Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Síndrome de anticorpos antifosfolipídeos (SAF)

(Síndrome do anticorpo anticardiolipina; síndrome do anticoagulante lúpico)

Por

Joel L. Moake

, MD, Baylor College of Medicine

Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Recursos do assunto

Síndrome do anticorpo antifosfolípidio é uma doença autoimune na qual os pacientes têm autoanticorpos contra as proteínas ligadas aos fosfolipídios. Podem ocorrer trombos venosos ou arteriais. A fisiopatologia não é precisamente conhecida. O diagnóstico é feito por meio de exames de sangue. A anticoagulação costuma ser usada para prevenção e tratamento.

Síndrome do anticorpo antifosfolípidio (SAF) é uma doença autoimune que consiste em trombose e (na gestação) perda fetal causada por vários anticorpos autoimunes direcionados contra umas ou mais proteínas ligadas a fosfolipídios (p. ex., beta2-glicoproteína 1, protrombina, anexina A5).

A anexina A5 liga-se à membrana do fosfolipídio para proteger a membrana celular contra a iniciação da ativação da coagulação. Se os autoanticorpos deslocarem a anexina A5, as superfícies celulares endoteliais pró-coagulantes podem ser expostas e causarem trombose arterial ou venosa.

O mecanismo preciso da trombose nos pacientes com autoanticorpos contra a glicoproteína 1 beta2 ligada aos fosfolipídios é desconhecido.

Resultados de testes de coagulação in vitro podem ser paradoxalmente prolongados porque os autoanticorpos contra as proteínas ligada aos fosfolipídios interferem na produção dos fatores da coagulação e na ativação dos componentes fosfolipídicos acrescentados ao plasma para iniciar os testes. O anticoagulante do lúpus é um autoanticorpo que liga-se aos complexos da proteína ligada a antifosfolipídios. Inicialmente reconhecido nos pacientes com lúpus eritematoso sistêmico, mas esses pacientes agora são a minoria das pessoas com este autoanticorpo.

Outros sintomas de trombose venosa ou arterial também podem aparecer. Pacientes com autoanticorpos contra a protrombina ligada aos fosfolipídios podem ter níveis de protrombina circulantes suficientemente baixos para aumentar o risco de sangramento. Alguns pacientes têm trombocitopenia.

Síndrome catastrófica de anticorpos antifosfolipídios

Em uma pequena proporção de pacientes com SAF, ocorre trombose generalizada nos pequenos vasos que irrigam vários órgãos, frequentemente causando defeitos neurológicos. A síndrome é chamada SAF catastrófica (SAFC) e pode ser confundida com a coagulação intravascular disseminada (CID), a trombocitopenia induzida pela heparina (TIH) e a microangiopatia trombótica (MAT). Seu tratamento inclui altas doses de corticosteroides, anticoagulação, plasmaférese e, algumas vezes, rituximabe, um anticorpo monoclonal anti-CD20, ou eculizumabe, um anticorpo do componente 5 do anticomplemento (C5).

Diagnóstico

  • Exames laboratoriais, começando com o tempo de tromboplastina parcial (PTT)

O PTT é feito para pacientes que podem ser submetidos a algum procedimento invasivo ou para aqueles com sangramento ou coagulação sem explicação. Suspeitar a existência de anticoagulante lúpico se o PTT estiver alargado e não for corrigido imediatamente na mistura 1:1 com plasma normal, mas retornar ao nível normal depois do acréscimo de uma quantidade maciça de fosfolipídios.

Anticorpos antifosfolipídios no plasma do paciente são medidos diretamente por imunoensaios de anticorpos de IgG e IgM que se ligam aos complexos fosfolipídios/beta2-glicoproteína 1 nas placas de microtiter.

Tratamento

  • Anticoagulação

Heparina, varfarina (exceto em gestantes) e ácido acetilsalicílico são utilizados para profilaxia e tratamento.

É possível, mas ainda incerto, que os anticoagulantes orais diretos (AOD) inibidores da trombina (dabigratana) ou do fator Xa (p. ex., rivaroxabana e apixabana) possam ser utilizados em vez da heparina ou da varfarina para tratar essa doença.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral do receptor de ADP
Vídeo
Visão geral do receptor de ADP
Os receptores do difosfato de adenosina (ADP) são proteínas integrais incorporadas à membrana...
Visão geral da leucemia
Vídeo
Visão geral da leucemia

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS