Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Calázio e hordéolo (terçol)

Por

James Garrity

, MD, Mayo Clinic College of Medicine

Última modificação do conteúdo mai 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Calázio e hordéolo (terçóis) são edemas localizados de início súbito da pálpebra. Calázio é um processo não infeccioso por oclusão da glândula meibomiana, e hordéolo é normalmente causado por infecção. Ambos causam inicialmente hiperemia, edema e dor da pálpebra. Com o tempo, o calázio se torna um pequeno cisto endurecido no meio da pálpebra, ao passo que o hordéolo permanece dolorido e localizado na borda palpebral. O diagnóstico é clínico. O tratamento é primário com compressas quentes. Ambos tendem a melhorar espontaneamente, mas drenagem ou, para o calázio, corticoides intralesionais podem ser usados para acelerar a resolução.

Calázio

Um calázio é a obstrução não infecciosa de uma glândula meibomiana causando extravasamento de material lipídico irritante nos tecidos moles da pálpebra com inflamação granulomatosa focal secundária. Os distúrbios que causam espessamento anormal das secreções das glândulas meibomianas (p. ex., a disfunção da glândula meibomiana, acne rosácea) aumentam o risco de obstrução dessas glândulas.

Hordéolo

Um hordéolo (terçol) é um edema localizado agudo da pálpebra que pode ser interno ou externo e, geralmente, é uma infecção ou abcesso piogênico (tipicamente estafilocócica). A maioria dos hordéolos são externos e resultam de obstrução e infecção de um folículo ciliar e das glândulas adjacentes das glândulas de Zeis ou Moll. Obstrução do folículo pode estar associada à blefarite. Um hordéolo interno, que é muito raro, resulta de infecção de uma glândula meibomiana. Às vezes, a celulite acompanha hordéolo.

Sinais e sintomas

Calázios e hordéolos causam eritema, edema e dor nas pálpebras.

Calázio

Inicialmente a pálpebra é difusamente inchada. Às vezes, a pálpebra pode estar maciçamente inchada, fechando o olho completamente. Após 1 ou 2 dias, um calázio é localizado no corpo da pálpebra. Normalmente, um nódulo indolor ou pequeno se desenvolve. Um calázio geralmente drena através da superfície interior da pálpebra ou é absorvido espontaneamente ao longo de 2 a 8 semanas; raramente persiste por mais tempo. Dependendo do tamanho e da localização, um calázio pode recuar a córnea, resultando em visão ligeiramente turva.

Hordéolo

Depois de 1 a 2 dias, um hordéolo externo se localiza na margem da pálpebra. Pode haver lacrimejamento, fotofobia e sensação de corpo estranho. Normalmente, uma pequena pústula amarelada se desenvolve na base de um cílio, cercada por hiperemia, endurecimento e edema difuso. Em 2 a 4 dias, as lesões se rompem e o material é secretado (frequentemente pus), aliviando assim a dor e desaparecimento da lesão.

Os sintomas de um hordéolo interno são os mesmos de um calázio, com dor, rubor e edema localizado à superfície do tarso posterior conjuntival. A inflamação pode ser grave, às vezes com febre ou calafrios. A inspeção da conjuntiva tarsal mostra uma pequena elevação ou área amarela no local da glândula afetada. Mais tarde, um abscesso se forma. A ruptura espontânea é rara, porém, quando ocorre, geralmente é no lado conjuntival da pálpebra e, por vezes, irrompe pelo lado da pele. A recorrência é comum.

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

Diagnóstico de calázio e ambos os tipos de hordéolo é clínico; no entanto, durante os primeiros 2 dias, eles podem ser clinicamente indistinguíveis. Como os hordéolos internos são muito raros, normalmente não são suspeitados, a menos que a inflamação seja grave, e febre ou calafrios estejam presentes. Se o calázio ou hordéolo encontra-se perto do canto interno da pálpebra inferior, deve ser diferenciado de dacriocistite e canaliculite, que geralmente podem ser excluídas observando a localização do ponto máximo de enduração e sensibilidade (p. ex., pálpebra para um calázio, sob o canto medial perto do lado do nariz para dacriocistite e ao longo do ponto lacrimal para canaliculite). Calázio crônico que não responde ao tratamento necessita de biópsia para excluir tumor da pálpebra.

Tratamento

  • Compressas quentes

  • Às vezes, drenagem ou tratamento farmacológico, como injeção de corticosteroides (calázio) ou antibióticos orais (hordéolo)

Compressas quentes durante 5 a 10 minutos 2 ou 3 vezes ao dia podem ser utilizadas para acelerar a resolução de calázios e hordéolos externos.

Calázio

A incisão e curetagem ou terapia corticoide intracalázio (0,05 a 0,2 mL de triancinolona 25 mg/mL) pode ser indicada se forem calázios grandes, desagradáveis à vista, e que persistam durante mais de algumas semanas, apesar da terapia conservadora.

Hordéolo

Um hordéolo externo que não responde a compressas quentes pode ser incisado com uma lâmina de ponta fina. Antibióticos sistêmicos (p. ex., dicloxacilina ou eritromicina, 250 mg por via oral 4 vezes ao dia) são indicados quando celulite pré-septal acompanha um hordéolo.

O tratamento de um hordéolo interno consiste em antibióticos orais, incisão e drenagem se necessário. Antibióticos tópicos são geralmente ineficazes.

Pontos-chave

  • Calázios e hordéolos causam inicialmente hiperemia, edema e dor na pálpebra e, durante alguns dias, podem ser clinicamente indiferenciáveis.

  • Um hordéolo permanece doloroso e fixa-se em uma margem palpebral.

  • Compressas quentes podem acelerar o desaparecimento das lesões.

  • Outros tratamentos que podem ser necessários incluem corticoides intralesionais (para calázio) e incisão e/ou antibióticos (para hordéolo).

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS