Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Dor nas pernas

Por

Paul L. Liebert

, MD, Tomah Memorial Hospital, Tomah, WI

Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

O termo “dor nas pernas” refere-se à dor não específica que ocorre nas pernas durante a corrida.

Com frequência, forças de impacto repetitivas durante corrida ou atletismo (p. ex., caminhada) podem sobrecarregar a unidade musculotendinosa e causar dores nas pernas. Algumas vezes, essas dores resultam de lesão específica (p. ex., fratura tibial de estresse, síndrome compartimental induzida por exercício, periostite tibial, pronação excessiva do pé); porém, uma causa exata não pode, em geral, ser identificada. Nesses casos, o termo “dor nas pernas” é usado.

Sinais e sintomas

Dor no membro inferior pode ocorrer na face anterior ou posterior do membro inferior e, normalmente, começa no início da corrida, porém diminui quando a corrida continua. A dor que persiste durante o repouso sugere outra causa, como fratura de estresse da tíbia.

Diagnóstico

  • Geralmente clínico

No exame, graves pontos de sensibilidade normalmente se apresentam acima dos compartimentos dos músculos anteriores e, algumas vezes, são acompanhados de dor óssea palpável.

Radiografias não são, normalmente, marcantes, desconsiderando a causa. Se fratura de estresse é suspeitada, TC óssea pode ser necessária.

A síndrome compartimental induzida por exercício é diagnosticada com uso de manômetro especializado para documentar pressão intracompartimental aumentada após exercício.

Tratamento

  • Modificação da atividade

  • Alongamentos, AINEs

A prática de corrida deve ser interrompida mesmo que não cause dor. O primeiro tratamento consiste em gelo, AINEs e alongamento dos músculos anteriores e posteriores da panturrilha. Durante a fase de repouso do tratamento, o descondicionamento pode ser minimizado pelo encorajamento do atleta a usar técnicas de treinamento cruzado, as quais não requerem atividade repetitiva com atividade de carga, como natação.

Uma vez que os sintomas são resolvidos, é aconselhável que o retorno à corrida seja gradual. Algumas vezes, o uso de calçados de apoio com contraforte rígido e reforço no arco do pé ajuda a apoiar pé e tornozelo durante a corrida, o que pode auxiliar na recuperação e prevenção de sintomas futuros. Evitar a corrida em superfícies duras (p. ex., ruas cimentadas) também pode ajudar. Exercitar as panturrilhas por dorsiflexão do tornozelo contra a resistência (p. ex., elásticos) aumenta a força muscular e ajuda a prevenir dor nas pernas.

Exercícios para aliviar a dor tibial
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Vídeo
Alteração unilateral no teste de Thompson
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tecido conjuntivo musculoesquelético
Modelo 3D
Tecido conjuntivo musculoesquelético

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS