Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tosse em crianças

Por

Deborah M. Consolini

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa jul 2018| Última modificação do conteúdo jul 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A tosse ajuda a expelir materiais das vias respiratórias e impedir que eles penetrem nos pulmões. Esses materiais podem ser partículas que foram inaladas ou substâncias dos pulmões e/ou das vias respiratórias. Mais comumente, o material expelido dos pulmões e das vias respiratórias pela tosse é escarro (também chamado catarro – uma mistura de muco, dejetos e células ejetadas dos pulmões). Mas, às vezes, a tosse produz sangue. Uma tosse que produz qualquer uma das possibilidades é chamada “produtiva”. Crianças mais velhas (e adultos) normalmente expelem materiais na tosse, mas crianças mais novas podem engoli-los. Algumas tosses não produzem nada. Elas são consideradas secas ou não produtivas.

A tosse é uma das principais razões pelas quais os pais levam seus filhos a um profissional de saúde.

(Consulte também Tosse em adultos.)

Causas

As causas prováveis da tosse dependem de ela ter durado menos de quatro semanas (aguda) ou quatro semanas ou mais (crônica).

Causas comuns

No caso da tosse aguda, a causa mais comum é

No caso da tosse crônica, as causas mais comuns são

Causas menos comuns

A tosse aguda também pode resultar de corpo estranho (como um pedaço comida, ou um pedaço de um brinquedo) inalado para os pulmões (aspiração) ou infecções respiratórias menos comuns, como pneumonia, coqueluche (tosse comprida) ou tuberculose.

A tosse crônica também pode resultar de aspiração de corpo estranho, distúrbios hereditários, como fibrose cística ou discinesia ciliar primária, um defeito de nascença das vias respiratórias ou dos pulmões, distúrbios inflamatórios envolvendo as vias respiratórias ou os pulmões, ou pode estar relacionada ao estresse (também conhecido como tosse habitual ou psicogênica).

Avaliação

Nem toda tosse exige avaliação imediata por um médico. Saber quais sintomas podem indicar uma causa grave pode ajudar os pais a decidir se é necessário entrar em contato com um médico.

Sinais de alerta

Os seguintes sintomas são especialmente preocupantes:

  • Coloração azulada nos lábios e/ou na pele (cianose)

  • Um ruído agudo (estridor) quando a criança inspira

  • Dificuldade em respirar

  • Aparência doente

  • Espasmos de tosse incontrolável e repetitiva seguidos de inspirações agudas (com um guincho)

Quando consultar um médico

As crianças com sinais de alerta devem ser levadas a um médico imediatamente, assim como aquelas cujos pais acharem que elas podem ter inalado um corpo estranho. Caso as crianças não apresentem sinais de alerta, mas apresentem uma tosse seca, os pais devem chamar o médico. Os médicos normalmente querem avaliar essas crianças em aproximadamente um dia, dependendo da idade, dos outros sintomas (tais como febre) e do histórico clínico (especialmente histórico de distúrbios pulmonares, tais como asma ou fibrose cística). Crianças de outro modo saudáveis ocasionalmente com tosse e sintomas típicos de resfriado (tais como coriza) podem não precisar ser atendidas por um médico.

As crianças com tosse crônica e nenhum sinal de alerta devem ser avaliadas por um médico, mas um atraso de alguns dias a uma semana não costuma ser prejudicial.

O que o médico faz

Os médicos primeiro indagam sobre os sintomas e o histórico clínico da criança. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles descobrem durante o levantamento do histórico e o exame físico com frequência sugerirá a causa da tosse e os exames que precisam ser feitos ( Algumas causas e características da tosse em crianças).

Informações sobre a tosse ajudam o médico a determinar sua causa. Assim, o médico pode perguntar

  • Em que parte do dia a tosse mais se manifesta?

  • Quais fatores – como ar frio, posição do corpo, conversar, comer, beber ou se exercitar – desencadeiam ou aliviam a tosse?

  • Qual é o som da tosse?

  • Os sintomas começaram de maneira repentina ou gradual?

  • Quais são os outros sintomas da criança?

  • A tosse causa expectoração com escarro ou sangue?

Uma tosse noturna pode ser causada por asma ou rinorreia posterior. Tosse assim que a pessoa adormece e pela manhã quando acorda geralmente é causada por inflamação dos seios nasais (sinusite). Tossir no meio da noite é mais consistente com asma. Uma tosse seca sugere crupe ou, às vezes, uma tosse que restou de uma infecção viral das vias respiratórias superiores já curada. Uma tosse que começa subitamente em uma criança sem outros sintomas sugere possível inalação de corpo estranho. Ao contrário do que muitas pessoas pensam, o fato de o escarro ser amarelo, verde, grosso ou fino não ajuda a distinguir uma infecção bacteriana de outras causas.

Quando as crianças têm entre seis meses e quatro anos de idade, pergunta-se aos pais sobre a possibilidade de um corpo estranho ter sido engolido (como um brinquedo pequeno) ou alimentos, pequenos, lisos e firmes (como amendoins ou uvas). Os médicos podem perguntar se a criança teve alguma infecção respiratória recente, crises frequentes de pneumonia, alergias ou asma ou se foi exposta a tuberculose ou outras infecções, como pode ocorrer durante viagens para certos países.

Um exame físico é realizado. Para se verificar problemas respiratórios, os médicos observam o tórax da criança, auscultam-no com um estetoscópio e o percutem. Os médicos também verificam sintomas de resfriado, linfonodos inchados e dores abdominais.

Tabela
icon

Algumas causas e características da tosse em crianças

Causa

Características comuns*

Exames

Tosse aguda (dura menos de quatro semanas)

De início, sintomas de um resfriado

Sibilos e, caso a bronquiolite seja grave, respiração rápida com narinas dilatadas e dificuldade para respirar

Possivelmente vômitos após a tosse

Normalmente em bebês com até 24 meses de idade, mais frequentemente naqueles com três a seis meses de idade

Exame médico

Às vezes radiografia do tórax e cultura do muco do nariz (coletada com um cotonete) para identificar o vírus

De início, sintomas de um resfriado

Uma tosse frequente e seca (pior à noite) e, quando o crupe é grave, um ruído agudo alto quando a criança inspira (estridor) e respiração rápida com narinas dilatadas

Normalmente em crianças com seis meses a três anos de idade

Exame médico

Às vezes radiografia do pescoço e do tórax

Um objeto estranho na traqueia ou nas vias respiratórias maiores dos pulmões (brônquios)

Tosse e sufocamento que começam subitamente

Inicialmente nenhuma febre

Nenhum sintoma de resfriado

Normalmente em crianças com seis meses a quatro anos de idade

Radiografia do tórax

Às vezes, broncoscopia

Coqueluche (tosse comprida)

Sintomas brandos semelhantes aos do resfriado por uma a duas semanas seguidos de ataques de tosse

Bebês: ataques de tosse que podem estar associados a coloração azul nos lábios ou na pele (cianose), vômito após a tosse ou pausas na respiração (apneia)

Crianças mais velhas: ataques de tosse que podem ser seguidos por um som agudo prolongado (chamado guincho)

Tosse que pode persistir por diversas semanas

Cultura de uma amostra de muco coletada do nariz

Normalmente febre

Às vezes sibilos, falta de ar e dor no peito

Tosse às vezes produtiva

Exame médico

Com frequência uma radiografia do tórax

Tosse assim que a pessoa adormece e pela manhã quando acorda

Às vezes, secreção nasal crônica

Exame médico

Às vezes, exame de TC dos seios nasais

Coriza e congestão nasal

Possivelmente febre e dor de garganta

Possivelmente linfonodos pequenos, não sensíveis e inchados no pescoço

Exame médico

Tosse crônica (duração de quatro semanas ou mais)

Ataques periódicos de tosse em resposta a um fator desencadeante (tal como pólen ou outros alérgenos), exposição a ar frio ou exercícios

Tosse durante a noite

Às vezes familiares que têm asma

Exame médico

Tratamento com medicamentos para asma para ver se ocorre alívio dos sintomas

Testes da respiração para avaliar a função pulmonar (exames de função pulmonar)

Defeitos congênitos que afetam os pulmões

Diversos episódios de pneumonia na mesma parte dos pulmões

Radiografia do tórax

Algumas vezes TC ou RM

Defeitos congênitos que afetam a traqueia, o esôfago ou ambos

Varia de acordo com o defeito

Normalmente em recém-nascidos ou bebês

Caso a traqueia não tenha se desenvolvido normalmente, possivelmente um som agudo alto quando a criança inspira (estridor) ou uma tosse seca e dificuldade para respirar

Caso haja uma conexão anormal entre a traqueia e o esôfago (fístula traqueoesofágica), uma tosse ou dificuldade em respirar quando a criança é alimentada e crises frequentes de pneumonia

Radiografia do tórax

Às vezes broncoscopia e endoscopia

Caso haja suspeita de traqueia anormal, também TC ou RM

Um bloqueio no intestino por secreções espessas (íleo meconial) detectado logo após o nascimento

Frequentes ataques de pneumonia, sinusite ou ambos

Crescimento menor que o esperado (insucesso de desenvolvimento)

Aumento do tamanho das pontas dos dedos ou alteração do ângulo do leito da unha (hipocratismo) e unhas com leitos com coloração azul

Teste de suor

Possivelmente exames genéticos para confirmar o diagnóstico

Objeto estranho no pulmão ou nas vias respiratórias

Tosse e sufocamento que começam subitamente

Resolução do sufocamento, mas tosse que persiste ou piora progressivamente em algumas semanas

Possivelmente febre

Nenhum sintoma de resfriado

Normalmente em crianças com seis meses a quatro anos de idade

Radiografias do tórax ao expirar e inspirar

Broncoscopia

Bebês: O bebê fica inquieto, regurgita após a alimentação, arqueia as costas ou chora após a alimentação e tosse quando deitado

Pouco ganho de peso

Crianças mais velhas e adolescentes: Dor no peito ou azia após as refeições e quando deitado e possivelmente sibilos, rouquidão, náusea e regurgitação

Tosse que frequentemente piora à noite

Exame médico

Bebês: Às vezes uma radiografia do aparelho digestivo superior após ingestão de bário para determinar se a anatomia é normal

Tratamento com bloqueadores da histamina-2 (H2) (em caso de alívio dos sintomas, a causa será provavelmente doença do refluxo gastroesofágico)

Às vezes um exame para medir a acidez ou episódios de refluxo no esôfago (chamado pHmetria) ou radiografias feitas após fórmula láctea ser dada por via oral (exame do esvaziamento gástrico) para determinar a frequência e a gravidade dos episódios de refluxo

Crianças mais velhas: Tratamento com bloqueadores de H2 ou inibidores da bomba de prótons para ver se ocorre alívio dos sintomas

Possivelmente endoscopia

Gotejamento pós-nasal

Dor de cabeça, coceira nos olhos, dor de garganta leve especialmente pela manhã, tosse à noite e ao acordar

Histórico de alergias

Tratamento com um spray nasal com anti-histamínico ou corticosteroide (caso ocorra alívio dos sintomas, a causa é uma alergia)

Possivelmente radiografias ou TC dos seios nasais

Tosse psicogênica, ou habitual

Pode se desenvolver em crianças após um resfriado ou outro irritante das vias respiratórias

Frequente (pode ser até a cada dois a três segundos), tosse dura e seca quando desperto, possivelmente com duração de semanas ou meses

Tosse que para completamente quando a criança adormece

Ausência de febre ou outros sintomas

Exame médico

Às vezes radiografias do tórax para procurar outras causas

Contato recente com pessoa infectada

Em geral um sistema imunológico enfraquecido (imunocomprometimento)

Às vezes febre, suores noturnos, calafrios e perda de peso

Radiografia do tórax

Teste de pele para tuberculina

*As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

Crianças com distúrbios que causam tosse crônica também podem ser levadas a um médico antes de quatro semanas. Uma radiografia do tórax sempre é realizada quando crianças com tosse crônica são avaliadas pela primeira vez.

TC = tomografia computadorizada; RM = ressonância magnética.

Exames

Os exames podem ou não ser necessários dependendo dos sintomas e das causas das quais o médico suspeitar. No caso de crianças com sinais de alerta, os médicos normalmente medem a concentração do oxigênio no sangue usando um sensor preso ao corpo (oximetria de pulso) e fazem uma radiografia do tórax. Esses exames também são feitos caso as crianças tenham uma tosse crônica ou caso a tosse esteja piorando. Os médicos podem fazer outros exames dependendo do que encontrarem durante o histórico e o exame físico ( Algumas causas e características da tosse em crianças).

No caso das crianças sem sinais de alerta, exames são raramente feitos se a tosse tiver durado quatro semanas ou menos e sintomas de resfriado estiverem presentes. Em tais casos, a causa é geralmente uma infecção viral.

Exames podem também não ser necessários caso os sintomas sugiram fortemente uma causa. Em tais casos, os médicos podem simplesmente iniciar tratamento para a causa presumida. Contudo, caso os sintomas persistam a despeito do tratamento, exames são, com frequência, realizados.

Tratamento

O tratamento da tosse dá enfoque a tratar a causa (antibióticos para pneumonia bacteriana, por exemplo, ou anti-histamínicos para rinorreia posterior alérgica).

Para aliviar sintomas de tosse, tem-se aconselhado aos pais, com frequência, a utilização de remédios caseiros como fazer a criança inalar ar úmido (de um vaporizador ou em um banho quente) e beber líquido extra. Ainda que esses remédios sejam inofensivos, há pouca evidência científica de que eles façam qualquer diferença para o bem-estar da criança.

Medicamentos supressores da tosse (tais como dextrometorfano e codeína) raramente são recomendados para crianças. A tosse é uma importante maneira de o corpo eliminar secreções das vias respiratórias. Além disso, esses medicamentos podem ter efeitos colaterais, tais como confusão e sedação, e há pouquíssima evidência de que eles ajudem as crianças a se sentirem melhor ou se recuperarem mais rapidamente. Expectorantes, que supostamente afinam e soltam o muco (tornando-o mais fácil de expectorar), também não são em geral indicados para crianças.

Pontos-chave

  • Em geral, a causa da tosse pode ser identificada com base nos resultados do exame médico.

  • Em crianças com seis meses a quatro anos de idade, um corpo estranho nas vias respiratórias deve ser considerado.

  • Radiografias do tórax são feitas se as crianças tiverem sinais de alerta ou uma tosse que está durando mais do que quatro semanas.

  • Supressores da tosse e expectorantes em geral não são recomendados.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Administração de insulina
Vídeo
Administração de insulina
O diabetes é um quadro clínico que se desenvolve devido a concentrações elevadas de glicose...
Modelos 3D
Visualizar tudo
O resfriado comum
Modelo 3D
O resfriado comum

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS