Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Fasciolíase

(Infecção hepática comum por trematódeos; infecção por trematódeo do fígado de ovelhas)

Por

Richard D. Pearson

, MD, University of Virginia School of Medicine

Última modificação do conteúdo mai 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Fasciolíase é uma infecção causada pelo trematódeo Fasciola hepatica, que é adquirido com a ingestão de agrião contaminado ou outras plantas aquáticas.

Trematódeos são parasitas achatados que infectam várias partes do corpo (p. ex., vasos sanguíneos, trato gastrintestinal, pulmões, fígado) dependendo da espécie.

F. hepatica é o trematódeo do fígado de ovelhas e gados. A fasciolíase humana incidental, adquirida pela ingestão de agrião contaminado por esterco de ovelha ou de gado, ocorre na Europa, na África, na China e na América do Sul, mas é rara nos EUA.

Na infecção aguda, as larvas imaturas migram pela parede intestinal, cavidade peritoneal, cápsula e parênquima do fígado, antes de entrarem nos ductos biliares, nos quais se tornam adultas em cerca de 3 a 4 meses.

Sinais e sintomas

A infecção aguda pode causar dor abdominal, hepatomegalia, náuseas, vômitos, febre intermitente, urticária, eosinofilia, mal-estar e perda ponderal decorrente de lesão hepática.

A infecção crônica pode ser assintomática ou conduzir à dor abdominal intermitente, colelitíase, colangite, icterícia obstrutiva ou pancreatite.

Infecção grave pode causar colangite esclerosante e cirrose biliar. Podem ocorrer lesões ectópicas na parede do intestino, nos pulmões, ou em outros órgãos.

Fasciolose faríngea que resulta em disfagia foi notificada após o consumo de fígado cru infectado no Oriente Médio: essa infecção é chamada halzoun.

Diagnóstico

  • Sorologias

  • Exame microscópico das fezes ou material duodenal ou biliar para ovos

TC frequentemente revela lesões hipodensas no fígado durante a fase aguda da fasciolíase Ultrassonografia, TC, RM, colepancreatografia endoscópica retrógrada ou colangiografia podem detectar alterações do trato biliar na doença crônica.

Ensaios de detecção de anticorpos são úteis em

  • Estágios iniciais da infecção antes que os ovos sejam produzidos

  • Infecção crônica quando a produção de ovos é esporádica ou baixa

Perda da detecção de anticorpos ocorre 6 a 12 meses após a cura.

Nas infecções crônicas, os ovos podem ser recuperados das fezes ou de material duodenal ou biliar. Os ovos são indiferenciáveis daqueles da Fasciolopsis buski.

Em áreas endêmicas, os ovos também podem ser vistos nas fezes após a ingestão de fígado de animais infectados, resultando no diagnóstico equivocado de fasciolíase. Assim, deve-se solicitar que os pacientes sigam uma dieta sem fígado durante vários dias antes do exame coprológico.

Tratamento

  • Triclabendazol ou, possivelmente, nitazoxanida

O tratamento da fasciolíase é com triclabendazol (10 mg/kg por via oral uma vez após uma refeição ou, nas infecções graves, 2 vezes com intervalo de 12 a 24 h) Nitazoxanida 500 mg VO bid por 7 dias pode ser eficaz, mas os dados são limitados.

A falha do tratamento é comum com o praziquantel; não é recomendado.

A prevenção é feita não comendo agrião ou outras plantas de água doce nas regiões onde a F. hepatica é endêmica.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS