Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Ambientes para cuidados de idosos

Por

Debra Bakerjian

, PhD, APRN, Betty Irene Moore School of Nursing, UC Davis

Última revisão/alteração completa abr 2018| Última modificação do conteúdo abr 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os profissionais da área de cuidados de saúde podem fornecer cuidados para pessoas idosas em uma variedade de instituições.

Consultório do profissional

A maioria dos idosos recebe cuidados médicos no consultório de seu clínico geral. O consultório pode ser em um edifício de consultórios, uma clínica, um hospital ou em qualquer lugar. Os testes diagnósticos, como exames de sangue ou radiografias, são geralmente feitos no consultório do médico. Alguns consultórios médicos oferecem alguns tratamentos, como fisioterapia.

Hospitais

Os hospitais fornecem os cuidados médicos mais abrangentes. Especialmente para idosos, ficar em um hospital aumenta o risco de problemas, como infecções, úlceras de decúbito, confusão e incontinência. Devido a esses riscos, os idosos devem ser hospitalizados apenas se estiverem muito doentes. As pessoas idosas podem entrar em um hospital através do serviço de emergência ou podem ter sua admissão programada por um médico.

Um médico (que pode ser o clínico geral da pessoa, um especialista ou um médico da equipe do hospital) é responsável pelos cuidados da pessoa no hospital. Às vezes, vários outros médicos estão envolvidos. Enfermeiros, que estão disponíveis 24 horas por dia, fornecem parte dos cuidados. Um enfermeiro sempre está disponível, mas os médicos podem ir e vir em períodos irregulares.

Muitas outras pessoas podem ajudar a fornecer cuidados em um hospital. Incluem

O tempo de permanência de uma pessoa no hospital depende parcialmente de quão doente ela esteja, de qual seja o diagnóstico e, se necessário, dos arranjos para que haja cuidados contínuos após a alta. Os profissionais da área de saúde envolvidos determinam se o cuidado contínuo é necessário e que tipo de cuidado. Este cuidado pode ser fornecido em um centro de reabilitação, em instituições de cuidados de longo prazo ou em casa com a visita de um enfermeiro.

O cuidado observacional é o cuidado dentro de um hospital para pessoas que não estão bem o bastante para retornar a casa, mas nem doentes o bastante para atender às exigências de hospitalização efetiva. Com o cuidado observacional, os profissionais realizam testes e administram tratamentos para um ou dois dias antes de decidir se as pessoas precisam ser hospitalizadas. Essas pessoas são observadas brevemente em um pronto-socorro, uma unidade de observação especial ou um quarto de hospital regular, mesmo que não tenham sido de fato hospitalizados. A diferença entre a hospitalização e a observação é importante, porque a Medicare considera o cuidado observacional um serviço ambulatorial. Portanto, a Medicare não cobre serviços de reabilitação após cuidado observacional.

Centros cirúrgicos

Os centros cirúrgicos são lugares onde podem ser feitas cirurgias no mesmo dia ou outros procedimentos. Tais procedimentos incluem os que normalmente requerem anestesia, que são muito complicados para serem feitos em um consultório médico, mas que não exigem pernoite no hospital. Exemplos comuns são endoscopias, colonoscopias e remoção de cataratas. Centros cirúrgicos podem estar localizados em um hospital ou ser uma instituição separada, independente.

Muitas comunidades sem hospitais têm centros cirúrgicos. Assim, as pessoas podem fazer os procedimentos em sua comunidade sem necessidade de viajar para um hospital mais distante.

Centros de reabilitação

Após alta do hospital, pessoas com uma incapacidade grave podem precisar continuar sua recuperação em um centro de reabilitação. O centro de reabilitação pode estar localizado em um hospital ou em uma casa de repouso. Esses centros fornecem cuidados de enfermagem especializados, além de fisioterapia, terapia ocupacional e fonoaudiologia. Normalmente, as pessoas precisam ter sido hospitalizadas por três dias para serem elegíveis para que a Medicare pague o centro de reabilitação.

Quando as pessoas são admitidas em um centro de reabilitação, uma equipe interdisciplinar prevê quanto tempo a permanência no centro durará. Para pessoas idosas, a permanência pode variar de alguns dias a alguns meses. Os objetivos para o progresso são estabelecidos, e o progresso é avaliado a cada dia. Logo, os tipos e a quantidade de terapia podem ser ajustados conforme necessário.

Alguns idosos podem ser capazes de permanecer em casa e obter terapia de reabilitação como um paciente ambulatorial em um centro de reabilitação.

Cuidados domiciliares de saúde

As pessoas que estão debilitadas ou que recentemente receberam alta de um hospital ou de um centro de reabilitação geralmente precisam de cuidados em suas casas. Esses cuidados geralmente são oferecidos por familiares e/ou amigos. Porém, quando essa ajuda não está disponível ou quando os idosos necessitam de mais ajuda do que familiares e amigos podem oferecer, eles podem se tornar elegíveis para receber serviços de assistência médica em sua residência de uma agência de assistência médica domiciliar. Essas agências enviam enfermeiros, terapeutas, auxiliares de saúde domiciliar e/ou assistentes sociais credenciados, dependendo das necessidades e da cobertura de seguro da pessoa.

Atualmente, o número de profissionais que visitarão as pessoas em suas casas está aumentando. Uma visita em casa pode ser bastante útil porque é mais conveniente para idosos, e permite que os profissionais vejam como as pessoas estão em seu ambiente de vida normal.

Os cuidados para doentes terminais (cuidados paliativos) também podem ser oferecidos em casa.

Serviços na comunidade

Nos Estados Unidos, uma fonte de serviços de apoio e cuidados de saúde na comunidade são os centros para terceira idade. Esses centros oferecem atividades sociais, recreativas e educacionais e alguns servem refeições – um serviço importante para pessoas que não podem preparar sua própria comida.

Os centros de cuidados diurnos são outro serviço comunitário. Os centros de cuidados diurnos cobram pelos serviços. No entanto, podem oferecer um alívio para cuidadores durante o dia, para que possam, por exemplo, manter seu trabalho. Alguns centros de cuidados diurnos também oferecem alguma assistência médica. Por exemplo, esses centros podem ter um enfermeiro e/ou assistentes de enfermagem em serviço. O enfermeiro pode verificar a pressão arterial, assegurar-se de que a pessoa esteja tomando os medicamentos conforme indicado e prestar informações sobre saúde. Os assistentes de enfermagem podem ajudar a garantir que as necessidades fisiológicas dos idosos sejam atendidas e que sejam alimentados durante o dia, conforme necessário. Quando houver preocupações médicas, o enfermeiro pode contatar o clínico geral da pessoa ou os familiares. Alguns centros de cuidados diurnos oferecem cuidados de dia para pessoas com demência leve a moderada, e alguns oferecem fisioterapia e terapia ocupacional.

Outros serviços disponíveis no centro incluem programas de refeições (como Meals on Wheels), serviço de transporte, ajuda com atividades diárias, grupos de apoio e serviço de descanso. Algumas comunidades religiosas oferecem muitos desses serviços. Esses serviços são normalmente baratos, e alguns são grátis.

As pessoas podem obter informações sobre os serviços na comunidade, incluindo centros para a terceira idade, do planejamento de alta do hospital ou no departamento de gestão de caso, agências de cuidados de saúde domiciliar, departamentos de saúde local e comunidades religiosas. Os centros para a terceira idade também podem ser encontrados na lista telefônica local ou na internet.

Você sabia que...

  • Alguns centros de cuidados diurnos para terceira idade possuem um enfermeiro em serviço para oferecer alguma assistência médica, como verificação da pressão arterial.

Cuidados pós-agudos e de longo prazo

Cuidados pós-agudos são os cuidados prestados imediatamente após alta hospitalar para pessoas que requerem mais assistência do que podem obter em casa, mas que não necessitam expressamente de cuidados de longo prazo. Os centros de cuidados pós-agudos oferecem uma série de serviços de saúde, incluindo cuidados de enfermagem especializados e reabilitação física e ocupacional para ajudar as pessoas a recuperar sua força e funcionalidade. A maioria das pessoas acaba retornando para sua residência. Algumas, todavia, não recuperam toda a sua funcionalidade e podem necessitar de cuidados de longo prazo.

A perspectiva de precisar de serviços de cuidados em longo prazo preocupa muitos idosos. A probabilidade de necessitar de cuidados de longo prazo aumenta bastante conforme a pessoa envelhece porque os idosos são mais propensos a desenvolver distúrbios crônicos e a apresentar problemas funcionais. Por quanto tempo os cuidados são necessários varia de semanas a anos e a indefinidamente.

O foco dos cuidados de longo prazo é ajudar as pessoas a manter a funcionalidade. Isso as ajuda a realizar as atividades necessárias para cuidar de si mesmas e a viver da forma mais independentemente possível. Essas atividades incluem as atividades básicas diárias (como comer, vestir-se, banhar-se, arrumar-se e andar) e outras atividades (como fazer compras, conferir os canhotos dos cheques, lavar a roupa e fazer limpeza de casa). Os cuidados de longo prazo incluem ajuda com cuidados de saúde, tais como medição dos sinais vitais, monitoramento do peso e administração de medicamentos. A maior parte das instituições de cuidados de longo prazo também fornecem atividades recreativas e sociais.

Muitas pessoas têm sua primeira experiência com os cuidados pós-agudos e de longo prazo após uma permanência no hospital. Durante uma doença ou após uma lesão, muitos idosos perdem parte ou toda sua capacidade de cuidar de si mesmos. Assim, ainda que possam estar bem o suficiente para deixar o hospital, eles podem precisar ir para uma instituição de cuidados pós-agudos e de longo prazo para reabilitação e recuperação. Essa mudança pode ser física e psicologicamente exigente. As pessoas têm que se ajustar a muitos rostos novos e a novas rotinas para dormir, banhar-se, vestir-se, comer e outras atividades diárias. A mudança acontece rapidamente, com pouco tempo para ajustes.

A maior parte das pessoas associa cuidados de longo prazo com uma mudança de residência:

Os idosos podem estar especialmente preocupados em mudar-se para uma instituição. As pessoas vivem em instituições por diversos motivos sociais e econômicos. Os motivos mais comuns são problemas físicos e/ou problemas com a função mental (cognição) além de falta de suporte social adequada.

O tipo de cuidados possíveis depende parcialmente das necessidades da pessoa (médica, funcional, social e emocional), preferências e recursos financeiros e sociais das pessoas (como seguro de cuidados de longo prazo, disponibilidade de programas de isenção estadual e desejo e capacidade dos familiares para ajudar). Uma pessoa pode ser capaz de viver em casa com ajuda do cônjuge. Outra pessoa com problemas semelhantes, mas sem apoio familiar pode precisar ir para uma casa de repouso. Aprender sobre os vários tipos de unidades de cuidados de longo prazo pode ajudar as pessoas a escolherem o momento e o lugar certo para os cuidados de longo prazo. Cada tipo de unidade de cuidados de longo prazo oferece diferentes serviços e níveis de assistência médica.

Depois que o tipo de cuidado necessário for determinado, uma instituição particular deve ser cuidadosamente escolhida. Mesmo em cada tipo, as instituições diferem consideravelmente em ambiente, serviços (incluindo assistência médica), atividades, condições de vida e regras. Algumas vezes, a diferença é simplesmente uma questão de o quanto as pessoas podem gastar, mas mesmo com preços muito elevados, a qualidade varia.

Tabela
icon

Tipos de cuidados de longo prazo

Tipo

Serviços

Condições de vida típicas

Financiamento

Refeições (na sala de jantar comum ou no quarto)

Atividades recreativas e sociais

Ajuda com as atividades diárias

Em algumas instituições, se necessário, há monitores para emergências (como interfones e sistemas de resposta de emergência pessoal), serviços de enfermagem e fisioterapeutas, e supervisão 24 horas.

Apartamentos ou ocasionalmente só um quarto com banheiro particular

Principalmente recursos particulares ou seguro para cuidados de longo prazo

Ajuda da Medicaid em alguns estados

Refeições (na sala de jantar comum ou no quarto)

Transporte para as consultas médicas ou compras

Atividades sociais

Ajuda com cuidados pessoais e algumas vezes alguma ajuda para tomar os medicamentos (por exemplo, lembrando a pessoa de tomar o medicamento)

Quartos em um corredor comum

Principalmente recursos particulares

Refeições (normalmente em uma sala de jantar comum, exceto para os residentes que precisam de mais cuidados e que fazem as refeições em seus quartos)

Transporte

Atividades recreativas e sociais

Ajuda com as atividades diárias e cuidados de saúde, conforme necessário

Combinações variadas de acordo com a necessidade

Principalmente recursos particulares

Ajuda da Medicare e da Medicaid para cuidados de enfermagem especializados, quando necessário

Refeições

Ajuda com as atividades diárias

Cuidados de enfermagem especializados por 24 horas

Reabilitação (fisioterapia, terapia ocupacional, terapia respiratória, fonoaudiologia)

Cuidados paliativos

Supervisão por um médico

Quartos em um corredor comum

Recursos particulares

Medicaid

Medicare para cuidados especializados por um curto período de tempo em casas de repouso certificadas se o cuidado é necessário diariamente após internação em hospital por três dias ou mais

Postergando a necessidade de uma instituição de cuidados de longo prazo

A ideia de ir para uma instituição de cuidados de longo prazo, especialmente uma casa de repouso, não agrada a maior parte das pessoas. Os seguintes problemas são motivos comuns para a entrada em uma instituição de cuidados de longo prazo. No entanto, algumas vezes os problemas podem ser resolvidos, e a necessidade de uma instituição de cuidados de longo prazo pode ser postergada ou evitada.

Incontinência urinária: pessoas com incontinência urinária podem ser difíceis de cuidar em casa. Mas a incontinência urinária pode ser causada por um distúrbio que pode ser tratado. Tratar o distúrbio pode curar a incontinência. Pessoas com incontinência urinária, seus familiares ou seus cuidadores devem falar com um médico para descobrirem se há um tratamento possível.

Problemas ao fazer as atividades diárias: alguns dispositivos podem ajudar as pessoas a funcionarem melhor. Um fisioterapeuta ou um terapeuta ocupacional ou um enfermeiro domiciliar podem observar a pessoa em sua casa e podem, algumas vezes, ajudá-la a escolher os dispositivos apropriados que permitirão que continue a agir de maneira segura em casa.

Demência: cuidar de alguém com demência é difícil e frustrante. Entretanto, os familiares podem aprender os meios de lidar com esse comportamento. Por exemplo, para lidar com os possíveis esquecimentos, os familiares podem colocar um bracelete de identificação na pessoa ou comprar ou alugar um dispositivo de monitoramento. Aprender mais sobre como cuidar de pessoas com demência pode retardar a necessidade de uma instituição de cuidados de longo prazo.

Desgaste do cuidador: muito motivados, os familiares podem normalmente oferecer cuidados elaborados e específicos. No entanto, fornecer tais cuidados pode desgastá-los física e emocionalmente. Conversar com profissionais da área de saúde pode ajudar. Eles podem dar informações sobre grupos de apoios para cuidadores e sobre grupos que oferecem cuidados temporários (de descanso).

Questões financeiras: As pessoas podem adquirir seguros de cuidados de longo prazo que cobrem cuidados em domicílio. Esses cuidados costumam envolver a ajuda de pessoas com seus cuidados pessoais, como tomar banho, arrumar-se e comer. Esse seguro pode permitir que as pessoas adiem a ida a uma unidade de cuidados de longo prazo.

Cuidados paliativos

Quando as pessoas apresentam um distúrbio incurável e progressivo, os cuidados paliativos fornecem os tratamentos e serviços necessários para controlar os sintomas, diminuir a dor e ajudar as pessoas e seus familiares a se prepararem para a morte. Os cuidados paliativos podem ser oferecidos nos seguintes locais:

  • Residência da pessoa

  • Casa de repouso

  • Instituição de cuidados paliativos

Os cuidados paliativos normalmente envolvem um clínico geral, um enfermeiro, um assistente social e outros indivíduos treinados em ajudar pessoas moribundas. Por exemplo, farmacêuticos, conselheiros, fisioterapeutas, especialistas em ética médica e voluntários também podem estar envolvidos. Esses profissionais são necessários para garantir que todas as necessidades físicas e psicológicas da pessoa e as necessidades da família e cuidadores sejam atendidas. A maior parte das pessoas que recebem cuidados paliativos não precisam ir para o hospital antes de morrer. Assim, podem morrer em um ambiente mais confortável e íntimo, normalmente com as pessoas queridas por perto. Os cuidados paliativos também envolvem ajudar familiares a reconhecer os sinais físicos de que a morte está próxima, compreender o que fazer quando a pessoa morre e ajudar a lidar com a perda.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Continuidade de cuidados
Vídeo
Continuidade de cuidados

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS