Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Transtorno de personalidade histriônica (TPH)

Por

Andrew Skodol

, MD, University of Arizona College of Medicine

Última modificação do conteúdo mai 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

O transtorno de personalidade histriônica é caracterizado por um padrão generalizado de excessiva emocionalidade e busca de atenção. O diagnóstico é por critérios clínicos. O tratamento é com psicoterapia psicodinâmica.

Pacientes com transtorno de personalidade histriônica usam sua aparência física, agindo de forma inadequadamente sedutora ou provocadora, para chamar a atenção dos outros. Eles não têm um senso de autodireção e são altamente sugestionáveis, muitas vezes agindo de forma submissa para reter a atenção dos outros.

A prevalência estimada é < 2% da população geral. É diagnosticado com mais frequência em mulheres, mas isso pode refletir apenas a maior prevalência entre as mulheres nos locais de atendimento, onde os dados foram obtidos. Em alguns estudos, a prevalência entre as mulheres e os homens foi semelhante.

Comorbidades são comuns, particularmente outros transtornos de personalidade (antissocial, borderline, narcisista), sugerindo que esses transtornos compartilham uma vulnerabilidade biológica ou lançando dúvidas sobre se o transtorno de personalidade histriônico é um transtorno separado. Alguns pacientes também têm transtorno de sintoma somático, que pode ser a razão pela qual eles se apresentam para avaliação. Transtorno depressivo maior, distimia e transtorno de conversão também podem coexistir.

Sinais e sintomas

Pacientes com transtorno de personalidade histriônica exigem continuamente que sejam o centro das atenções e muitas vezes ficam deprimidos quando não são. Eles são muitas vezes altamente dramáticos, entusiastas e paqueradores e, às vezes, encantam novos conhecidos.

Esses pacientes muitas vezes se vestem e agem de forma inadequadamente sedutora e provocante, não apenas com potenciais interesses românticos, mas em muitos contextos (p. ex., trabalho, escola). Eles querem impressionar os outros com sua aparência e, assim, muitas vezes ficam preocupados com a forma como parecem.

Expressão da emoção pode ser superficial (desligada e ligada muito rapidamente) e exagerada. Eles falam de forma dramática, expressando opiniões fortes, mas com poucos fatos ou detalhes para apoiar suas opiniões.

Pacientes com transtorno de personalidade histriônica são facilmente influenciados por outros e pelas tendências momentâneas. Eles tendem a confiar muito nos outros, especialmente em figuras de autoridade que, pensam, podem ser capazes de resolver todos os seus problemas. Eles frequentemente acham que os relacionamentos são mais próximos do que eles são. Eles anseiam por novidade e tendem a se aborrecer facilmente. Assim, eles podem trocar de emprego e amigos com frequência. Gratificação adiada é muito frustrante para eles, então suas ações são muitas vezes motivadas pela obtenção de satisfação imediata.

Alcançar intimidade emocional ou sexual pode ser difícil. Os pacientes podem, muitas vezes sem ter ciência disso, desempenhar um papel (p. ex., vítima). Eles podem tentar controlar seus parceiros usando sedução ou manipulações emocionais e, ao tempo, tornarem-se muito dependentes do parceiro.

Diagnóstico

  • Clinical criteria (Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders, Fifth Edition [DSM-5])

Para o diagnóstico do transtorno de personalidade histriônica, os pacientes devem ter

  • Padrão generalizado de excessiva emocionalidade e busca de atenção.

Esse padrão se caracteriza por ≥ 5 dos seguintes:

  • Desconforto quando eles não são o centro das atenções

  • Interação com os outros que é inadequadamente sedutora ou provocativa sexualmente

  • Mudança rápida e expressão superficial das emoções

  • Uso consistente da aparência física para chamar a atenção para eles mesmos

  • Discruso que é extremamente impressionista e vago

  • Autodramatização, teatralidade e expressão extravagante das emoções

  • Sugestionabilidade (facilmente influenciados por outras pessoas ou situações)

  • Interpretação dos relacionamentos como mais íntimos do que são

Além disso, os sintomas devem ter ocorrido no início da idade adulta.

Diagnóstico diferencial

O transtorno de personalidade histriônica pode ser distinguido de outros transtornos de personalidade com base em componentes característicos:

  • Transtorno de personalidade narcisista: pacientes com transtorno de personalidade narcisista também buscam atenção, mas, ao contrário daqueles com transtorno de personalidade histriônica, querem sentir-se admirados ou enaltecidos; os pacientes com transtorno de personalidade histriônica não são tão exigentes quanto ao tipo de atenção que recebem e não se importam de serem considerados espertos ou tolos.

  • Transtorno de personalidade limítrofe: os pacientes com transtorno de personalidade limítrofe se consideram maus e sentem emoções de modo intenso e profundo; os pacientes com transtorno de personalidade histriônica não se veem como maus, embora sua dependência da reação dos outros possa ser decorrente de baixa autoestima.

  • Transtorno de personalidade dependente: pacientes com transtorno de personalidade dependente, como aqueles com transtorno de personalidade histriônica, tentam estar perto dos outros, mas são mais ansiosos, inibidos e submissos (porque estão preocupados com a rejeição); pacientes com transtorno de personalidade histriônica são menos inibidos e mais extravagantes.

O diagnóstico diferencial do transtorno de personalidade histriônica também compreende o transtorno de sintoma somático e o transtorno de ansiedade de doença.

Tratamento

  • Psicoterapia psicodinâmica

O tratamento geral do transtorno de personalidade histriônica é o mesmo que para todos os transtornos de personalidade.

Pouco se sabe sobre a eficácia da terapia cognitivo-comportamental e terapia medicamentosa para o transtorno de personalidade histriônica.

A psicoterapia psicodinâmica, que focaliza os conflitos subjacentes, pode ser tentada. O terapeuta pode começar incentivando os pacientes a substituir o discurso pelo comportamento e, portanto, os pacientes podem compreender-se e se comunicar com os outros de uma forma menos dramática. Então, o terapeuta pode ajudar os pacientes a perceber como seus comportamentos histriônicos são uma forma mal-adaptativa de atrair atenção dos outros e de gerenciar sua auto-estima.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral da depressão
Vídeo
Visão geral da depressão
Visão geral da esquizofrenia
Vídeo
Visão geral da esquizofrenia

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS