Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Paralisia por carrapatos

Por

Robert A. Barish

, MD, MBA, University of Illinois at Chicago;


Thomas Arnold

, MD, Department of Emergency Medicine, LSU Health Sciences Center Shreveport

Última modificação do conteúdo ago 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A paralisia flácida ascendente por carrapatos é rara e ocorre quando a toxina é secretada pelas picadas do carrapato Ixodidae, o qual permanece aderido por diversos dias.

Nos Estados Unidos, algumas espécies de Dermacentor e Amblyomma causam paralisia pelo carrapato em decorrência da neurotoxina secretada de sua saliva. A toxina não está presente na saliva do carrapato durante as fases iniciais de sua alimentação, de modo que a paralisia ocorre somente quando o carrapato se alimenta por vários dias ou mais. Uma simples picada causa paralisia especialmente se o carrapato estiver aderido à região dorsal do crânio ou perto da coluna espinal.

Sinais e sintomas compreendem anorexia, letargia, fraqueza muscular, nistagmo, coordenação prejudicada e paralisia flácida ascendente. Pode se desenvolver paralisia bulbar ou respiratória.

O diagnóstico baseia-se em achados clínicos. A paralisia por carrapatos deve ser considerada em pacientes nos Estados Unidos com paralisia fácida ascendente ou paralisia bulbar; deve-se procurar pelos carrapatos em toda a superfície do corpo e removê-los. O diagnóstico diferencial inclui síndrome de Guillain-Barré, botulismo, miastenia grave, hipopotassemia e tumor do cordão espinal.

Tratamento

  • Remoção dos carrapatos

  • Cuidados de suporte

A paralisia pode ser fatal, mas é rapidamente reversível ao remover o carrapato (ou carrapatos). Em geral, a paralisia começa a desaparecer poucas horas após a remoção do carrapato, mas pode evoluir por 24 a 48 h após a remoção do carrapato. Se houver comprometimento respiratóiro, pode ser necessária oxigenioterapia ou assistência respiratória.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Vídeo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tecido conjuntivo musculoesquelético
Modelo 3D
Tecido conjuntivo musculoesquelético

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS