Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Picadas de carrapatos

Por

Robert A. Barish

, MD, MBA, University of Illinois at Chicago;


Thomas Arnold

, MD, Department of Emergency Medicine, LSU Health Sciences Center Shreveport

Última modificação do conteúdo ago 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A maioria das picadas de carrapatos nos EUA são decorrentes de várias espécies de Ixodidae, o qual ataca e se alimenta por vários dias se não for removido. A transmissão da doença é a principal preocupação e se torna mais provável se os carrapatos estiverem grudados por muito tempo. ( Doença de Lyme, Visão geral das infecções por riquétsias e infecções relacionadas e Babesiose.)

A maioria das picadas ocorre na primavera e no verão e são indolores. A grande maioria não apresenta complicações e não transmite doenças. Entretanto, eles frequentemente causam uma pápula avermelhada no local da picada e podem induzir hipersensibilidade ou reações granulomatosas a corpos estranhos. As picadas do carrapato Ornithodoros coriaceus (pajaroello) desencadeiam vesiculação local, pustulação com ruptura, ulceração e formação de escara, com vários graus de edema e dor. Reações similares têm ocorrido com picadas de outros carrapatos.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito por avaliação clínica e identificação do carrapato.

Carrapatos do cervo

Carrapatos do cervo

Tratamento

  • Remoção dos carrapatos com fórceps rombo com ponta curva

  • Algumas vezes, doxiciclina profilática

A remoção dos carrapatos deve ocorrer tão logo quanto possível, a fim de reduzir a resposta imunitária cutânea e a possibilidade de transmissão de doenças. Se o paciente tem ainda o carrapato grudado, o melhor método para extraí-lo juntamente com toda sua parte bucal é usar um fórceps rombo com ponta meio curva. O fórceps é colocado paralelamente à pele para segurar firmemente as partes da boca do carrapato tão perto da pele quanto possível. É preciso tomar cuidado para evitar a puntura da pele do paciente e do corpo do carrapato. O fórceps deve ser puxado lenta e firmemente, diretamente para longe da pele, sem torcer. O fórceps de ponta curva é melhor, pois a curvatura externa pode ser encostada contra a pele, enquanto a manipulação é feita um tanto longe desta para que se possa puxar facilmente.

As partes da boca do carrapato que permanecem na pele e são facilmente visíveis devem ser removidas cuidadosamente. Todavia, se a presença de partes da boca é questionável, tentativas de remoção cirúrgica podem causar mais trauma tissular do que se as partes fossem deixadas na pele; as partes deixadas na pele não afetam a transmissão de doenças e, no máximo, prolongam a irritação. Outros métodos para remover o carrapato, mas que não são recomendáveis, são queimá-los com fósforo, o que pode lesar a pele do paciente, ou cobri-lo com vaselina, o que é ineficaz.

Após remover o carrapato, deve-se aplicar antisséptico. Se houver edema e pigmentação local, um anti-histamínico por via oral pode ser útil. Apesar de ser raramente prático, o carrapato pode ser guardado com a finalidade de análise laboratorial para detectar agentes etiológicos de doenças de carrapatos em regiões geográficas nas quais o paciente adquiriu o carrapato.

Lesões por picadas de Pajaroello devem ser limpas, embebidas em solução de Burow 1:20 e debridadas quando necessário. Corticoides são úteis em casos graves. Infecções são comuns durante a fase de úlcera, mas raramente requerem mais que medidas antissépticas locais.

Profilaxia da doença de Lyme

Uma dose única de doxiciclina (200 mg para adultos e 4 mg/kg até um máximo de 200 mg para crianças 8 anos) deve ser considerada quanto todos os critérios abaixo são seguidos:

  • O carrapato é um adulto ou ninfal Ixodes scapularis.

  • Estima-se que o carrapato esteja aprisionado por 36 h baseado no grau de ingurgitamento ou certeza sobre o tempo de exposição.

  • Profilaxia pode ser iniciada dentro de 72 h após a remoção do carrapato.

  • A incidência local de infecção de carrapatos com Borrelia burgdorferi é 20%.

  • Doxiciclina não é contraindicada.

Alguns especialistas recomendam um período mais longo de doxiciclina (100 mg VO bid por 10 a 20 dias) para assegurar a erradicação.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Vídeo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tecido conjuntivo musculoesquelético
Modelo 3D
Tecido conjuntivo musculoesquelético

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS