Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Prurido anal (comichão anal)

Por

Parswa Ansari

, MD,

Última modificação do conteúdo jul 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A pele perianal tende a coçar, o que pode resultar de inúmeras causas ( Algumas causas de prurido anal). Essa condição também é conhecida como prurido anal. Ocasionalmente, a irritação é mal interpretada pelo paciente como dor; assim, outras causas da dor perianal (p. ex., abscesso ou câncer) devem ser descartadas.

Etiologia

A maior parte do prurido anal é

  • Idiopático (a maioria)

  • Relacionado com a higiene

Má higiene deixa fezes irritantes e resíduo de suor na pele anal. Limpeza em excesso, frequentemente com lenços umedecidos e sabonetes fortes, pode secar ou irritar a pele ou ocasionalmente causar uma reação de hipersensibilidade ao contato. Hemorroidas externas grandes podem dificultar a limpeza pós-defecação, e hemorroidas internas grandes podem causar drenagem de muco ou sujidade fecal e consequente irritação.

Outras causas distintas são raramente identificadas, mas vários fatores foram implicados ( Algumas causas de prurido anal).

Em jovens e idosos, a incontinência fecal e urinária predispõe à irritação local e a infecções secundárias por cândida.

Depois que ocorre o prurido, resultante de qualquer causa, pode iniciar-se um ciclo de prurido-coçar-prurido, em que o coçar produz mais prurido. Muitas vezes, a pele fica execrada e secundariamente infectada, causando ainda mais prurido. Além disso, tratamentos tópicos contra prurido e infecção podem ser sensibilizantes, causando ainda mais prurido.

Tabela
icon

Algumas causas de prurido anal

Causa

Achados sugestivos

Abordagem diagnóstica

Doenças anorretais

Secreção purulenta

Dor no reto (às vezes) e/ou abdome (frequente)

Às vezes fístula drenante

Às vezes diarreia

Anoscopia, sigmoidoscopia ou colonoscopia

Hemorroidas (internas ou externas)

Em caso de hemorroidas internas, sangramento (uma pequena quantidade de sangue no papel higiênico ou no vaso sanitário)

Em caso de hemorroidas externas, um nódulo inchado doloroso no ânus

Avaliação clínica

Normalmente, anuscopia ou sigmoidoscopia

Infecções

Infecção bacteriana (secundária ao coçar)

Área execrada inflamada

Avaliação clínica

Um exantema em torno do ânus

Avaliação clínica

Às vezes, exame dos raspados epidérmicos

Frequentemente em crianças

Às vezes presentes em vários membros da família

Exame microscópico da fita transparente que foi aplicada à área anal para verificar se há oxiuros (ver diagnóstico de oxiuros)

Prurido intenso, normalmente pior à noite

Possivelmente prurido em outras áreas do corpo

Possivelmente linhas rosas, finas ligeiramente elevadas ou saliências (covas) nas áreas afetadas

Avaliação clínica

Exame dos raspados epidérmicos

Doenças cutâneas

Um exantema vermelho, inchado e áspero que causa prurido

Avaliação clínica

Carcinoma perianal (p. ex., doença de Bowen, doença de Paget extramamária)

Lesão escamosa ou áspera

Biópsia

Placas psoriáticas típicas

Às vezes, placas em outras áreas da pele

Avaliação clínica

Pequeno retalho de tecido no ânus

Avaliação clínica

Fármacos

Antibióticos

Uso atual ou recente de antibióticos

Teste de eliminação

Suplementos alimentares e dietéticos

Cerveja, cafeína, chocolate, pimenta de cheiro, produtos lácteos, oleaginosas, produtos à base de tomate, frutas cítricas, especiarias ou comprimidos de vitamina C

Os sintomas só aparecem após a ingestão da substância

Teste de eliminação

Problemas relacionados com higiene

Transpiração excessiva descrita pela pessoa, particularmente com uso de roupas apertadas e/ou sintéticas

Análise das medidas para limitar a transpiração (p. ex., usar roupas íntimas soltas de algodão, trocar roupas íntimas com frequência)

Limpeza excessivamente agressiva ou meticulosa da área anal

Má higiene

Práticas de limpeza inadequadas descritas pelo paciente

Tentativa de mudança nas práticas de limpeza

Irritantes à pele

Anestésicos locais, pomadas, sabonetes e lenços umedecidos

Utilização de uma substância possivelmente irritante ou sensibilizante descrita pelo paciente

Teste de eliminação

Avaliação

História

A história da doença atual deve observar se o problema é agudo ou recorrente. Deve-se perguntar ao paciente sobre agentes tópicos aplicados ao ânus, incluindo lenços umedecidos, pomadas (mesmo aquelas usadas para o tratamento do prurido), sprays e sabonetes. Os perfis de dieta e fármacos devem ser revisados a procura de agentes causadores ( Algumas causas de prurido anal), particularmente alimentos ácidos e condimentados. Uma noção geral de higiene deve ser obtida fazendo perguntas sobre a frequência dos banhos.

A revisão dos sistemas deve procurar sintomas dos distúrbios causadores, incluindo incontinência urinária ou fecal (irritação local), dor ou nódulo anal, sangue no papel higiênico (hemorroidas), diarreia com sangue e cólicas abdominais (doença inflamatória intestinal) e placas epidérmicas (psoríase).

A históra clínica anterior deve identificar condições conhecidas associadas a pruridos anais, particularmente cirurgia anorretal prévia, hemorroidas e diabetes.

Exame físico

O exame geral deve prover uma noção de higiene geral e observar quaisquer sinais de ansiedade ou comportamento obsessivo-compulsivo.

O exame físico é voltado à região anal, procurando especificamente alterações na pele perianal, sinais de coloração ou soilage fecal (sugerindo higiene inadequada) e hemorroidas. A inspeção externa também deve observar a integridade da pele perianal, se ela parece opaca ou espessada (sugerindo cronicidade) e a presença de quaisquer lesões cutâneas, fístulas, escoriações ou sinais de infecção local. O tônus do esfíncter é avaliado solicitando que o paciente contraia o esfíncter durante o exame retal digital. O paciente deve então ser solicitado a se curvar como se fosse para evacuar, o que pode mostrar hemorroidas internas prolapsadas. Pode ser necessária uma anuscopia para avaliação adicional a procura de hemorroidas anorretais.

O exame dermatológico pode revelar covas por escabiose na membrana interdigital ou couro cabeludo ou sinais de qualquer outra doença epidérmica sistêmica contribuinte.

Sinais de alerta

Os achados a seguir são particularmente preocupantes:

  • Fístula drenante

  • Diarreia sanguinolenta

  • Hemorroidas externas grandes

  • Hemorroidas internas prolapsadas

  • Soilage fecal perianal

  • Pele perianal pouco sensível ou espessa

Interpretação dos achados

Questões de higiene, utilização de agentes tópicos e distúrbios locais (p. ex., infecção por cândida, hemorroidas) geralmente são evidentes na história e no exame físico.

Em adultos com prurido agudo sem causa óbvia, deve-se considerar as substâncias ingeridas; um teste eliminando essas substâncias da dieta pode ser útil. Em crianças, deve-se suspeitar de oxiuros.

Em adultos com prurido crônico e sem causa aparente, pode haver envolvimento de higiene anal excessivamente agressiva.

Exames

Para muitos pacientes, um teste com tratamento empírico inespecífico é adequado, a menos que sejam observados achados específicos. Por exemplo, deve-se considerar realizar biópsias e/ou culturas das lesões visíveis de etiologia incerta. Se houver suspeita de oxiuros, que ocorrem mais frequentemente em crianças em idade escolar, os ovos podem ser detectados colocando-se uma tira de celofane gomada nas dobras perianais logo de manhã; a tira é colocada de cabeça para baixo em uma lâmina e visualizada microscopicamente.

Tratamento

Causas sistêmicas e infecções parasitárias ou fúngicas devem ser tratadas especificamente.

Alimentos e agentes tópicos suspeitos de causar prurido anal devem ser eliminados.

Medidas gerais

As roupas devem ser soltas, e as roupas de cama devem ser leves. Depois das evacuações, o paciente deve limpar a área anal com algodão absorvente ou com um pano macio umedecido com água ou uma preparação de limpeza perianal comercial para hemorroidas; deve-se evitar o uso de sabonetes e lenços umedecidos. A aplicação liberal e frequente de talco não medicamentoso ou amido de milho ajuda a combater a umidade. Unguento de acetato de hidrocortisona a 1%, aplicado qid por um breve período de tempo (< 1 semana), pode aliviar os sintomas. Algumas vezes talvez sejam necessários corticoides tópicos mais potentes.

Pontos-chave

  • Oxiuros em crianças e questões relacionadas com a higiene em adultos são causas comuns.

  • Alimentos e detergentes ou sabonetes podem causar prurido anal.

  • Praticar higiene adequada, não irritante (não insuficiente, mas também não demasiadamente vigorosa, evitando sabonetes e produtos químicos fortes) e diminuir a umidade local pode ajudar a aliviar os sintomas.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS