Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Feoifomicose

Por

Sanjay G. Revankar

, MD, Wayne State University School of Medicine

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A feoifomicose refere-se a infecções causadas por vários tipos de fungos dematiáceos escuros e pigmentados pela melanina. Distingue-se de cromoblastomicose e do micetoma pela ausência de resultados histopatológicos específicos.

Feohifomicose pode ser causada por muitas espécies de fungos dermatiáceos escuros e pigmentados pela melanina, incluindo Bipolaris, Cladophialophora, Cladosporium, Exophiala, Fonsecaea, Phialophora, Ochronosis, Rhinocladiella e Wangiella.

Embora algumas espécies desses fungos possam ser patógenos verdadeiros e causar feoifomicose em pacientes imunocompetentes, fungos pigmentados são cada vez mais reconhecidos como oportunistas; quase todos os casos de infecção amplamente disseminada ocorrem em pacientes imunodeprimidos. Fungos dermatiáceos raramente causam infecções fatais em pacientes com mecanismos de defesa intactos do hospedeiro, embora certas espécies possam causar abcesso cerebral em pacientes imunocompententes.

As síndromes clínicas incluem sinusite invasiva, às vezes com necrose óssea, bem como nódulos ou abcessos subcutâneos, ceratite, massas pulmonares, osteomielite, artrite micótica, endocardite, abcesso cerebral e infecção disseminada.

Diagnóstico

  • Exame usando coloração de Masson-Fontana

  • Cultura para identificar espécies causadoras

Fungos dermatiáceos podem frequentemente ser distinguíveis em amostras de tecido coradas com hematoxilina e eosina convencional; eles se manifestam como células amarronzadas septados ou do tipo levedura, refletindo seu alto teor de melanina. A coloração de Masson-Fontana para melanina confirma sua presença. A feoifomicose se distingue da cromoblastomicose e do micetoma pela ausência de resultados histopatológicos específicos como corpos escleróticos ou granulações no tecido.

A cultura é necessária para identificar as espécies causadoras.

Tratamento

  • Para nódulos subcutâneos, cirurgia e/ou itraconazol

  • Para abscesso cerebral ou infecções disseminadas, uma combinação de antifúngicos

(Ver também Antifúngicos.)

Não há nenhuma terapia padrão; o tratamento da feoifomicose depende da síndrome clínica e do estado do paciente.

Para nódulos subcutâneos, somente a cirurgia pode ser curativa. O itraconazol tem excelente atividade e tem sido mais usado clinicamente, embora o voriconazol e o posaconazol sejam cada vez mais utilizados com bons resultados. A duração do tratamento varia, mas pode ser de 6 semanas a > 12 meses. Anfotericina B com frequência é ineficaz.

Para abscessos cerebrais, o tratamento, se possível, deve incluir a ressecção cirúrgica.

Para abscesso cerebral ou infecções disseminadas, usa-se terapia de combinação (p. ex., com 2 ou 3 fármacos, pelo menos um dos quais é um azol), embora os resultados clínicos geralmente sejam ruins independentemente do tratamento.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS