Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tontura ou sensação de desmaio iminente ao se levantar

Por

Andrea D. Thompson

, MD, PhD, Department of Internal Medicine, Division of Cardiovascular Medicine, University of Michigan;


Michael J. Shea

, MD, Michigan Medicine at the University of Michigan

Última revisão/alteração completa mai 2018| Última modificação do conteúdo jun 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Em algumas pessoas, particularmente em idosos, a pressão arterial cai excessivamente quando elas se sentam ou se levantam (uma doença denominada hipotensão ortostática ou postural). Sintomas de desmaio, sensação de desmaio iminente, tontura, confusão ou visão turva ocorrem poucos segundos ou até minutos após a pessoa se levantar (especialmente depois de um longo período deitada na cama ou sentada) e cessam rapidamente quando a pessoa se deita. Entretanto, alguns indivíduos caem, desmaiam ou, muito raramente, têm uma pequena convulsão. Frequentemente, os sintomas são mais comuns e mais acentuados depois da prática de exercícios físicos, do consumo de álcool e/ou de uma refeição pesada, ou se houver deficiência de líquidos (desidratação).

Algumas pessoas mais jovens relatam sintomas similares ao se levantarem, mas sem terem queda na pressão arterial. Muitas vezes, a frequência cardíaca aumenta (taquicardia) mais do que o normal quando as pessoas se levantam, então, esse quadro clínico é chamado de síndrome da taquicardia ortostática postural (STOP). A razão pela qual essas pessoas sentem tontura mesmo tendo pressão arterial normal ainda não está clara.

Causas

Tontura ou sensação de desmaio iminente ao se levantar ocorre como consequência de uma regulação anormal da pressão arterial. Normalmente, quando as pessoas estão em pé, a gravidade faz com que o sangue fique acumulado nas veias das pernas e do tronco. Esse acúmulo reduz a pressão arterial e a quantidade de sangue que o coração bombeia para o cérebro. O baixo fluxo sanguíneo para o cérebro provoca a tontura e os outros sintomas. Para compensar, o sistema nervoso rapidamente aumenta a frequência cardíaca e constringe os vasos sanguíneos, que, em pouco tempo, retornam a pressão arterial ao normal antes que os sintomas possam se desenvolver. A parte do sistema nervoso responsável por essa compensação é o sistema nervoso autônomo.

Muitos problemas podem afetar a regulação da pressão arterial e provocar tontura ao levantar. As categorias de causas incluem:

  • Funcionamento incorreto do sistema nervoso autônomo devido a medicamentos ou doenças.

  • Capacidade reduzida do coração de bombear sangue

  • Redução do volume de sangue (hipovolemia)

  • Respostas hormonais inadequadas

As causas podem variar a depender de os sintomas serem novos ou estarem presentes por algum tempo.

Causas comuns

As causas mais comuns de nova ocorrência de tontura ao levantar incluem:

  • Redução do volume de sangue (que pode resultar de desidratação ou perda de sangue)

  • Medicamentos

  • Repouso prolongado na cama

  • Uma glândula adrenal pouco ativa (insuficiência adrenal)

As causas mais comuns de tontura ao levantar já presentes por um longo período (crônica) incluem:

  • Mudanças na pressão arterial relacionadas à idade

  • Medicamentos

  • Funcionamento incorreto do sistema nervoso autônomo

Avaliação

As pessoas ficam tontas ou com vertigem ao se levantarem e, com frequência, recuperam-se rapidamente ao se sentarem e levantam novamente lentamente. No entanto, geralmente é importante determinar a causa da tontura. As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando procurar um médico e ajudar a saber o que esperar durante o exame.

Sinais de alerta

Em pessoas que ficam com tontura ou sensação iminente de desmaio ao se levantarem, certos sintomas e características são fontes de preocupação. Incluem

  • Sangue nas fezes ou fezes cobertas por sangue

  • Sintomas do sistema nervoso como dificuldade para andar e/ou coordenação ou equilíbrio afetados.

Quando consultar um médico

Pessoas com sinais de alerta e aquelas que caíram ou desmaiaram devem procurar um médico imediatamente. As demais pessoas que apresentam episódios frequentes e contínuos de tontura ao se levantarem devem consultar um médico quando possível. Em geral, o atraso de uma semana ou algo similar não é danoso. As pessoas que apresentaram apenas um episódio casual de tontura ao se levantarem devem telefonar para seu médico. O médico estabelecerá a urgência da consulta dependendo de outros sintomas e do histórico clínico da pessoa.

O que o médico faz

Primeiro, os médicos fazem perguntas sobre os sintomas e o histórico clínico da pessoa. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles encontram na avaliação do histórico e no exame físico muitas vezes sugere uma causa para a tontura e os testes que podem ser necessários.

Os médicos perguntam

  • Há quanto tempo a tontura vem ocorrendo

  • Se a pessoa desmaiou ou caiu durante um episódio de tontura

  • Se a pessoa apresentou quadros clínicos que resultam em tontura (como repouso absoluto ou perda de líquido)

  • Se a pessoa tem um distúrbio (como diabetes, doença de Parkinson ou câncer) que pode gerar tontura

  • Se a pessoa está tomando um medicamento (por exemplo, um anti-hipertensivo) que pode causar tontura

O médico, então, faz um exame físico. A pessoa se deita por cinco minutos e, então, o médico examina sua pressão arterial e frequência cardíaca. A pressão arterial e a frequência cardíaca são examinadas novamente depois de a pessoa ficar em pé ou sentada por um minuto e mais uma vez depois de ficar em pé ou sentada por três minutos. O médico pode fazer um exame de toque retal para determinar se há sangramento do trato digestivo. É importante fazer um exame neurológico para testar força, sensibilidade, reflexos, equilíbrio e marcha.

Normalmente, as causas mais comuns de tonturas repentinas – medicamentos, repouso total e redução do volume de sangue – são óbvias. Em indivíduos com sintomas de longo prazo, achados como problemas de movimento podem ser um indicativo de mal de Parkinson. Dormência, formigamento ou fraqueza podem indicar problemas no sistema nervoso.

Tabela
icon

Algumas causas e características de tontura ou sensação de desmaio iminente ao se levantar

Causa

Características comuns*

Exames

Doenças do sistema nervoso central

Rigidez muscular

Movimentos lentos e trêmulos

Perda de coordenação e/ou equilíbrio

Incontinência ou incapacidade de urinar

Exame médico

Às vezes, RM

Rigidez muscular

Tremor

Movimentos lentos e trêmulos e andar descoordenado

Dificuldade ao andar

Somente exame médico

Acidentes vasculares cerebrais, se diversos tiverem ocorrido

Em pessoas com histórico de derrames

Somente exame médico

Doenças da medula espinhal

Dores em pontadas intermitentes e intensas nas pernas

Andar descoordenado

Redução da sensibilidade nas pernas e dormência ou formigamento

Exames de sangue e possível punção lombar (para obtenção de líquido cefalorraquidiano) para verificar a presença de sífilis

Tumores

Dor nas costas

Fraqueza muscular e redução da sensibilidade nas pernas

RM

Distúrbios dos nervos periféricos

Dormência, formigamento e fraqueza

Biópsia

Lesão nervosa causada por diabetes, uso excessivo de álcool ou deficiência nutricional

Queimação e/ou formigamento frequentes nos pés e nas mãos

Às vezes, fraqueza

Em geral, em pessoas que sabidamente têm doenças causadoras de lesão nervosa

Exame de condução nervosa e eletromiografia

Às vezes, redução da sudorese e intolerância ao calor

Constipação ou perda do controle das evacuações (incontinência fecal)

Dificuldade em esvaziar a bexiga

Exame médico

Exames de sangue

Diminuição do volume sanguíneo (hipovolemia)

Sede, redução da micção e confusão

Somente exame médico

Perda excessiva de sangue

Normalmente, em pessoas que tiveram alguma lesão ou cirurgia

Sangue nas fezes ou fezes escuras e com aparência de alcatrão

Um exame médico, que inclua um teste para verificar a presença de sangue nas fezes

Um hemograma completo

Uma glândula adrenal pouco ativa

Fraqueza e fadiga

Exames de sangue

Distúrbios do coração e dos vasos sanguíneos

Insuficiência venosa crônica (causando acúmulo de sangue nas pernas)

Edema prolongado em uma ou ambas as pernas

Desconforto leve e crônico nos tornozelos ou pernas, mas sem dor

Às vezes, áreas avermelhadas e rígidas na pele e feridas superficiais, geralmente na região inferior das pernas

Frequentemente veias varicosas

Exame médico

Falta de ar e fadiga

Exame médico

Às vezes, ecocardiograma (ultrassonografia do coração)

Ataque cardíaco (infarto do miocárdio)

Pressão ou dor torácica

Falta de ar ou fadiga

Às vezes, em pessoas que sabidamente tiveram um ataque cardíaco recente

ECG e exames de sangue para medir substâncias que indicam lesão cardíaca (marcadores cardíacos)

Níveis elevados do hormônio aldosterona (hiperaldosteronismo, geralmente causado por um tumor na glândula adrenal)

Fraqueza, formigamento e espasmos musculares

Exames de sangue

Medicamentos

Medicamentos para hipertensão arterial ou angina: Bloqueadores de canais de cálcio, clonidina, diuréticos (como furosemida), metildopa, nitratos, prazosina ou, raramente, betabloqueadores

Em pessoas que sabidamente usam algum desses medicamentos

Exame médico

Às vezes, parar o uso do medicamento para ver se os sintomas desaparecem

Medicamentos que afetam o sistema nervoso central: Antipsicóticos (em particular as fenotiazinas), inibidores da monoaminoxidase ou antidepressivos tricíclicos ou tetracíclicos

Em pessoas que sabidamente usam algum desses medicamentos

Somente exame médico

Sedativos: Álcool ou barbitúricos

Em pessoas que sabidamente usam algum desses medicamentos

Somente exame médico

Outros medicamentos: Quinidina ou vincristina

Em pessoas que sabidamente usam algum desses medicamentos

Somente exame médico

Outros problemas

Mudanças na pressão arterial relacionadas à idade

Em pessoas idosas

Nenhum outro sintoma

Somente exame médico

Repouso absoluto, se prolongado

Para aqueles que estiveram em repouso absoluto prolongado por muito tempo

Somente exame médico

Uma baixa concentração de potássio no sangue

Fraqueza muscular e cãibra

Sensação de formigamento

Exames de sangue

*As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

O sistema nervoso central é formado pelo cérebro e pela medula espinhal. O sistema nervoso periférico é formado pelos nervos existentes fora do cérebro e da medula espinhal.

TC = tomografia computadorizada; ECG = eletrocardiograma; RM = ressonância magnética.

Exames

A menos que a razão seja óbvia (por exemplo, repouso absoluto), geralmente são necessários exames. O médico normalmente faz um eletrocardiograma (ECG), um hemograma completo e outros exames de sangue (por exemplo, medição dos níveis de eletrólitos). Outros exames são feitos com base no que os médicos encontram durante o exame, especialmente se os sintomas da pessoa sugerem problemas no coração ou nos nervos.

Caso os médicos suspeitem de que um medicamento está causando a tontura, eles podem pedir para a pessoa parar de tomar o medicamento e observar se a tontura melhora, confirmando-se, assim, sua causa.

O teste de inclinação ortostática pode ser feito quando os médicos suspeitam de funcionamento incorreto do sistema nervoso autônomo. O paciente deita-se em uma mesa especial motorizada e fica deitado por vários minutos. A mesa, então, é inclinada em um ângulo entre 60 a 80 graus por 15 a 20 minutos, enquanto a pressão arterial e a frequência cardíaca são monitoradas continuamente. Se a pressão arterial não diminui, a pessoa recebe isoproterenol (um medicamento que estimula o coração) por via intravenosa em uma dose grande o suficiente para acelerar a frequência cardíaca em 20 batimentos por minuto, e o teste é repetido. Esse processo dura entre 30 e 60 minutos e é muito seguro.

Tratamento

Quaisquer causas são tratadas quando possível, incluindo a substituição ou descontinuação do uso de qualquer medicamento. Por outro lado, muitas causas não podem ser curadas e as pessoas precisam adotar medidas para redução de seus sintomas. Tais medidas incluem mudanças no estilo de vida e uso de medicamentos.

Pessoas que necessitam repouso absoluto prolongado devem se sentar diariamente e se exercitar na cama quando possível. Pessoas deitadas ou sentadas devem se levantar lentamente e com cuidado. Em geral, é indicado consumir bastante líquido, limitar ou evitar o consumo de álcool e praticar exercícios regularmente quando possível. Exercícios físicos de intensidade moderada regulares aumentam o tônus muscular nas paredes dos vasos sanguíneos, o que reduz o acúmulo de sangue nas pernas. Dormir com a cabeceira da cama levemente inclinada pode ajudar a diminuir os sintomas. Para algumas pessoas, aumentar o consumo de sal pode aumentar a retenção de líquidos e reduzir os sintomas. Os médicos podem recomendar que as pessoas aumentem o consumo de sal liberando a ingestão de alimentos salgados ou uso de comprimidos de cloreto de sódio. Entretanto, o aumento do consumo de sal pode não ser recomendável para pessoas com doenças cardíacas.

Os médicos podem administrar fludrocortisona, um medicamento que ajuda o corpo a reter sal e água e, assim, previne a queda da pressão arterial quando a pessoa se levanta. Entretanto, esse medicamento pode causar um aumento da pressão arterial quando a pessoa está deitada, insuficiência cardíaca e baixar o nível de potássio no sangue. Às vezes, os médicos combinam propranolol ou outro betabloqueador com fludrocortisona. A midodrina é um medicamento que constringe as artérias e veias, ajudando a prevenir o acúmulo de sangue. Os efeitos colaterais incluem formigamento ou dormência e coceira. Esse medicamento não é recomendado para pessoas com doença arterial periférica ou doença arterial coronariana.

Outros medicamentos, como anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), droxidopa, piridostigmina e octreotida podem ajudar em alguns casos.

Informações essenciais para idosos

Tontura ou sensação de desmaio iminente ao permanecer em pé ocorre em cerca de 20% dos idosos. É mais comum entre pessoas com distúrbios coexistentes, especialmente hipertensão arterial, e entre residentes de instalações de cuidados em longo prazo. Muitas quedas podem resultar de tonturas quando se fica em pé. Pessoas de mais idade devem evitar ficar em pé por muito tempo.

O aumento da incidência nos idosos é causado pela redução da resposta dos receptores que controlam a pressão arterial somada ao aumento na rigidez das paredes das artérias. Isso dificulta a movimentação de sangue pelas artérias a fim de elevar a pressão arterial. A diminuição da resposta dos receptores retarda a resposta do coração e dos vasos sanguíneos ao ato de ficar em pé. Paradoxalmente, a hipertensão arterial, que é mais comum entre pessoas idosas, pode contribuir para a sensibilidade inadequada do receptor, aumentando a vulnerabilidade quando a pessoa se levanta.

Pontos-chave

  • A tontura ou sensação de desmaio iminente ao se levantar normalmente envolve uma redução do volume de líquido no corpo ou disfunção do sistema nervoso autônomo.

  • O envelhecimento gera algum nível de disfunção do sistema nervoso autônomo, porém, os médicos examinam todas as pessoas afetadas para se assegurarem de que não há problemas no sistema nervoso.

  • O teste de inclinação ortostática é um exame comum da função autônoma.

  • O tratamento envolve medidas físicas para reduzir o acúmulo de sangue nas veias, exercício regular, aumento do consumo de sal e, algumas vezes, uso de fludrocortisona e midodrina.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Valvuloplastia mitral
Vídeo
Valvuloplastia mitral
O coração é um músculo pulsante que bombeia sangue para todo o corpo. No interior do coração...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Pulso arterial
Modelo 3D
Pulso arterial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS