Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Doença de Legg-Calvé-Perthes

Por

Frank Pessler

, MD, PhD, Braunschweig, Germany

Última revisão/alteração completa mar 2019| Última modificação do conteúdo mar 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A doença de Legg-Calvé-Perthes consiste na destruição do quadril na criança.

  • Essa doença é causada por um fornecimento de sangue insuficiente para a parte superior da placa de crescimento do fêmur, perto da articulação do quadril.

  • Os sintomas típicos incluem dores no quadril e dificuldades para andar.

  • O diagnóstico se baseia em uma radiografia e, geralmente, em uma ressonância magnética.

  • O tratamento inclui imobilização do quadril e repouso no leito.

A doença Legg-Calvé-Perthes é uma osteocondrose, que é um grupo de distúrbios da placa de crescimento dos ossos que ocorre quando a criança está crescendo rapidamente. Os médicos não sabem o que causa a osteocondrose, porém os distúrbios parecem ser de fato um mal de família. A doença de Osgood-Schlatter, a doença óssea de Köhler e a doença de Scheuermann são outros tipos de osteocondrose.

A doença de Legg-Calvé-Perthes se desenvolve mais comumente em meninos entre os cinco e dez anos de idade. A doença, em geral, afeta somente uma perna. Cerca de 10% das crianças têm um pai ou mãe que teve a doença. Ela é causada por um fornecimento de sangue insuficiente para a parte superior da placa de crescimento do fêmur, perto da articulação do quadril. O fornecimento de sangue insuficiente faz com que ocorra a necrose e o colapso da extremidade do fêmur (necrose avascular ou osteonecrose). A causa desse fornecimento de sangue insuficiente na doença de Legg-Calvé-Perthes é desconhecida. Outros problemas também podem causar a interrupção do fornecimento de sangue para as placas de crescimento. Esses problemas incluem anemia falciforme e o consumo de corticosteroides. Contudo, danos ao quadril decorrentes dessas e de outras causas conhecidas não são considerados doença de Legg-Calvé-Perthes.

O fêmur: Segmento do quadril

O fêmur: Segmento do quadril

Sintomas

A doença de Legg-Calvé-Perthes pode causar danos graves ao quadril sem causar sintomas significativos no início. Esses danos graves podem conduzir, no entanto, a artrite permanente do quadril. O primeiro sintoma da doença de Legg-Calvé-Perthes costuma ser dor na articulação do quadril e dificuldade em caminhar. A dor começa de maneira gradual e progride lentamente. Ela tende a piorar quando se mexe o quadril ou se caminha. Algumas crianças se queixam apenas de dor no joelho. A criança pode começar a mancar, às vezes antes de começar a sentir muita dor. Com o tempo o movimento articular se torna limitado e os músculos da coxa podem se desgastar (atrofiar) por falta de uso.

Diagnóstico

  • Radiografias

  • Geralmente, ressonância magnética (RM)

O diagnóstico da doença de Legg-Calvé-Perthes é confirmado por meio de radiografias. É possível que um exame de RM seja feito caso o resultado da radiografia seja normal ou se o médico precisar de mais informações sobre a gravidade. As radiografias posteriores podem mostrar alterações na área da placa de crescimento, tais como fraturas ou destruição do osso.

O médico realiza radiografias do esqueleto da criança caso esse distúrbio seja um mal de família ou caso ambas as pernas da criança sejam afetadas. Essas radiografias podem ser realizadas para descartar distúrbios hereditários do esqueleto.

Exames de sangue são realizados para descartar outros distúrbios. O médico tenta determinar se os sintomas resultaram de uma lesão.

Prognóstico

Crianças pequenas e crianças com menos danos quando diagnosticadas têm os melhores resultados.

Tratamento

  • Repouso no leito e imobilização do quadril

  • Às vezes, cirurgia

O tratamento da doença de Legg-Calvé-Perthes consiste de repouso prolongado no leito e imobilização do quadril (por exemplo, com um gesso ou tala). A escolha do tratamento depende da idade da criança e da quantidade de dano ao osso. A imobilização parcial proporcionada pelo repouso no leito é às vezes suficiente. No entanto, às vezes, é necessária imobilização quase total mediante tração, tipoias, gesso ou talas por 12 a 18 meses. Esses tratamentos mantêm as pernas em rotação para fora.

A fisioterapia é utilizada para evitar a ocorrência de rigidez e o atrofiamento dos músculos.

Se a criança tiver mais de seis anos de idade e apresentar destruição óssea moderada ou grave, cirurgia pode ser útil.

Mesmo sem tratamento, a doença de Legg-Calvé-Perthes geralmente melhora, mas costuma demorar mais tempo, entre dois e três anos para que isso ocorra e, além disso, há um aumento do risco de surgimento de artrite do quadril no futuro.

Tratamento com bifosfonatos (medicamentos que aumentam a densidade óssea) já se mostraram eficazes, mas mais estudos são necessários.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Sarampo
Vídeo
Sarampo
O sarampo é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus do sarampo. O vírus do sarampo...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS