Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Hiperfosfatemia (níveis altos de fosfato no sangue)

Por

James L. Lewis, III

, MD, Brookwood Baptist Health and Saint Vincent’s Ascension Health, Birmingham

Última revisão/alteração completa set 2018| Última modificação do conteúdo set 2018
Clique aqui para a versão para profissionais

Na hiperfosfatemia, os níveis de fosfato no sangue estão excessivamente altos.

O fosfato é um dos eletrólitos do corpo, que são minerais que carregam uma carga elétrica quando dissolvidos em líquidos corporais, como o sangue, mas a maioria do fosfato no corpo não tem carga.

A hiperfosfatemia é rara, exceto em pessoas com disfunção renal grave. Nessas pessoas, os rins não excretam fosfato suficiente. A diálise, frequentemente utilizada para tratar a disfunção renal não é muito eficaz na remoção de fosfato e, portanto, não reduz o risco de hiperfosfatemia.

Com menos frequência, a hiperfosfatemia surge em pessoas com:

  • Níveis baixos de hormônio da paratireoide (hipoparatireoidismo)

  • Falta de resposta a níveis normais de hormônio da paratireoide (pseudo-hipoparatireoidismo)

  • Lesões por compressão

  • Destruição do tecido muscular (rabdomiólise)

  • Infecções sistêmicas graves (sepse)

  • Grandes quantidades de fosfato tomadas por via oral ou administradas em enema

Sintomas

A maioria das pessoas com hiperfosfatemia não tem sintomas. No entanto, em pessoas com disfunção renal grave, o cálcio se combina com o fosfato, o que reduz os níveis de cálcio no sangue (um distúrbio denominado hipocalcemia). A presença de níveis baixos de cálcio pode causar cãibras e espasmos musculares, mas também causa um aumento nos níveis de hormônio da paratireoide, resultando em fraqueza óssea e outros problemas.

O cálcio e o fosfato também podem formar cristais (calcificar) nos tecidos do organismo, inclusive nas paredes dos vasos sanguíneos. Pode ocorrer arteriosclerose grave (enrijecimento das artérias), levando a acidentes vasculares cerebrais, ataques cardíacos e má circulação.

Também podem se formar cristais na pele, onde causam coceira grave.

Diagnóstico

  • Medição dos níveis de fosfato no sangue

O diagnóstico da hiperfosfatemia toma por base exames de sangue que indicam que os níveis de fosfato estão elevados.

Tratamento

  • Uma dieta com baixo teor de fosfato

  • Medicamentos para aumentar a excreção de fosfato

Em pessoas com disfunção renal, a hiperfosfatemia é tratada por meio da diminuição do consumo de fosfato e da redução da absorção de fosfato no trato digestivo. Os alimentos que são ricos em fosfato, tal como leite, gema de ovo, chocolate e refrigerantes devem ser evitados.

Medicamentos que se ligam ao fosfato, como o sevelâmer, o lantânio e compostos de cálcio, devem ser tomados com as refeições, conforme receitado pelo médico. Esses medicamentos dificultam a absorção do fosfato e mais fosfato é excretado. O sevelâmer e lantânio costumam ser utilizados em pessoas que realizam diálise, porque os compostos de cálcio podem tornar os cristais de cálcio-fosfato mais propensos a se formarem em tecidos.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral do sistema endócrino e hormonal
Vídeo
Visão geral do sistema endócrino e hormonal
Modelos 3D
Visualizar tudo
Sistema endócrino masculino
Modelo 3D
Sistema endócrino masculino

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS