Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Massas mediastinais

Por

Richard W. Light

, MD, Vanderbilt University Medical Center

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

As massas mediastinais são causadas por uma variedade de cistos e tumores; as causas prováveis diferem de acordo com a idade do paciente e a localização da massa (mediastino anterior, médio ou posterior). As massas podem ser assintomáticas (comum em adultos) ou causar sintomas respiratórios obstrutivos (mais provável em crianças). Os exames envolvem TC com biópsia e, se necessário, exames complementares. O tratamento varia de acordo com a causa.

Dividem-se as massas mediastinais naquelas que ocorrem no mediastino anterior, médio e posterior. O mediastino anterior se estende do esterno ao pericárdio na região inferior e do esterno aos vasos braquicefálicos na região superior. O mediastino médio encontra-se entre o mediastino anterior e o posterior. O mediastino posterior limita-se pelo pericárdio e pela traqueia anteriormente e pela coluna vertebral posteriormente.

Etiologia

Adultos

Em adultos, as causas mais comuns variam de acordo com a localização:

  • Mediastino anterior: timomas e linfomas (tanto Hodgkin como não Hodgkin)

  • Mediastino médio: hipertrofia dos linfonodos e massas vasculares

  • Mediastino posterior: tumores neurogênicos e anormalidades esofágicas

Para outras causas, ver figura Algumas causas de massas mediastinais em adultos.

Algumas causas de massas mediastinais em adultos

Algumas causas de massas mediastinais em adultos

Crianças

Em crianças, as massas mediastinais mais comuns são os tumores e cistos neurogênicos. Para outras causas, ver tabela Algumas causas de massas mediastinais em crianças.

Tabela
icon

Algumas causas de massas mediastinais em crianças

Localização

Causa

Anterior

Tireoide ectópica

Sarcoma

Teratoma

Médio

Cisto broncogênico

Tumor cardíaco

Higroma cístico

Linfoma

Cisto pericárdico

Anomalias vasculares

Posterior

Duplicação esofágica

Meningomielocele

Anomalias neuroentéricas

Tumores neurogênicos

Sinais e sintomas

Muitas massas mediastinais são assintomáticas. Em geral, as lesões malignas e as massas em crianças têm grande probabilidade de desencadear sintomas. Os sintomas mais comuns são dor torácica e perda ponderal. Os linfomas podem se manifestar com febre e perda ponderal.

Em crianças, as massas mediastinais têm maior probabilidade de provocar compressão traqueo-brônquica e estridor, ou sintomas de bronquite ou pneumonia recorrentes.

Os sinais e sintomas também dependem da localização. Massas mediastinais anteriores de grandes dimensões podem provocar dispneia ao se adotar a posição supina. Lesões no mediastino médio podem comprimir vasos sanguíneos ou vias respiratórias, provocando síndrome da veia cava superior ou obstrução das vias respiratórias. As lesões no mediastino posterior podem invadir o esôfago, acarretando disfagia ou odinofagia.

Diagnóstico

  • Radiografia de tórax

  • TC e, às vezes, RM

  • Às vezes, exame do tecido

Na maioria das vezes, as massas mediastinais são descobertas incidentalmente na radiografia de tórax ou por outros métodos de imagem durante avaliação clínica de sintomas torácicos. Indicam-se exames diagnósticos adicionais, habitualmente métodos de imagem e biópsia, para determinar a etiologia.

TC, com contraste intravenoso, é o método de imagem mais valioso. Com o auxílio da TC torácica, variantes normais e tumores benignos, como cistos repletos de líquido ou lipídio, podem ser distinguidos de outros processos. Faz-se RM se a estrutura for cística. RM pode ser útil para determinar se a massa está comprimindo ou invadindo as estruturas adjacentes.

É possível obter o diagnóstico definitivo de muitas massas abdominais com aspiração ou biópsia por agulha. As técnicas com aspiração com agulha fina geralmente são suficientes para as lesões carcinomatosas, mas deve-se realizar biópsia com agulha biselada toda vez que houver suspeita de linfoma, timoma ou massa neural. Se a tireoide ectópica for considerada, avalia-se a tireotropina.

Tratamento

  • Depende da causa

O tratamento depende da etiologia. É possível observar algumas lesões benignas, como os cistos pericárdicos. Deve-se remover cirurgicamente a maioria dos tumores malignos, mas alguns, como os linfomas, são mais bem tratados com quimioterapia. Deve-se tratar a doença granulomatosa com fármacos antimicrobianos apropriados.

Pontos-chave

  • Em adultos, os timomas e os linfomas (tanto Hodgkin como não Hodgkin) são as lesões mais comuns do mediastino anterior, a hipertrofia dos linfonodos e as massas vasculares são as lesões mais comuns do mediastino médio, e os tumores neurogênicos e anormalidades esofágicas são as lesões posteriores mais comuns.

  • Em crianças, as massas mediastinais mais comuns são os tumores e cistos neurogênicos.

  • Os sintomas mais comuns são dor torácica e perda ponderal, mas muitas massas são assintomáticas.

  • Podem ocorrer sintomas respiratórios obstrutivos em crianças e, raramente, em adultos.

  • TC, com contraste intravenoso, é o método de imagem mais valioso.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS