Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Cocaína

(Crack)

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Grand Strand Medical Center

Avaliação/revisão completa jun 2020
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE

A cocaína é uma droga estimulante viciante, produzida a partir de folhas de uma planta chamada coca.

A cocaína tem efeitos semelhantes aos das anfetaminas Sintomas As anfetaminas são medicamentos estimulantes que são usados para tratar determinados quadros clínicos, mas também são passíveis de abuso. As anfetaminas aumentam o estado de alerta, melhoram... leia mais . Ela pode ser aspirada, injetada diretamente em uma veia ou aquecida e inalada. Quando fervida com bicarbonato de sódio, a cocaína é convertida em uma forma de base livre chamada crack. Aquecer o crack libera vapor de cocaína, que pode ser inalado. Inalar o vapor é normalmente mencionado como fumar, mas o crack não é, realmente, queimado. O crack age quase tão rápido quanto a cocaína injetada por via intravenosa.

Usuários intensos regulares e pessoas que injetam a droga por via intravenosa, ou que a fumam, são mais propensas a se tornar dependentes. Usuários leves ocasionais e pessoas que usam a droga por via nasal ou oral têm menos propensão a se tornarem dependentes.

Sintomas

O uso de cocaína causa tanto sintomas imediatos como de longo prazo.

Efeitos imediatos

Quando injetada por via intravenosa ou quando é inalada, a cocaína provoca uma sensação extrema de alerta, de euforia e de grande poder. Esses sentimentos são menos intensos quando a cocaína é aspirada. Como os efeitos da cocaína podem durar somente por pouco tempo, os usuários podem injetar, fumar ou cheirar a cada 15 ou 30 minutos. O uso excessivo, geralmente por vários dias, leva à exaustão e a uma necessidade de dormir.

Overdose

Doses elevadas podem prejudicar o discernimento e provocar tremores, nervosismo extremo, convulsões, alucinações, insônia, delírios paranoides, delirium e comportamento violento. A pessoa transpira profusamente e as pupilas ficam dilatadas. Doses muito elevadas podem provocar uma temperatura corporal muito elevada que pode ser letal (hipertermia Síndrome serotoninérgica A síndrome serotoninérgica é uma reação a medicamento potencialmente fatal que tende a provocar temperatura corporal alta, espasmos musculares e ansiedade ou delírio. A serotonina é uma substância... leia mais ).

Efeitos no longo prazo

Os usuários de uso prolongado podem desenvolver tolerância Intoxicação , precisando de quantidades cada vez maiores da droga para ter os mesmos efeitos. Usuários de uso prolongado podem lesionar o tecido que separa as duas metades do nariz (septo), causando lesões (úlceras) que podem precisar de cirurgia. O uso intenso pode prejudicar a função mental, incluindo atenção e memória. O uso crônico pode também danificar o coração, causar fibrose e espessamento do músculo cardíaco e acabar dando origem a insuficiência cardíaca Insuficiência cardíaca (IC) Insuficiência cardíaca é um distúrbio em que o coração não consegue suprir as necessidades do corpo, causando redução do fluxo sanguíneo, refluxo (congestão) de sangue nas veias e nos pulmões... leia mais Insuficiência cardíaca (IC) . A cocaína pode conter muitos preenchedores, adulterantes e contaminantes que, quando injetados, podem levar a complicações, como infecções.

Sintomas de abstinência

As reações de abstinência (síndrome de dependência de cocaína) incluem fadiga extrema, sonolência e depressão, o oposto aos efeitos da droga. O apetite aumenta e a pessoa tem problemas para se concentrar. A vontade de se suicidar surge quando a pessoa deixa de usar a droga.

Você sabia que...

  • O uso de cocaína pode provocar morte repentina.

Diagnóstico

  • Avaliação médica

  • Exames de urina

Os médicos costumam fazer o diagnóstico tomando por base os sintomas de pessoas que sabidamente usam cocaína. Exames de urina conseguem confirmar evidência de uso da droga.

Tratamento

  • Sedativos para agitação, hipertensão arterial ou convulsões

  • Psicoterapia (para tratar o vício)

Tratamento de emergência

A cocaína é uma droga de ação muito curta, portanto, o tratamento de reações desconfortáveis não é normalmente necessário. A pessoa que estiver muito agitada ou delirante ou que tiver convulsões ou hipertensão arterial recebe benzodiazepínicos (sedativos), como lorazepam, por via intravenosa. Caso os sedativos não consigam controlar a pressão arterial, é possível que o médico administre nitratos ou outros medicamentos anti-hipertensivos por via intravenosa. Os médicos evitam usar medicamentos anti-hipertensivos chamados betabloqueadores, porque eles podem piorar o efeito da cocaína sobre a pressão arterial. A hipertermia deve também ser tratada com terapia de resfriamento, como molhar o paciente e usar um ventilador para soprar a pele ou utilizar mantas frias especiais.

Desintoxicação e reabilitação

A abstinência do uso prolongado de cocaína pode requerer monitoramento atento, pois a pessoa pode se tornar depressiva e suicida. Pode ser necessária internação em um hospital ou em um centro de tratamento. A psicoterapia é o método mais eficaz para tratar a toxicodependência da cocaína. Muitos grupos de autoajuda e linhas de suporte para usuários de cocaína estão disponíveis, para ajudar a pessoa a permanecer livre da droga.

Mais informações sobre cocaína

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS