Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Rinite

Por

Marvin P. Fried

, MD, Montefiore Medical Center, The University Hospital of Albert Einstein College of Medicine

Última revisão/alteração completa jun 2020| Última modificação do conteúdo jun 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A rinite é inflamação e inchaço da membrana mucosa do nariz, caracterizada por corrimento nasal e entupimento, geralmente causados pelo resfriado comum ou uma alergia sazonal.

  • Resfriados e alergias são as causas mais comuns de rinites.

  • Os sintomas da rinite incluem corrimento nasal, espirros e congestão nasal.

  • O diagnóstico baseia-se nesses sintomas típicos.

  • As várias formas de rinite são tratadas de várias maneiras, com antibióticos, anti-histamínicos, cirurgia, injeções de dessensibilização (algumas vezes chamadas de injeções contra alergia) e evitando-se os agentes irritantes.

A rinite é classificada como alérgica ou não alérgica. A causa da rinite não alérgica é geralmente uma infecção viral, embora substâncias irritantes também possam causá-la. O nariz é a parte das vias respiratórias superiores que mais comumente sofre com infecções.

A rinite pode ser aguda (de curta duração) ou crônica (de longa duração). É frequente que a rinite aguda resulte de infecções virais, mas também pode ser o resultado de alergias, bactérias ou outras causas. A rinite crônica normalmente ocorre juntamente com a sinusite crônica (rinossinusite crônica).

Rinite alérgica

A rinite alérgica é causada por uma reação do sistema imune do organismo a um fator ambiental desencadeante. Os desencadeantes ambientais mais comuns são pó, mofos, pólens, ervas, árvores e animais. Ambas as alergias sazonais e as alergias durante o ano todo podem causar rinite alérgica.

Os sintomas de rinite alérgica consistem em coceira, espirros, secreção nasal, congestão nasal e olhos coçando e lacrimejando. As pessoas podem apresentar cefaleias e pálpebras inchadas e também tosse e sibilos.

O médico pode diagnosticar a rinite alérgica com base no histórico dos sintomas do indivíduo. Por vezes, a pessoa tem histórico familiar de alergias. Pode-se obter informação mais detalhada através de testes de sangue ou cutâneos.

Os seguintes tratamentos podem ajudar a evitar ou tratar os sintomas de rinite alérgica:

  • Evitar a substância que desencadeia a alergia previne os sintomas, mas nem sempre isso é possível.

  • Os sprays nasais de corticosteroides diminuem a inflamação nasal causada por muitas fontes e o seu uso a longo prazo é relativamente seguro.

  • Os anti-histamínicos ajudam a prevenir a reação alérgica e seus consequentes sintomas. Anti-histamínicos mais antigos ressecam a membrana mucosa do nariz, embora muitos deles também causem sonolência e outros problemas, em especial nos idosos. Alguns dos mais recentes requerem prescrição médica, mas não têm tantos efeitos colaterais.

  • Uma solução salina instilada no nariz (irrigação nasal) através de uma garrafa comprimida ou seringa de bulbo (irrigação nasal) ou usar um spray de salina conforme necessário também pode ajudar com os sintomas.

  • As injeções de dessensibilização que contêm pequenas quantidades de substâncias que desencadeiam a alergia (chamadas imunoterapias de dessensibilização ou, algumas vezes, injeções contra alergia) ajudam a constituir uma tolerância aos desencadeantes ambientais específicos, mas podem demorar meses ou anos para se tornarem completamente eficazes.

Os antibióticos não aliviam os sintomas da rinite alérgica.

Rinite não alérgica

Rinite viral aguda

A rinite viral aguda pode ser causada por uma variedade de vírus, geralmente o resfriado comum.

Os sintomas consistem em corrimento nasal, congestão, rinorreia posterior, tosse e febre baixa.

Pode-se aliviar a congestão nasal com descongestionantes, como oximetazolina ou fenilefrina em forma de spray nasal, ou pseudoefedrina por via oral. Esses fármacos de venda livre causam a estenose (constrição) dos vasos sanguíneos da membrana mucosa. Os sprays nasais devem ser utilizados apenas durante 3 ou 4 dias, porque depois deste tempo, quando os efeitos dos fármacos diminuem, a membrana mucosa inflama-se até mais do que anteriormente. Esse fenômeno é conhecido como congestão por efeito rebote. Anti-histamínicos ajudam a controlar a coriza, mas alguns causam sonolência, e a maioria causa outros problemas, especialmente em idosos (consulte Medicamentos e envelhecimento). Antibióticos não são eficazes contra rinites virais agudas.

Rinite crônica

A rinite crônica geralmente é um prolongamento da rinite causada por inflamação ou por uma infecção viral. No entanto, também pode ocorrer raramente com doenças. Essas doenças incluem sífilis, tuberculose, rinoescleroma (uma doença de pele caracterizada por tecidos muito endurecidos e achatados, que aparecem primeiro no nariz), rinosporidiose (uma infecção do nariz caracterizada por pólipos hemorrágicos), leishmaniose, blastomicose, histoplasmose e hanseníase — todas as quais são caracterizadas pela formação de lesões inflamatórias (granulomas) e pela destruição de tecidos moles, cartilagens e ossos. Tanto a baixa umidade quanto os irritantes carregados pelo ar também podem causar a rinite crônica.

A rinite crônica causa obstrução nasal e, em casos graves, formação de crostas, sangramento frequente e secreção espessa, com odor desagradável, cheia de pus do nariz.

Descongestionantes podem aliviar os sintomas. Qualquer infecção subjacente requer uma cultura (exame dos microrganismos cultivados a partir de uma amostra de muco, para identificar a infecção por bactérias ou fungos) e o tratamento adequado. Se os sintomas persistirem, uma biópsia (remoção de uma amostra de tecido para identificação ao microscópio) pode ser necessária para excluir câncer.

Rinite atrófica

A rinite atrófica é uma forma de rinite crônica em que a membrana mucosa fica mais fina (atrofia) e endurece, fazendo com que os canais nasais se alarguem (dilatem) e ressequem. Esta atrofia ocorre frequentemente em pessoas idosas. Pessoas que apresentam granulomatose com poliangiíte (antigamente chamada granulomatose de Wegener) também correm risco. As células que normalmente se encontram na membrana mucosa do nariz - células que secretam muco e têm projeções ciliadas, que expulsam as partículas de pó - são substituídas por células semelhantes às que normalmente são encontradas na pele. A doença também pode se desenvolver em pessoas que tenham sido submetidas a cirurgia dos seios paranasais, na qual tenham sido removidas quantidades consideráveis de estruturas intranasais e de membranas mucosas. Uma infecção bacteriana prolongada do revestimento do nariz é também um fator.

Formam-se crostas dentro do nariz, que emanam um odor desagradável. As pessoas podem ter graves hemorragias nasais recorrentes e perder o sentido de olfato (anosmia).

O tratamento tem por objetivo diminuir a formação de crostas, eliminar o odor e reduzir as infecções. Os antibióticos, como pomada de bacitracina ou mupirocina, aplicados no interior do nariz, matam as bactérias. Os estrogênios aplicados no interior do nariz sob a forma de spray, ou tomados por via oral, e as vitaminas A e D tomadas por via oral podem reduzir a formação de crostas, ao estimular a secreção mucosa.

Rinite vasomotora

A rinite vasomotora é uma forma de rinite crônica. Congestão nasal, espirros e o corrimento nasal, sintomas habituais da alergia, ocorrem quando as alergias não parecem estar presentes. Em algumas pessoas, o nariz reage fortemente aos fatores irritantes (como pó e pólen), perfumes, poluição ou alimentos condimentados. Esse distúrbio aparece e desaparece e agrava-se com o ar seco. A membrana mucosa inflamada varia de cor vermelha intensa ao roxo. Às vezes, as pessoas também têm uma leve inflamação dos seios paranasais. As pessoas não apresentam um corrimento purulento ou formação de crostas.

O tratamento da rinite vasomotora é por tentativa e erro e nem sempre é satisfatório. Se a inflamação dos seios não for grave, o tratamento tem por objetivo o alívio dos sintomas. Evitar o tabagismo, os fatores irritantes e usar um sistema de calefação central umidificador, ou um vaporizador para aumentar a umidade, pode trazer benefícios. Corticosteroides nasais e sprays anti-histamínicos algumas vezes ajudam. Não devem ser usados sprays de descongestionantes nasais. Entretanto, os descongestionantes tomados por via oral podem ser usados por poucos dias, enquanto os sintomas estiverem piores.

Rinite medicamentosa

A rinite medicamentosa, também conhecida como congestão de rebote, é uma congestão nasal grave causada pelo uso excessivo (ao longo de 3 ou 4 dias de uso contínuo) de sprays e gotas nasais descongestionantes (não de sprays anti-infla­matórios). O tratamento consiste em suspender o medicamento que está causando o quadro clínico e usar um spray nasal de soro fisiológico. Spray nasal de corticosteroide também pode ser usado, se necessário.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS