Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Hipermagnesemia

Por

James L. Lewis, III

, MD, Brookwood Baptist Health and Saint Vincent’s Ascension Health, Birmingham

Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente

A hipermagnesemia caracteriza-se pela concentração plasmática de magnésio > 2,6 mg/dL (> 1,05 mmol/L). A principal causa é a insuficiência renal. Os sintomas incluem hipotensão, depressão respiratória e parada cardíaca. O diagnóstico é feito pela dosagem da concentração sérica de magnésio. O tratamento inclui administração IV de gliconato de cálcio e, possivelmente, furosemida; a hemodiálise pode ser útil em casos graves.

A hipermagnesemia sintomática é razoavelmente incomum. Ocorre com mais frequência em pacientes com insuficiência renal após a ingestão de fármacos que contenham magnésio, como antiácidos e laxantes.

Os sinais e sintomas incluem hiporreflexia, hipotensão, depressão respiratória e parada cardíaca.

Diagnóstico

  • Concentrações séricas de magnésio > 2,6 mg/dL (> 1,05 mmol/L)

Em concentrações plasmáticas de magnésio entre 6 e 12 mg/dL (2,5 a 5 mmol/L), o ECG mostra prolongamento do intervalo PR, alargamento do complexo QRS e aumento de amplitude da onda T. Os reflexos tendinosos profundos desaparecem na medida em que as concentrações de magnésio atingem 12 mg/dL (5,0 mmol/L); com o aumento da hipermagnesemia, desenvolvem-se hipotensão, depressão respiratória e narcose. Pode ocorrer parada cardíaca quando as concentrações sanguíneas de magnésio forem > 15 mg/dL (6,0 a 7,5 mmol/L).

Tratamento

  • Gliconato de cálcio

  • Diurese ou diálise

O tratamento da intoxicação grave por magnésio consiste em suporte circulatório e respiratório e administração IV de 10 a 20 mL de gliconato de cálcio a 10%. O gliconato de cálcio pode reverter várias das alterações induzidas pelo magnésio, incluindo a depressão respiratória.

A administração IV de furosemida pode aumentar a excreção de magnésio se a função renal for adequada; o estado de volume deve ser mantido.

A hemodiálise pode ser útil na hipermagnesemia grave, pois uma fração relativamente grande (cerca de 70%) do magnésio do sangue não é ligada a proteínas e, portanto, é removível pela hemodiálise. Quando ocorre comprometimento hemodinâmico e a hemodiálise não é possível, uma opção é a diálise peritoneal.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS