Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre infecções virais nas vias respiratórias em crianças

Por

Brenda L. Tesini

, MD, University of Rochester School of Medicine and Dentistry

Última revisão/alteração completa set 2019| Última modificação do conteúdo set 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As infecções virais das vias aéreas afetam o nariz, a garganta e as vias aéreas e podem ser causadas por vários tipos de vírus.

  • Infecções que frequentemente ocorrem nas vias aéreas incluem o resfriado comum e a gripe.

  • Os sintomas típicos incluem congestão nasal, corrimento nasal, irritação da garganta, tosse e irritabilidade.

  • O diagnóstico é estabelecido em função dos sintomas.

  • Uma boa higiene é a melhor maneira de prevenir essas infecções, e a vacinação rotineira pode ajudar a prevenir a gripe.

  • O tratamento tem por objetivo aliviar os sintomas.

As crianças desenvolvem todos os anos uma média de seis infecções virais das vias aéreas.

As infecções virais das vias aéreas são normalmente divididas em

  • Infecções das vias aéreas superiores: Os sintomas ocorrem principalmente no nariz e garganta. As infecções virais das vias aéreas superiores podem ocorrer em qualquer idade e incluem o resfriado comum e a gripe.

  • Infecções das vias aéreas inferiores: Os sintomas ocorrem na traqueia, vias aéreas e pulmões. As infecções virais das vias aéreas inferiores ocorrem com mais frequência em crianças e incluem crupe, bronquiolite e pneumonia.

Às vezes, as crianças têm infecções que afetam tanto as vias aéreas superiores quanto as inferiores.

Causas

Muitos diferentes viruses infectar o trato respiratório. Nas crianças, rinovírus, vírus da gripe (durante a epidemia anual de inverno), vírus parainfluenza, o vírus sincicial respiratório (VSR), enterovírus e certas cepas de adenovírus são as principais causas de infecções respiratórias virais.

Muitas vezes, as infecções virais das vias aéreas se propagam quando as mãos das crianças entram em contato com secreções nasais de uma pessoa infectada. Essas secreções contêm vírus. Quando a criança toca no nariz ou nos olhos, os vírus entram e causam nova infecção. Com menor frequência, a proliferação das infecções ocorre quando a criança respira ar contendo gotículas expelidas pela tosse ou pelo espirro de uma pessoa infectada.

Por várias razões, as secreções nasais ou respiratórias de crianças com infecções virais das vias aéreas contêm mais vírus que as de adultos infectados. Esse aumento na produção de vírus, juntamente com uma típica menor atenção à higiene, faz com que as crianças sejam mais propensas a transmitir a infecção a terceiros. A possibilidade de transmissão aumenta ainda mais quando muitas crianças estão reunidas, como em creches e escolas. Ao contrário do que se poderia pensar, outros fatores, tais como ficar exposto ao frio, se molhar ou se cansar não causam resfriados nem aumentam a suscetibilidade à infecção.

Sintomas

Quando os vírus invadem as células das vias aéreas, eles desencadeiam inflamação e produção de muco. Essa situação conduz a congestão nasal, corrimento nasal, irritação da garganta e tosse, que pode durar até 14 dias. Algumas crianças podem continuar a tossir durante semanas depois de a infecção das vias aéreas superiores já ter se resolvido. Febre, que pode chegar a uma temperatura de até 38,3 a 38,9 °C é comum em crianças jovens ou naquelas que com gripe. A temperatura da criança pode subir até aos 40 °C.

Outros sintomas típicos nas crianças incluem redução do apetite, letargia e uma sensação geral de mal-estar. Dores de cabeça e dores pelo corpo se desenvolvem, especialmente na gripe. Bebês e crianças jovens em geral não são capazes de comunicar seus sintomas específicos e parecem simplesmente rabugentas e incomodadas.

Complicações das infecções virais das vias aéreas

Uma vez que os recém-nascidos e os bebês pequenos preferem respirar pelo nariz, mesmo uma leve congestão nasal pode criar dificuldade para respirar. A congestão nasal conduz a problemas de alimentação, já que os bebês não conseguem respirar durante a amamentação ou ao beber o leite da mamadeira. Visto que os bebês são incapazes de cuspir o muco que surge com a tosse, eles muitas vezes se engasgam e sufocam.

As pequenas vias aéreas das crianças jovens podem ser significativamente estreitadas pela inflamação e pelo muco, o que dificulta a respiração. As crianças respiram rapidamente e podem desenvolver um som agudo ao expirar (sibilos) ou um som semelhante durante a inspiração (estridor). O estreitamento grave das vias aéreas pode fazer com que a criança respire de maneira ofegante e dar um tom azulado à sua pele (cianose). Esses problemas das vias aéreas são mais comuns com a infecção causada pelos vírus parainfluenza, VSR e pelo metapneumovírus humano. As crianças afetadas precisam ser atendidas urgentemente por um médico.

Algumas crianças com infecção viral das vias aéreas também desenvolvem infecção do ouvido médio (otite média) ou do tecido pulmonar (pneumonia). A otite média e a pneumonia podem ser causadas pelo próprio vírus ou por uma infecção bacteriana que se desenvolve porque a inflamação causada pelo vírus faz com que o tecido fique mais sensível à invasão por outros germes. Na criança com asma, as infecções das vias aéreas frequentemente provocam uma crise de asma.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

Tanto os médicos quanto os pais reconhecem as infecções das vias aéreas pelos seus sintomas característicos. Geralmente, crianças que ao contrário seriam saudáveis e que apresentam sintomas leves envolvendo as vias aéreas superiores não precisam ser atendidas por um médico a não ser que tenham dificuldades em respirar, não estejam tomando líquidos ou tenham febre por mais de um dia ou dois.

Podem ser realizadas radiografias do pescoço e do tórax nas crianças com dificuldade para respirar, estridor ou sibilos ou se o médico conseguir ouvir congestão nos pulmões. Os exames de sangue e os testes das secreções respiratórias raramente são úteis.

Prevenção

  • Bons hábitos de higiene

  • Vacinação contra a gripe

A melhor medida preventiva é a prática de uma boa higiene. A criança doente e as pessoas da casa devem lavar as mãos com frequência. No geral, quanto mais íntimo o contato físico com uma criança doente (como abraçá-la e aproximar-se ou partilhar a cama), maior será o risco de propagar a infecção a outros membros da família. Os pais devem equilibrar esse risco com a necessidade de reconfortar a criança doente. A criança deve ficar em casa e não ir à escola nem à creche até a febre desaparecer e até ela se sentir suficientemente bem para voltar.

A gripe é a única infecção respiratória viral que pode ser evitada mediante vacinação. Tanto os adultos como todas as crianças com mais de seis meses de idade devem receber uma vacinação anual (consulte também vacina contra a gripe). A vacinação é particularmente importante para crianças e adultos que têm certos distúrbios como doença cardíaca ou pulmonar (incluindo fibrose cística e asma), diabetes, insuficiência renal e anemia falciforme. Além disso, as crianças cujo sistema imunológico está comprometido (incluindo crianças com infecção pelo vírus da imunodeficiência humana [HIV] e aquelas submetidas a quimioterapia) devem receber a vacina.

Tratamento

  • Repouso e líquidos

  • Medicamentos para aliviar a febre e dor

Antibióticos não são necessários e não ajudam a tratar infecções virais das vias aéreas. As crianças com infecções das vias aéreas precisam de repouso adicional e da manutenção de uma ingestão normal de líquidos. Paracetamol ou medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno, podem ser administrados para alívio da febre e dor. As crianças em idade escolar podem tomar um descongestionante de venda livre (sem receita médica) para a inconveniente congestão nasal, embora o medicamento com frequência não ajude. Bebês e crianças mais pequenas são particularmente suscetíveis aos efeitos colaterais dos descongestionantes e podem apresentar agitação, confusão, alucinações, letargia e aumento do ritmo cardíaco, e não devem tomar esses medicamentos.

Em bebês e crianças jovens, a congestão pode ser aliviada usando-se um vaporizador de vapor frio para umedecer o ar e o muco no nariz pode ser aspirado com um aspirador de borracha.

medicamentos antivirais para a gripe que pode ser usada em crianças. Porém, esses fármacos funcionam apenas quando usados nos primeiros dois dias após o início dos sintomas; eles reduzem a duração da febre e dos sintomas respiratórios em apenas um dia, aproximadamente, e não costumam ser usados em crianças que são, em geral, saudáveis.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Sarampo
Vídeo
Sarampo
O sarampo é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus do sarampo. O vírus do sarampo...
Modelos 3D
Visualizar tudo
O resfriado comum
Modelo 3D
O resfriado comum

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS