, se o problema de coordenação for causado pelo consumo de álcool, este é eliminado. Se for causado por uma alta dose de um medicamento (como fenitoína), a dose é reduzida. Alguns problemas subjacentes, como hipotireoidismo e deficiência de vitamina E, podem ser tratados. A cirurgia pode ajudar algumas pessoas com tumor no cérebro.

Não há cura para doenças hereditárias de coordenação. Nesses casos, o tratamento foca o alívio de sintomas.

Os fisioterapeutas podem ensinar às pessoas exercícios específicos que podem ajudar a melhorar o equilíbrio, a postura e a coordenação. Esses exercícios podem ajudar as pessoas a caminhar mais normalmente e a funcionar mais independentemente. Os terapeutas ocupacionais também podem recomendar dispositivos que possam ajudar com o caminhar, alimentar-se e outras atividades diárias. A fonoaudiologia também pode ajudar.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS