Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Fístula anorretal

(Fistula in Ano)

Por

Parswa Ansari

, MD, Hofstra Northwell-Lenox Hill Hospital, New York

Última revisão/alteração completa jan 2020| Última modificação do conteúdo jan 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Uma fístula anorretal é um canal anômalo entre o ânus ou reto e, normalmente, a pele perianal, embora em alguns casos, ela possa se estender até outro órgão, como a vagina.

  • Fístulas anorretais são comuns em pessoas que têm um abscesso anorretal, doença de Crohn ou tuberculose.

  • Fístulas anorretais podem causar dor e produzir pus.

  • O diagnóstico é baseado em um exame e em outras técnicas de visualização.

  • O tratamento quase sempre envolve cirurgia, mas algumas alternativas menos invasivas estão disponíveis atualmente.

O reto é a seção do trato digestivo acima do ânus, onde as fezes são mantidas antes de serem expelidas do corpo pelo ânus. O ânus é a abertura, na extremidade do trato digestivo, pelo qual as fezes saem do corpo. (consulte também Considerações gerais sobre o ânus e o reto).

O sistema digestivo

O sistema digestivo

A maioria das fístulas começa em uma glândula profunda da parede do reto ou do ânus. Às vezes, as fístulas ocorrem após a drenagem de um abscesso anorretal mas, muitas vezes, não é possível identificar a causa. As fístulas são mais comuns em pessoas com doença de Crohn ou tuberculose. Elas também ocorrem em pessoas com tumores, diverticulite, câncer ou lesão anal ou retal. Uma fístula em um bebê normalmente é um defeito congênito e é mais comum em meninos do que em meninas.

As fístulas que ligam o reto à vagina (chamadas fístulas retovaginais) podem resultar de radioterapia, câncer, doença de Crohn ou lesão na mãe durante o parto.

Sintomas

Uma fístula infectada pode ser dolorosa ou secretar pus sanguinolento.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Sigmoidoscopia

O médico geralmente consegue observar uma ou mais aberturas de uma fístula ou sentir seu trajeto sob a superfície.

Através da introdução de uma sonda, é possível determinar sua profundidade e direção. Através de um anuscópio (um tubo rígido curto) inserido no reto e exame utilizando uma sonda, o médico pode localizar a abertura interna. A inspeção com um sigmoidoscópio (consulte Endoscopia), que é um equipamento para visualização muito mais longo, ajuda o médico a determinar se o problema está sendo causado por câncer, doença de Crohn ou outro distúrbio.

Tratamento

  • Procedimentos cirúrgicos

  • Em caso de fístulas causadas por doença de Crohn, medicamentos

Anteriormente, o único tratamento eficaz era a cirurgia para abrir a fístula (fistulotomia). Às vezes, o esfíncter é cortado parcialmente durante a cirurgia. Se uma grande porção do esfíncter for cortada, pode ser que a pessoa sinta dificuldade para controlar as evacuações. Novos procedimentos cirúrgicos usam flaps de avanço (flaps são estendidos sobre a abertura da fístula) ou outros procedimentos para fechar a abertura interna da fístula. Plugs biológicos e instilações de cola de fibrina são alternativas à fistulotomia.

Se a pessoa tiver diarreia ou doença de Crohn, que podem retardar a cicatrização de feridas, normalmente não é realizada cirurgia. Medicamentos usados para a doença de Crohn podem ajudar no fechamento de uma fístula.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS