Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Síndrome do X frágil

Por

Nina N. Powell-Hamilton

, MD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

A síndrome do X frágil é uma anomalia genética no cromossomo X que leva a deficit intelectual e transtornos comportamentais.

A síndrome do X frágil é a causa mais comum hereditária do deficit intelectual, sendo os homens mais comumente afetados do que as mulheres. (A síndrome de Down é a causa mais comum de deficiência intelectual em homens; embora seja uma doença genética, a maioria dos casos ocorre esporadicamente e não é herdada.) Para informações adicionais, ver National Fragile X Foundation.

Os sintomas da síndrome do X frágil são causados por uma anormalidade do gene FMR1 no cromossomo X. A anormalidade é uma expansão tripla repetida instável; as pessoas não afetadas têm < 54 repetições CGG e pessoas com a síndrome do X frágil tem > 200. Considera-se que as pessoas com 55 a 200 repetições CGG têm uma pré-mutação pois o maior número de repetições aumenta a probabilidade de que uma outra mutação resultará em > 200 repetições em uma geração subsequente. Por causa do número relativamente pequeno de pares de bases envolvidas, a síndrome do X frágil não é uma anormalidade cromossômica.

A síndrome do X frágil afeta cerca de 1/4.000 homens e 1/8.000 mulheres. A pré-mutação é mais comum. As mulheres com a disfunção são menos afetadas do que os homens. O X frágil é herdado em um padrão ligado ao X e nem sempre provoca sintomas clínicos.

No passado, o exame do cariótipo revela constrição no final do braço longo do cromossomo X, seguido por fino cordão de material genético, razão pela qual a síndrome era considerada uma anormalidade cromossômica. Mas esse defeito estrutural não aparece quando técnicas citogenéticas modernas são usadas, e essa é a razão pela qual a síndrome do X frágil é agora considerada uma doença de um único gene, e não uma anomalia cromossômica.

Sinais e sintomas

Os portadores da síndrome do X frágil podem ter anormalidades físicas, cognitivas e comportamentais. As características típicas incluem orelhas grandes e salientes; queixo e testa proeminentes; palato alto arqueado; e nos homens pós-púberes, macro-orquidismo. Articulações podem ser hiperextensíveis e cardiopatia (prolapso da valva mitral) pode ocorrer.

Anormalidades cognitivas podem incluir inabilidade intelectual leve a moderada. Aspectos de autismo podem se desenvolver, incluindo constância na fala e no comportamento, contato visual deficiente e ansiedade social.

Mulheres com a pré-mutação podem ter insuficiência ovariana prematura; às vezes a menopausa ocorre por volta dos 30 anos de idade.

Diagnóstico

  • Exames de DNA

Dependendo da gravidade, o diagnóstico só é feito na idade escolar ou na adolescência. Deve-se pesquisar em meninos com autismo e deficit intelectual a síndrome do X frágil, sobretudo quando eles têm parentes maternos similarmente afetados. A análise do DNA molecular é feita para detectar se há aumento no número de repetições CGG.

Tratamento

  • Medidas de suporte

Intervenção precoce, incluindo fonoterapia e terapia ocupacional, pode ajudar as crianças com a síndrome do X frágil a maximizar suas habilidades.

Estimulantes, antidepressivos e ansiolíticos podem beneficiar algumas crianças.

Informações adicionais

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral do vírus da imunodeficiência humana (HIV)
Vídeo
Visão geral do vírus da imunodeficiência humana (HIV)
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrose cística: transporte defeituoso de cloreto
Modelo 3D
Fibrose cística: transporte defeituoso de cloreto

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS