Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Estrabismo

(Apertar os olhos; Vesguice; Olho torto)

Por

Christopher M. Fecarotta

, MD, Phoenix Children’s Hospital;


Wendy W. Huang

, MD, PhD, Phoenix Children’s Hospital

Última revisão/alteração completa out 2018| Última modificação do conteúdo out 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O estrabismo consiste em um desalinhamento intermitente ou constante de um olho, de maneira que sua linha de visão não aponta para o mesmo objeto que a do outro olho. Se não for tratado, o estrabismo pode causar ambliopia (uma redução da visão) e perda permanente da visão. O tratamento do estrabismo inclui correção de eventuais erros de refração, um tampão ou colírio para tratar a ambliopia e, em alguns casos, cirurgia.

  • O estrabismo é um desalinhamento dos olhos.

  • As causas incluem erro de focalização (de refração) e desequilíbrio dos músculos que controlam o movimento ocular.

  • Os sintomas incluem visão dupla e perda da visão.

  • O diagnóstico se baseia em um exame ocular.

  • Às vezes, o estrabismo se resolve por conta própria, mas na maioria dos casos, são necessários óculos de grau, lentes de contato ou cirurgia.

O estrabismo ocorre em cerca de 3% das crianças. Sem tratamento, cerca de 50% das crianças com estrabismo apresentam alguma perda de visão decorrente da ambliopia.

Causas

O estrabismo pode surgir nos primeiros meses de vida ou mais tarde na infância, dependendo da causa.

Em crianças com menos de 6 meses de idade, fatores de risco para estrabismo incluem histórico familiar de estrabismo, distúrbios genéticos (como Síndrome de Down), exposição pré-natal a drogas (incluindo álcool), prematuridade, defeitos congênitos dos olhos, e paralisia cerebral.

Em crianças a partir de 6 meses de idade, estrabismo é frequentemente causada por um erro de refração (hipermetropia excessiva) ou por um desequilíbrio na força dos músculos que controlam a posição dos olhos. Perda de visão grave em um dos olhos (devido a erro de refração ou distúrbios menos comuns, tais como cataratas) pode causar estrabismo, porque interfere na capacidade do cérebro de manter o alinhamento dos olhos. Outras causas incluem retinoblastoma (um tipo de câncer do olho) e doenças neurológicas, como paralisia cerebral, espinha bífida, fraqueza de nervos cranianos que controlam o movimento ocular, traumatismos cranianos e infecção viral do cérebro (encefalite). Às vezes, uma fratura da órbita ocular pode bloquear o movimento do olho e causar estrabismo.

Tipos

Há diversos tipos de estrabismo. Alguns tipos são caracterizados pelo desvio dos olhos para dentro (esotropia ou olhos cruzados) e alguns pelo desvio para o exterior (exotropia ou olho errante). Outros se caracterizam por desvio ascendente do olho (hipertropia) ou descendente (hipotropia). O defeito de alinhamento pode ser constante (o olho vira todo o tempo) ou intermitente (o olho vira apenas parte do tempo) e pode ser leve ou grave.

Estrabismo: um olho desalinhado

Há diversos tipos de estrabismo. Nos tipos mais frequentes, um olho se desvia para dentro (esotropia ou olho cruzado) ou para fora (exotropia ou olho errante). Nesta ilustração, o olho direito da criança está afetado.

Estrabismo: um olho desalinhado

Uma foria é um desalinhamento imperceptível e menor dos olhos. Este desalinhamento é facilmente corrigido pelo cérebro de maneira a se manter um aparente alinhamento dos olhos e permitir a fusão das imagens de ambos os olhos. Assim, forias em geral não causam sintomas e não necessitam de tratamento, a menos que sejam grandes e causem descompensação e visão dupla (diplopia).

Uma tropia é um desvio ou desalinhamento constante e perceptível de um ou de ambos os olhos. Um desvio intermitente que é frequente e mal controlado pelo cérebro é chamado tropia intermitente.

Sintomas

Os pais às vezes notam o estrabismo porque a criança aperta os olhos ou cobre um deles. O defeito pode ser detectado observando-se que a criança parece até mesmo assumir uma postura anômala ou não se mover de maneira coordenada.

A menos que sejam graves, as forias raramente causam sintomas. Caso causem sintomas, forias costumam causar fadiga ocular.

As tropias às vezes causam sintomas. Crianças mais novas frequentemente perdem a visão em um dos olhos (ambliopia), porque o cérebro suprime a imagem do olho desalinhado para evitar confusão e visão dupla. Crianças mais velhas podem sofrer de visão dupla ou podem apresentar torção e espasmos no pescoço (torcicolo) para compensar o desalinhamento dos olhos.

Diagnóstico

  • Exame do olho

  • Algumas vezes, exames de imagem

As crianças devem ser examinadas periodicamente para medição da visão e para detectar sinais de estrabismo com poucos meses de idade. Para se examinar um bebê, o médico ilumina os olhos dele para ver se a luz é refletida a partir do mesmo local em cada uma das pupilas.

Crianças mais velhas podem ser examinadas de maneira mais completa. Pode-se pedir às crianças que reconheçam objetos ou letras com um olho coberto e que participem de exames para avaliar o alinhamento dos olhos. Todas as crianças com estrabismo precisam ser examinadas por um oftalmologista. (Consulte O exame do olho.)

O médico pode realizar exames de imagem, como tomografia computadorizada (TC) ou exame de ressonância magnética (RM – consulte Exames de imagem) do cérebro ou da medula espinhal em crianças com paralisias dos nervos cranianos. Além disso, exames de sangue podem ser feitos em busca de distúrbios genéticos.

Você sabia que...

  • Crianças com três anos de idade já podem realizar um exame de visão preventivo.

Prognóstico

O estrabismo não deve ser ignorado ou observado assumindo-se que ele desaparecerá com a idade. Perda permanente da visão pode ocorrer caso a ambliopia surja e não seja tratada antes dos quatro aos seis anos de idade. As crianças tratadas mais tarde podem melhorar com o tratamento, mas após o amadurecimento do sistema visual (normalmente por volta dos oito anos de idade), a resposta ao tratamento é mínima. Como resultado, todas as crianças devem passar por um exame de visão preventivo formal nos anos pré-escolares.

As taxas de sucesso do reparo cirúrgico do estrabismo podem ficar acima de 80%.

Tratamento

  • Tratamento da ambliopia, caso esteja presente

  • Óculos de grau ou lentes de contato

  • Exercícios oculares

  • Cirurgia para alinhar os olhos

Caso o defeito seja menor ou intermitente, tratamento pode não ser necessário. Contudo, caso o estrabismo seja grave ou esteja progredindo, tratamento é necessário.

O tratamento do estrabismo depende das características e da causa do estrabismo. O objetivo do tratamento é a equalização da visão e depois o alinhamento dos olhos.

No caso de crianças com ambliopia, os médicos forçam a criança a usar o olho mais fraco colocando um tampão sobre o olho melhor ou usando colírios para turvar a visão do olho melhor. O tampão ou uso do colírio no melhor olho permite que o olho mais fraco fique mais forte. A colocação de tampão não representa, no entanto, tratamento do estrabismo.

No caso de crianças com erro de focalização significativo, os médicos geralmente receitam óculos de grau ou lentes de contato. Às vezes, exercícios oculares podem ajudar a corrigir a exotropia intermitente.

Para tratar o estrabismo, os olhos são alinhados cirurgicamente quando métodos não cirúrgicos fracassam em alinhar os olhos de maneira satisfatória. O reparo cirúrgico consiste em afrouxar (recessão) ou apertar (ressecção) os músculos dos olhos. As crianças em geral não são hospitalizadas para este procedimento cirúrgico. Contudo, o procedimento pode causar complicações, sendo as mais comuns delas correção além do necessário (supercorreção) ou correção abaixo do necessário (subcorreção) e um estrabismo que ressurge no futuro. Em casos raros, as crianças desenvolvem uma infecção, sangramento excessivo ou perda da visão.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Administração de insulina
Vídeo
Administração de insulina
O diabetes é um quadro clínico que se desenvolve devido a concentrações elevadas de glicose...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS