Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Estenose pilórica hipertrófica

Por

William J. Cochran

, MD, Geisinger Clinic

Última revisão/alteração completa jul 2017| Última modificação do conteúdo jul 2017
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A estenose pilórica hipertrófica é um bloqueio da passagem que leva para fora do estômago devido a um espessamento (hipertrofia) do músculo na junção entre o estômago e o intestino.

  • O músculo espessado cria um bloqueio parcial (obstrução) que interfere na passagem do conteúdo do estômago para o intestino delgado.

  • Os bebês se alimentam, mas vomitam com força (vômito projetado) logo após comer e podem, assim, ficar desidratados e subnutridos.

  • O diagnóstico se baseia nos resultados de um ultrassom abdominal.

  • Normalmente o problema é corrigido por líquidos administrados por via intravenosa e por uma cirurgia de pequeno porte.

O piloro é o esfíncter muscular localizado onde o estômago se une à primeira parte do intestino delgado (duodeno). Normalmente, o piloro se contrai para manter a comida no estômago para digestão e relaxa para deixar a comida passar para o intestino. Por razões que os médicos não entendem completamente, o piloro se torna espesso e às vezes se fecha (um quadro denominado estenose), bloqueando a saída de substâncias do estômago. Esse bloqueio geralmente ocorre nos primeiros um a dois meses de vida.

Fatores de risco para estenose pilórica

Os fatores de risco incluem

  • Ser do sexo masculino (sobretudo se o menino for o primeiro filho do casal)

  • Ter pais ou irmãos que tiveram estenose pilórica

  • Utilização de determinados antibióticos (por exemplo, eritromicina) durante as primeiras semanas de vida

  • Fumar durante a gestação

Em casos raros, crianças mais velhas têm obstrução pilórica causada por inchaço devido a úlceras pépticas ou um distúrbio incomum parecido com uma alergia alimentar (por exemplo, gastroenterite eosinofílica).

Sintomas

Os bebês com estenose pilórica sentem fome e se alimentam bem, mas vomitam com força (vômito projetado) logo após comer. Alguns bebês vomitam tanto que ficam desidratados e subnutridos. Até a desidratação se tornar grave ou os bebês ficarem gravemente subnutridos, eles parecem estar bem. Após vários dias a várias semanas, os bebês ficam cada vez mais desidratados e perdem peso. Alguns bebês apresentam uma coloração amarelada na pele e na parte branca dos olhos (icterícia) neste ponto.

Diagnóstico

  • Ultrassonografia abdominal

O médico pode ser capaz de sentir uma pequena protuberância (aproximadamente do tamanho de uma azeitona) no abdômen do bebê (o piloro aumentado). Mais comumente, o médico realiza uma ultrassonografia abdominal para confirmar o diagnóstico.

O médico pode fazer exames de sangue para avaliar a criança quanto à presença de desidratação e desequilíbrio eletrolítico (alcalose metabólica) causada por vômitos intensos.

Tratamento

  • Líquidos intravenosos

  • Procedimento cirúrgico

O médico administra hidratação intravenosa (pela veia) aos bebês para tratar a desidratação e corrigir o desequilíbrio eletrolítico.

Depois, o cirurgião corta o músculo espesso para aliviar o bloqueio, o que permite que a fórmula infantil ou leite materno entre no intestino delgado mais rapidamente. Essa cirurgia (denominada piloromiotomia) é de porte relativamente pequeno, e a maioria dos bebês pode comer um dia depois do procedimento.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Síndrome de aspiração de mecônio (SAM)
Vídeo
Síndrome de aspiração de mecônio (SAM)
Durante a gravidez, o trato intestinal do feto é revestido de material fecal verde escuro...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS