Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Vacina contra varicela

Por

Margot L. Savoy

, MD, MPH, Lewis Katz School of Medicine at Temple University

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A vacinação contra varicela fornece proteção eficaz contra varicela (catapora). Não se sabe quanto tempo dura a proteção contra a varicela. Mas vacinas com vírus vivos, como a vacina contra varicela, geralmente fornecem imunidade duradoura.

Preparados

A vacina contra varicela contém uma cepa selvagem atenuada da varicela e traços de gelatina e neomicina. Ela está disponível como uma vacina de antígeno único ou como uma vacina combinada com MMR (MMRV).

Indicações

Também se recomenda a vacina de antígeno único contra varicela para

  • Todas as pessoas ≥ 13 anos que não têm evidências de imunidade à varicela

Evidências da imunidade consiste em um ou mais do seguinte:

  • Documentação das 2 doses da vacina contra varicela administradas separadamente ≥ 4 semanas

  • História de varicela ou herpes-zóster comprovada por um médico

  • Confirmação laboratorial do níveis protetores de anticorpos contra a varicela

  • Nascimento nos EUA antes de 1980, exceto para profissionais de saúde, gestantes e pessoas com doença de comprometimento imunitáro

Recomenda-se a vacina contra varicela principalmente para as pessoas que não têm evidências de imunidade e que podem ser expostas ou transmitir varicela, incluindo o seguinte:

  • Profissionais de saúde

  • Contatos domiciliares com pessoas imunocomprometidas

  • Pessoas que vivem ou trabalham em locais onde a exposição ou transmissão é provável (p. ex., professores, estudantes, trabalhadores de creche, residentes e funcionários de ambientes institucionais, presidiários e funcionários de instituições prisionais, militares)

  • Mulheres em idade fértil que não estão grávidas

  • Adolescentes e adultos que vivem em unidades familiares com crianças

  • Viajantes internacionais

A vacinação pós-exposição com antígeno único da vacina contra varicela é recomendada para crianças sem evidências de imunidade e deve ser administrada para adultos sem evidências de imunidade. A vacina é eficaz para prevenir ou melhorar a doença se administrada em 3 dias e, possivelmente, até 5 dias após a exposição. Deve-se administrar a vacina o mais rápido possível. Se a exposição ao vírus da varicela não causa infecção, a vacinação pós-exposição deve induzir proteção contra exposições subsequentes, mesmo que a vacina seja administrada > 5 dias pós-exposição.

Imunoglobulina para varicela-zóster (ver tabela Globulinas imunes e antitoxinas disponíveis nos EUA) é recomendada como profilaxia pós-exposição em pessoas sem nenhuma evidência de imunidade, têm maior risco de varicela grave e/ou têm contraindicações à vacina para varicela. Essas pessoas incluem

  • Pessoas imunodcomprometidas sem evidências de imunidade

  • Gestantes sem evidências de imunidade

  • Recém-nascidos de mães que desenvolveram varicela 5 dias antes do 2º dia após o parto

  • Prematuros hospitalizados que nasceram com ≥ 28 semanas de gestação e cujas mães não têm evidências de imunidade à varicela

  • Prematuros hospitalizados que nasceram em < 28 semanas de gestação ou com peso ≤ 1.000 g no nascimento, independentemente das evidências de imunidade materna à varicela

Contraindicações e precauções

As contraindicações da vacina contra varicela são

  • Reação alérgica grave (p. ex., anafilaxia) após uma dose anterior da vacina ou a um componente da vacina

  • Imunodeficiência primária grave conhecida ou adquirida (p. ex., devido a leucemia, linfomas, tumores sólidos, tumores que afetam a medula óssea ou o sistema linfático, aids, infecção grave por HIV tratamento com quimioterapia ou uso a longo prazo de imunossupressantes)

  • Se houver evidências de que as pessoas são imunocompetentes, têm história familiar de parentes de 1º grau com imunodeficiência congênita hereditária

  • Gestação confirmada ou suspeita

A vacina de antígeno único contra varicela pode ser administrada para crianças entre 1 a 8 anos de idade que têm infecção por HIV se o seu percentual de CD4 for ≥ 15; pode ser dada para aqueles > 8 anos se sua contagem de CD4 é ≥ 200 mcL.

Precauções com a vacina contra varicela são

  • Doença aguda moderada ou grave com ou sem febre (a vacinação é adiada até a resolução da doença)

  • Tratamento recente (em 11 meses) com hemoderivados que contêm anticorpos (o intervalo específico depende do produto)

  • Uso de antivirais específicos: aciclovir, fanciclovir ou valaciclovir (se possível, esses fármacos são interrompidos 24 horas antes da vacinação e não são retomadas por 14 dias após a vacinação)

Lactação não é uma contraindicação à vacinação. Mulheres que estão amamentando e não têm evidências de imunidade podem ser vacinadas pós-parto e continuar a amamentar.

Dose e administração

A dose da vacina contra varicela é 0,5 mL administrada por via subcutânea em 2 doses: aos 12 a 15 meses de idade e aos 4 a 6 anos. Se crianças, adolescentes ou adultos receberam 1 única dose, uma dose de reforço é recomendada. O intervalo mínimo recomendado entre a 1ª dose e a 2ª dose de reforço é 3 meses para crianças com ≤ 12 anos e 4 semanas para pessoas com ≥ 13 anos; a 2ª dose pode ser administrada em qualquer intervalo mais longo do que o mínimo.

Se adultos acharem que não tiveram varicela ou que podem ser expostos ou transmitir varicela, deve-se medir seus níveis de anticorpos protetores para verificar evidências de imunidade e, portanto, necessidade de vacinação.

Nenhuma imunoglobulina, inclusive imunoglobulina da varicela zóster, deve ser administrada 5 meses antes ou 2 meses depois da vacinação, porque imunoglobulinas podem impedir o desenvolvimento de anticorpos protetores.

Crianças elegíveis com infecção por HIV recebem 2 doses de vacina de antígeno único contra varicela em um intervalo de 3 meses. Como a imunidade celular prejudicada aumenta o risco de complicações após a vacinação com uma vacina de vírus vivo, essas crianças devem ser encorajadas a retornar para avaliação se um exantema do tipo varicela se desenvolve após a vacinação.

Avaliação pré-natal de mulheres buscando evidências de imunidade contra a varicela é indicada. Nascimento antes de 1980 não é considerado evidência de imunidade para gestantes. Após o término da gestação, as mulheres que não têm evidência de imunidade deve receber a 1ª dose da vacina antes da alta e a 2ª dose 4 a 8 semanas mais tarde, geralmente e uma consulta pós-parto. As mulheres devem ser aconselhadas a evitar gestação por 1 mês após cada dose.

Efeitos adversos

A maioria dos efeitos adversos da vacina são mínimos e incluem dor transitória, sensibilidade e rubor no local da aplicação. Às vezes, no 1 mês de vacinação, exantema maculopapular leve, semelhante ao da varicela, ocasionalmente pode ser observado em 1 a 3% das pessoas vacinadas. Receptores da vacina que desenvolvam esse exantema devem evitar diligentemente contato com pessoas imunocomprometidas até sua resolução. A disseminação do vírus entre receptores da vacina e pessoas suscetíveis é rara, mas pode resultar em problemas graves, incluindo pneumonia, hepatite, exantema grave e herpes com meningite. Mas esses problemas raramente ocorrem.

Como a síndrome de Reye pode se desenvolver, pacientes < 16 anos devem evitar salicilatos por 6 semanas após receber a vacina.

Informações adicionais

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS