Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Dormência

Por

Michael C. Levin

, MD, College of Medicine, University of Saskatchewan

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A dormência refere-se à perda parcial ou completa da sensibilidade. Pode ser um sintoma de mau funcionamento do sistema nervoso.

Pessoas com dormência podem não conseguir sentir um toque leve, dor, temperatura ou vibração, ou mesmo saber onde as partes do seu corpo estão (sensação de posição). Quando as pessoas não sabem onde as partes do seu corpo estão, elas têm problemas com equilíbrio e coordenação.

Muitas pessoas usam erroneamente o termo dormência quando têm sensações anormais, como formigamento ou sensação de picada, ou quando um membro parece fraco ou paralisado — possivelmente porque as pessoas com dormência muitas vezes também têm tais sensações e sintomas anormais. A presença de outros sintomas depende da causa da dormência.

Se ela estiver presente um longo tempo, em especial nos pés, pode levar a outros problemas. As pessoas podem ter dificuldade para caminhar e dirigir um veículo, e podem ter maiores chances de cair. Elas podem não notar infecções, úlceras nos pés e lesões porque também não sentem dor. Nesses casos, o tratamento pode ser retardado.

Via de sensibilidade

Para um indivíduo sentir sensações normalmente, os receptores sensoriais (terminações especializadas de fibras nervosas sensitivas na pele) devem detectar informações no corpo e ao redor dele. Portanto, esses receptores devem enviar um sinal ao longo da seguinte via:

  • Por nervos sensitivos (nervos da pele até a medula espinhal)

  • Por raízes nervosas espinhais, formadas por nervos sensitivos reunidos em ramos curtos e grossos que passam pela coluna dorsal (vértebras) para se conectarem à medula espinhal (consulte a figura Como a medula espinhal está organizada)

  • Até a medula espinhal

  • Pelo tronco cerebral

  • Para a parte do cérebro que percebe e interpreta esses sinais (no telencéfalo)

Para algumas partes do corpo, a via inclui um plexo ou cauda equina.

Plexos são as redes de fibras nervosas sensitivas e fibras nervosas motoras (que transportam sinais da medula espinhal e do cérebro aos músculos e outras partes do corpo). Nos plexos, essas fibras nervosas são combinadas e classificadas para atender a uma área específica do corpo. As fibras então bifurcam-se do plexo para tornarem-se nervos periféricos. Há quatro plexos no tronco.

A cauda equina é um conjunto de fibras de raiz nervosa espinhal na parte inferior da medula espinhal. Essa estrutura parece um rabo de cavalo, que é o significado do nome em latim. Ela dá sensibilidade às coxas, nádegas, genitais e à área entre eles, chamada de área de sela por ser a área do corpo que tocaria a sela.

Causas

A dormência ocorre quando uma parte da via de sensações funciona mal, geralmente devido a uma doença ou um medicamento.

Muitos quadros clínicos podem causar a dormência de várias formas. Por exemplo, eles podem

A pressão em partes diferentes da via tem várias causas, dependendo de qual parte da via for afetada (consulte a tabela Algumas causas e características de dormência), como nos seguintes casos:

Avaliação

Como muitas doenças podem causar dormência, os médicos fazem perguntas sistematicamente, concentrando-se nas causas mais prováveis.

Sinais de alerta

Em pessoas com dormência, os seguintes sintomas são motivo de preocupação:

  • Dormência começa repentinamente (em minutos ou horas)

  • Fraqueza começa repentina ou rapidamente (em horas ou dias)

  • Dormência ou fraqueza que rapidamente estende-se acima ou abaixo do corpo, envolvendo cada vez mais partes do corpo

  • Dificuldade em respirar

  • Dormência nas coxas, nádegas, genitais e na área entre eles (área de sela) e perda de controle do intestino e da bexiga (incontinência)

  • Dormência nos dois lados abaixo de um nível específico do corpo (como abaixo da linha média do peito)

  • Dormência na perna ou no braço completo

  • Perda de sensibilidade no rosto e tronco

Quando consultar um médico

Pessoas com sinais de alerta devem procurar um hospital imediatamente. As pessoas sem sinais de alerta devem consultar seus médicos. Eles podem decidir com que rapidez essas pessoas devem ser atendidas com base nos sintomas.

O que o médico faz

Os médicos começam perguntando quais partes do corpo foram afetadas. O padrão das partes do corpo afetadas pela dormência muitas vezes indica qual parte da via nervosa está funcionando de modo falho:

  • Parte de um membro: Mau funcionamento do nervo periférico ou às vezes da raiz do nervo espinhal

  • Braço e perna do mesmo lado do corpo: Mau funcionamento cerebral

  • Ambos os lados do corpo abaixo de um nível específico: Mau funcionamento da medula espinhal, como ocorre na mielite transversa (que causa inflamação em toda a largura da medula espinhal)

  • Os dois lados, especialmente mãos e pés: Disfunção simultânea de vários nervos periféricos pelo corpo (polineuropatia)

Então, os médicos perguntam sobre outros sintomas do indivíduo e o histórico médico. Os médicos também realizam um exame físico. O que eles identificam no histórico e durante o exame físico frequentemente indica uma causa e os exames que possivelmente precisarão ser realizados (consulte a tabela Algumas causas e características de dormência).

Os médicos pedem que o indivíduo descreva a dormência. Então, podem fazer perguntas específicas:

  • Quando a dormência começou

  • Com que rapidez

  • Se o indivíduo também apresentar outros sintomas como sensações anormais, fraqueza ou paralisia, perda de controle da bexiga ou do intestino, retenção de urina, problemas de visão, dificuldade para engolir ou deterioração do funcionamento mental

  • Se qualquer evento, como pressão em um membro, uma lesão, dormir em uma posição incômoda ou uma infecção desencadeou os sintomas

Saber com que rapidez a dormência e outros sintomas começaram ajuda os médicos a determinar o tipo de problema.

Eles perguntam ao indivíduo sobre sintomas que podem sugerir uma causa. Por exemplo, dor no pescoço e/ou costas sugere osteoartrite, ruptura de um disco ou outro problema que pressiona a medula espinhal.

Os médicos também perguntam se o indivíduo tem ou teve alguma doença que possa causar a dormência, em especial diabetes, doença renal crônica, infecções (como infecção por HIV ou doença de Lyme), um acidente vascular cerebral ou artrite. Os médicos podem perguntar se algum parente teve sintomas semelhantes ou tem alguma doença hereditária que afete o sistema nervoso. Eles perguntam sobre o uso de medicamentos, incluindo drogas para recreação, e sobre possível exposição a toxinas.

O exame físico inclui uma avaliação completa do sistema nervoso (exame neurológico), concentrando-se em testar a sensibilidade (se o indivíduo pode sentir normalmente os estímulos, como toque e temperatura), bem como os reflexos e o funcionamento muscular.

Tabela
icon

Algumas causas e características de dormência

Causa

Características comuns*

Exames

Dormência nos dois membros (braço e perna) em um lado do corpo

Doenças que afetam a camada externa do telencéfalo (a maior parte do cérebro), como

Perda da sensibilidade no mesmo lado do rosto e corpo afetado pelo distúrbio e perda da capacidade de reconhecer itens pelo toque

Em geral, fraqueza, perda de coordenação e outros sintomas que indicam mau funcionamento do sistema nervoso

RM ou TC do cérebro

Distúrbios que afetam a parte superior do tronco cerebral, como

  • Acidente vascular cerebral

  • Tumores

  • Abscessos (bolsas de pus)

Perda da sensibilidade no mesmo lado do rosto e corpo afetado pelo distúrbio

Muitas vezes visão dupla

RM ou TC do cérebro

Distúrbios que afetam a parte inferior do tronco cerebral, como

  • Acidente vascular cerebral

  • Tumores

  • Distúrbios cerebrais degenerativos

Perda de sensibilidade em um lado do rosto e no lado oposto do corpo afetado pelo distúrbio

Muitas vezes, problemas de visão e dificuldade para mastigar, engolir e falar

RM do cérebro

Dormência nos membros ou tronco dos dois lados

Distúrbios que afetem a largura da medula espinhal, como

Perda de sensibilidade e geralmente fraqueza abaixo de um determinado nível do corpo

Sem perda de sensibilidade no rosto

Em geral, retenção de urina, perda de controle da bexiga e do intestino (incontinência) e/ou resposta sexual reduzida, incluindo disfunção erétil em homens

RM da medula espinhal

Síndrome de cauda equina, causada por pressão, como resultado de

  • Um disco rompido ou com hérnia

  • Disseminação de câncer à coluna

Dormência principalmente nas coxas, nádegas, bexiga, genitais e na área entre elas (área de sela)

Em geral, dor lombar

Muitas vezes retenção de urina, perda de controle da bexiga e do intestino e/ou resposta sexual reduzida, incluindo disfunção erétil em homens

RM da medula espinhal

A polineuropatia (disfunção simultânea de muitos nervos periféricos por todo o corpo) pode ser causada por

Dormência e sensibilidade anormal em praticamente as mesmas áreas nos dois lados do corpo, especialmente pés e mãos

Às vezes, fraqueza e perda de reflexos

Estudos de condução nervosa (medem a velocidade em que os nervos transmitem sinais) e eletromiografia (estímulo de músculos e registro da atividade elétrica)

Outros testes dependendo da suspeita de outras doenças

Doenças desmielinizantes (doenças que fazem com que os nervos se inflamem e percam a camada externa, chamada bainha de mielina), como

  • Esclerose múltipla

Muitas vezes, fraqueza ou falta de coordenação e sensações anormais (como formigamento ou dormência)

Às vezes, alterações na visão ou no discurso

RM do cérebro e da medula espinhal

Punção lombar (punção na coluna vertebral) para analisar uma amostra de líquido cefalorraquidiano (o líquido que circunda o cérebro e a medula espinhal)

Dormência em parte de um membro

Distúrbios que afetam uma raiz nervosa espinhal, como

Dor que

  • Às vezes se espalha para baixo no braço ou na perna

  • Pode parecer um choque elétrico

  • Pode ser piorada ao mover a coluna, tossir ou fazer uma manobra de Valsalva (exalar forçosamente sem deixar o ar escapar pelo nariz ou pela boca)

Muitas vezes fraqueza e/ou reflexos reduzidos ou ausentes na área atendida pela raiz nervosa

Exame médico

Às vezes RM ou TC da medula espinhal

Às vezes estudos de condução nervosa e eletromiografia

Distúrbios que afetam um plexo (uma rede de fibras nervosas), como

  • Uma lesão, como esfaqueamento

  • Câncer que se estende a órgãos perto de um plexo

  • Neurite braquial (mau funcionamento súbito do plexo no pescoço e ombro)

Dormência, dor e/ou fraqueza em área relativamente extensa de um membro

Estudos de condução nervosa e eletromiografia

RM

Mononeuropatia (mau funcionamento de um nervo periférico), como ocorre em

Dormência com ou sem dor

Muitas vezes fraqueza e reflexos reduzidos ou ausentes na área atendida por uma raiz nervosa

Exame médico

Às vezes estudos de condução nervosa e eletromiografia

*As características incluem sintomas e resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

TC = tomografia computadorizada; RM = imagem por ressonância magnética.

Exames

Exames não são necessários se o diagnóstico for óbvio e o tratamento envolver apenas medidas gerais (como repouso ou uso de uma tala) — por exemplo, em alguns casos de síndrome do túnel do carpo.

Em outros casos, os testes são feitos com base no local em que os médicos acreditam estar o problema:

  • Para nervos sensitivos, plexos ou raízes nervosas espinhais: Estudos de condução nervosa e eletromiografia

  • Para plexos: Às vezes imagem por ressonância magnética (RM) após injeção de contraste em uma veia

  • Para cérebro ou medula espinhal: RM ou, se não houver RM prontamente disponível, tomografia computadorizada (TC)

Estudos de condução nervosa e eletromiografia muitas vezes são feitos ao mesmo tempo. Estudos de condução nervosa usam eletrodos ou agulhas pequenas para estimular um nervo. Então, os médicos medem a velocidade de transmissão de sinais do nervo. A eletromiografia é um procedimento no qual se insere uma pequena agulha em um músculo para registrar a sua atividade elétrica, tanto em repouso como durante a contração muscular.

Outros testes são feitos para identificar um problema específico. Por exemplo, se os resultados sugerirem polineuropatia, os médicos fazem exames de sangue para verificar as várias causas (como diabetes, doenças renais ou deficiências de vitaminas).

Tratamento

O motivo de dormência é corrigido ou tratado quando possível.

Medidas gerais podem ajudar a aliviar os sintomas e evitar problemas adicionais. Medidas para evitar lesões são necessárias porque as pessoas com dormência têm menor probabilidade de sentir desconforto. Se os pés estiverem dormentes, em especial se a circulação for comprometida, eles devem usar meias e sapatos que se ajustam bem e devem verificar se os sapatos têm pedrinhas ou outro material estranho antes de calçá-los. As pessoas devem inspecionar os pés frequentemente em busca de ferimentos e sinais de infecção, como vermelhidão. Se as mãos ou os dedos ficarem dormentes, as pessoas devem ter cuidado ao manusear objetos quentes ou perfurocortantes.

Se as pessoas tiverem dificuldade para caminhar ou tiverem perdido o sentido de posição (onde as partes do corpo estão), fisioterapia pode ajudá-los a aprender a caminhar com segurança e evitar quedas.

As pessoas devem ter consciência que podem ter problemas ao dirigir veículos e se o fizerem, devem conversar com o médico sobre os problemas.

Pontos-chave

  • A dormência refere-se à perda parcial ou completa da sensibilidade e é muitas vezes acompanhada por sensações anormais, como zumbido.

  • A dormência tem causas diversas e ocorre quando uma parte da via de receptores sensitivos na pele até o cérebro não funciona corretamente.

  • Se o indivíduo apresentar qualquer sinal de alerta, deve procurar um médico imediatamente.

  • Contar ao médico quais partes do corpo são afetadas e com que rapidez os sintomas se desenvolvem ajuda o médico a identificar o local e a causa do mau funcionamento.

  • O teste geralmente começa com estudos de condução nervosa e eletromiografia se houver suspeita de que os nervos sensitivos, plexos ou raízes nervosas espinhais estão afetadas, ou com RM se houver suspeita de que o cérebro ou a medula espinhal foram afetados.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Punção lombar
Vídeo
Punção lombar
A medula espinhal é um feixe de nervos que percorre desde a base do cérebro por todas as costas...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Coluna vertebral e medula espinhal
Modelo 3D
Coluna vertebral e medula espinhal

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS