Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Hérnias da parede abdominal

Por

Parswa Ansari

, MD, Hofstra Northwell-Lenox Hill Hospital, New York

Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Recursos do assunto

A hérnia da parede abdominal consiste em uma protrusão do conteúdo abdominal através de área de maior fraqueza ou defeito adquirido ou congênito da parede. Muitas hérnias são assintomáticas, mas algumas se tornam encarceradas ou estranguladas, causando dor e necessitando de cirurgia imediata. O diagnóstico é clínico. O tratamento é a correção cirúrgica eletiva.

(Ver também Dor abdominal aguda.)

Hérnias abdominais são extremamente comuns, em particular nos homens, representando cerca de 700.000 cirurgias por ano nos EUA.

Classificação das hérnias abdominais

As hérnias abdominais são classificadas como

  • Hérnias na parede abdominal

  • Hérnias inguinais

Cerca de 75% de todas as hérnias abdominais são hérnias inguinais. Hérnias incisionais correspondem a outros 10 a 15%. Hérnias femorais e outras não usuais representam os 10 a 15% restantes.

Hérnias estranguladas são isquêmicas em razão da constrição física de seu suprimento sanguíneo. Estrangulamento pode resultar em infarto intestinal, perfuração e peritonite.

Hérnias na parede abdominal

Hérnias na parede abdominal incluem

  • Hérnias umbilicais

  • Hérnias epigástricas

  • Hérnias de Spiegel

  • Hérnias incisionais (ventrais)

Hérnias umbilicais (protrusões através do anel umbilical) em sua maioria são congênitas, mas algumas podem ser adquiridas na idade adulta secundárias a obesidade, ascite, gestação ou diálise peritoneal crônica.

Hérnias epigástricas ocorrem através da linha alba.

As hérnias de Spigel ocorrem secundariamente a defeitos no músculo transverso do abdome lateralmente à capa do reto abdominal, geralmente abaixo do nível do umbigo.

Hérnias incisionais ocorrem através de incisão de cirurgia anterior.

Hérnias inguinais

Hérnias inguinais incluem

  • Hérnias inguinais

  • Hérnias femorais

Ashérnias inguinais ocorrem acima do ligamento inguinal. Hérnias inguinais indiretas atravessam o anel inguinal interno para o canal inguinal e hérnias inguinais diretas se estendem diretamente para frente e não passam através do canal inguinal. (Ver também Hérnia inguinal em neonatos.)

Hérnias femorais ocorrem abaixo do ligamento inguinal e vão para o canal femoral.

Hérnia por esportes

A hérnia por esportes não é uma hérnia real porque não há nenhum defeito na parede abdominal através da qual o conteúdo abdominal se projeta. Em vez disso, o distúrbio envolve uma ruptura de um ou mais músculos, tendões ou ligamentos no abdome inferior ou na virilha, particularmente no ponto em que eles se inserem no osso púbico.

Sinais e sintomas

Muitos pacientes se queixam somente de um abaulamento visível, que pode causar desconforto leve ou ser assintomático. A maioria das hérnias, até mesmo as maiores, pode ser reduzida manualmente com pressão leve e persistente; colocar o paciente na posição de Trendelenburg pode ajudar. Uma hérnia encarcerada não pode ser reduzida e pode ser a causa de obstrução intestinal. A hérnia estrangulada causa dor progressivamente mais intensa, tipicamente acompanhada de náuseas e vômitos. A hérnia por si só é dolorosa e a peritonite pode surgir dependendo de sua localização, com desconforto difuso, defesa e descompressão dolorosa.

Diagnóstico

  • Avaliação clínica

O diagnóstico de uma hérnia abdominal é clínico. Por ser a hérnia aparente somente quando a pressão abdominal se eleva, o paciente deve ser examinado em pé. Caso a hérnia não seja palpável, o paciente deve tossir ou realizar manobra de Valsalva com o examinador palpando a parede abdominal. O exame deve focar-se no umbigo, na região inguinal (com um dedo no canal inguinal em homens), no triângulo femoral e em qualquer incisão presente.

Massas inguinais que lembram hérnias podem representar adenopatias (infecciosa ou maligna), testículo ectópico ou lipoma. Essas massas são sólidas e não redutíveis. Massa escrotal pode ser varicocele, hidrocele ou tumor testicular. Ultrassonografia pode ser realizada se o exame físico não for esclarecedor.

Prognóstico

Hérnias umbilicais congênitas raramente estrangulam e não são tratadas; a maioria desaparece espontaneamente em alguns anos. Defeitos muito grandes podem ser reparados eletivamente depois dos 2 anos de idade.

As hérnias umbilicais nos adultos causam preocupações estéticas e seu reparo pode ser eletivo; o estrangulamento e o encarceramento são incomuns, mas podem acontecer e costumam ocorrer com o omento em vez do intestino.

Tratamento

  • Correção cirúrgica

Hérnias na virilha geralmentedevem ser reparadas eletivamente por causa do risco de estrangulamento, que resulta em maior morbidade (e possível mortalidade em pacientes idosos). Podem ser observadas hérnias inguinais assintomáticas em homens; caso haja desenvolvimento de sintomas, elas podem ser reparadas de maneira eficaz. O reparo pode ser realizado por incisão ou laparoscopia.

Uma hérnia encarcerada ou estrangula- da de qualquer tipo requer o reparo cirúrgico de urgência.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral da doença celíaca
Vídeo
Visão geral da doença celíaca
Modelos 3D
Visualizar tudo
Canal anal
Modelo 3D
Canal anal

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS