Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tensão pré-menstrual (TPM)

Por

JoAnn V. Pinkerton

, MD, University of Virginia Health System

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A tensão pré-menstrual (TPM) é um conjunto de sintomas físicos e psicológicos que surgem vários dias antes e geralmente acabam algumas horas após o início da menstruação. O transtorno disfórico pré-menstrual é uma forma de TPM na qual os sintomas são tão graves que interferem no trabalho, nas atividades sociais ou nos relacionamentos.

  • A TPM inclui qualquer combinação das seguintes opções: humor irritável, ansiedade, mau humor, depressão, dores de cabeça ou seios doloridos e inchados.

  • O médico faz o diagnóstico com base nos sintomas, que geralmente são acompanhados seguindo-se um calendário mensal.

  • Diminuir o consumo de açúcar, sal e cafeína e praticar atividade física são medidas que talvez ajudem a aliviar os sintomas, assim como tomar certos suplementos, analgésicos, pílulas anticoncepcionais (às vezes) ou antidepressivos.

Uma vez que muitos sintomas, tais como, mau humor, irritabilidade, inchaço e sensibilidade mamária, são associados à TPM, pode ser difícil defini-la e identificá-la. Aproximadamente 20% a 50% das mulheres em idade fértil têm TPM. Aproximadamente 5% têm uma forma grave de TPM chamada de transtorno disfórico pré-menstrual.

A TPM pode ser, em parte, causada por:

  • A variação nas concentrações de estrogênio e de progesterona durante o ciclo menstrual. Algumas mulheres são mais sensíveis a essas variações.

  • Outras podem ter uma composição genética que as torna mais suscetíveis à TPM.

  • A concentração de serotonina tende a ser mais baixa em mulheres com TPM. A serotonina é uma substância que ajuda as células nervosas se comunicarem (um neurotransmissor); acredita-se que ela ajuda a regular o humor.

  • Uma deficiência de magnésio ou cálcio pode também contribuir.

A variação na concentração de estrogênio e de progesterona pode afetar outros hormônios, como a aldosterona, que ajuda a regular o equilíbrio hídrico e de sais. O excesso de aldosterona pode causar retenção de líquidos e inchaço.

Sintomas

O tipo e a intensidade dos sintomas da TPM variam de mulher para mulher e de mês a mês na mesma mulher. Os diversos sintomas físicos e psicológicos da TPM podem perturbar temporariamente a vida de uma mulher.

Os sintomas podem começar a aparecer de algumas horas até aproximadamente 10 dias antes de uma menstruação e, muitas vezes, desaparecem por completo algumas horas após o início da menstruação. A mulher que se aproxima da menopausa pode ter sintomas que persistem durante toda a menstruação e depois dela. Os sintomas podem ficar mais graves quando a mulher está passando por estresse ou durante os anos que antecedem a menopausa (um período denominado perimenopausa). Todo mês, os sintomas da TPM podem ser seguidos de um período de dor (cólicas ou dismenorreia), sobretudo em adolescentes.

Os sintomas mais comuns são irritabilidade, ansiedade, agitação, raiva, insônia, dificuldade de concentração, letargia, depressão e fadiga intensa.

É possível que outros quadros clínicos se agravem enquanto os sintomas da TPM estiverem se manifestando. Elas incluem as seguintes:

  • Transtornos convulsivos, com mais crises que o habitual

  • Doenças do tecido conjuntivo, como lúpus eritematoso sistêmico (LES ou lúpus) ou artrite reumatoide, com exacerbações

  • Distúrbios respiratórios, tais como alergias e congestão nasal e das vias respiratórias

  • Enxaquecas

  • Transtornos de humor, tais como depressão ou ansiedade

  • Distúrbios do sono, tais como dormir muito ou não dormir o suficiente

Os transtornos de humor podem causar sintomas semelhantes, e é possível que esses sintomas piorem antes da menstruação, mesmo em mulheres que não tenham TPM nem transtorno disfórico pré-menstrual.

No transtorno disfórico pré-menstrual, os sintomas pré‑menstruais são tão graves que acabam interferindo no trabalho, nas atividades sociais ou nos relacionamentos da mulher. O interesse nas atividades diárias diminui consideravelmente, e algumas mulheres podem até mesmo apresentar um comportamento suicida. Os sintomas ocorrem regularmente antes do início da menstruação e terminam assim que a menstruação começa ou logo depois.

Possíveis sintomas de tensão pré-menstrual (TPM)

Sintomas físicos

  • Percepção dos batimentos cardíacos (palpitações)

  • Dor nas costas

  • Distensão

  • Inchaço e dor nos seios

  • Alterações no apetite e desejo de comer determinados alimentos

  • Constipação

  • Cólicas, sensação de estar mais pesada ou pressão na região inferior do abdômen

  • Tonturas, incluindo vertigem

  • Facilidade de hematoma

  • Desmaio

  • Fadiga

  • Cefaleias

  • Ondas de calor

  • Insônia, incluindo dificuldade de adormecer ou de permanecer adormecida durante a noite

  • Dores nas articulações e musculares

  • Falta de energia

  • Náusea e vômito

  • Formigamento nas mãos e nos pés

  • Problemas de pele, tais como acne e dermatite por coceira localizada

  • Inchaço das mãos e dos pés

  • Ganho de peso

Psicológico

  • Agitação

  • Ansiedade

  • Confusão

  • Crises de choro

  • Depressão

  • Dificuldade de concentração

  • Hipersensibilidade emocional

  • Esquecimento ou perda de memória

  • Irritabilidade

  • Oscilações do humor ou piora de transtornos do humor que já estão presentes

  • Nervosismo

  • Irritabilidade

  • Reclusão social

Diagnóstico

  • No caso de TPM, avaliação de um médico

  • Diretrizes específicas para o transtorno disfórico pré-menstrual

Muitas vezes, o diagnóstico da TPM toma por base os sintomas. Para identificar a TPM, o médico pede que a mulher mantenha um registro diário de seus sintomas. Esse registro ajuda a mulher a ficar ciente das mudanças em seu corpo e temperamento, e ajuda o médico a identificar os sintomas regulares e determinar qual é o melhor tratamento para ela.

Se a mulher tiver sintomas de depressão, é possível que ela realize exames padrão para diagnosticar depressão, ou ser encaminhada para um profissional da saúde mental. No entanto, o médico geralmente consegue diferenciar a TPM ou o transtorno disfórico pré-menstrual dos transtornos de humor com base em alguns fatores, como a duração dos sintomas. Se os sintomas desaparecem logo após o início da menstruação, eles provavelmente são causados pela TPM ou pelo transtorno disfórico pré-menstrual.

Transtorno disfórico pré-menstrual

O distúrbio disfórico pré-menstrual não pode ser diagnosticado até que uma mulher tenha registrado seus sintomas durante, pelo menos, dois ciclos menstruais. O médico toma por base diretrizes específicas para fazer o diagnóstico. As diretrizes declaram que a mulher precisa ter, no mínimo, cinco dos sintomas que costumam ocorrer nas mulheres com TPM (sendo que é preciso, pelo menos, um de cada uma das duas listas abaixo).

Os sintomas precisam incluir, pelo menos, um dos itens a seguir:

  • Ter variações no humor (por exemplo, sentir-se subitamente triste e chorosa)

  • Sentir-se irritada ou brava ou ter mais conflitos com os outros

  • Sentir-se muito deprimida ou sem esperança ou agir de maneira muito crítica consigo mesma

  • Sentir ansiedade, tensão ou com os nervos à flor da pele

Os sintomas precisam também incluir, pelo menos, um dos itens a seguir:

  • Uma redução do interesse nas atividades normais

  • Dificuldade de concentração

  • Baixo nível de energia ou fadiga

  • Alterações notáveis no apetite, comer em excesso ou ter desejo por alimentos específicos

  • Dificuldade em dormir (dificuldade em adormecer, continuar dormindo ou dormir em excesso)

  • Sentir-se sobrecarregada ou sem controle

  • Sintomas físicos que costumam ocorrer em mulheres com TPM (por exemplo, seios doloridos)

Além disso, os sintomas precisam ter ocorrido na maioria dos doze meses anteriores e precisam ser suficientemente graves para interferir nas atividades diárias e na função.

Tratamento

  • Medidas gerais

  • Às vezes, medicamentos, incluindo hormônios e/ou antidepressivos

A TPM pode ser difícil de ser tratada. Nenhum tratamento individual é eficaz para todas as mulheres e poucas têm alívio completo com um único tipo de tratamento.

Medidas gerais

Sugestões para tentar ajudar a aliviar os sintomas da TPM:

  • Descansar e dormir o suficiente (no mínimo sete horas por noite).

  • Praticar atividade física regularmente, que talvez ajude a diminuir tanto o inchaço como a irritabilidade, a ansiedade e a insônia. A prática de ioga e tai chi ajuda algumas mulheres.

  • Fazer uso de técnicas de redução de estresse (meditação ou exercícios de relaxamento).

  • Evitar atividades estressantes.

  • Consumir mais proteínas e menos açúcar e cafeína (incluindo a cafeína encontrada no chocolate).

  • Consumir uma maior quantidade de frutas, verduras, leite, carboidratos complexos (por exemplo, os encontrados em pães, massas, feijões e tubérculos), alimentos com alto teor de fibras, carnes com baixo teor de gordura e alimentos com alto teor de cálcio e vitamina D.

  • Consumir menos sal, que muitas vezes reduz a retenção de líquidos e alivia o inchaço.

Alguns suplementos nutricionais podem diminuir um pouco os sintomas da TPM. Esses suplementos incluem extrato do fruto do agnus castus (vitex), vitamina B6 e vitamina E. A mulher deve conversar com o médico antes de tomar quaisquer suplementos, especialmente a vitamina B6, que pode ser prejudicial se tomada em doses elevadas. A ingestão de apenas 200 miligramas de vitamina B6 por dia já é suficiente para causar danos aos nervos.

Você sabia que...

  • Às vezes, tomar pílulas anticoncepcionais alivia os sintomas, mas às vezes isso faz com que eles piorem, sobretudo nas primeiras seis semanas após ter começado a tomá-los.

Medicamentos

Tomar anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) talvez ajude a aliviar a dor de cabeça, a dor de cólica e a dor nas articulações. A mulher pode começar a tomar AINEs alguns dias antes de a menstruação começar para diminuir a intensidade das dores de cabeça ou das cólicas.

A terapia hormonal pode talvez ajude. As opções incluem:

  • Pílulas anticoncepcionais

  • Supositórios vaginais de progesterona

  • Pílulas de progesterona

  • Injeção de progestina de longa duração (uma forma sintética do hormônio feminino progesterona) a cada dois ou três meses

Os contraceptivos orais que encurtam a menstruação ou que aumentam em até três meses o intervalo entre as menstruações, talvez ajudem algumas mulheres.

Tomar antidepressivos, como a fluoxetina, a paroxetina ou a sertralina, pode ajudar a mulher com sintomas de TPM mais graves ou com transtorno disfórico pré-menstrual. Esses medicamentos são utilizados para prevenir os sintomas e, para que sejam eficazes, devem ser tomados antes dos sintomas começarem a aparecer. Tomar esses medicamentos após o início dos sintomas em geral não os aliviará tão bem quanto quando são tomados antes de os sintomas começarem. Esses medicamentos são mais eficazes na redução da irritabilidade, depressão e outros sintomas da TPM.

Caso a retenção de líquido seja um problema, é possível que o médico receite o diurético espironolactona (que ajuda os rins a eliminar sais e água do corpo).

É possível que o médico peça à mulher que continue a registrar seus sintomas, para que ele possa avaliar a eficácia do tratamento para a TPM.

No caso de mulheres que têm transtorno disfórico pré-menstrual que persiste apesar de outros tratamentos, um agonista do hormônio liberador de gonadotrofina (GnRH) (por exemplo, a leuprolida ou a gosserrelina), administrado por injeção, talvez ajude a aliviar os sintomas. Os agonistas de GnRH são uma forma sintética de um hormônio produzido pelo corpo. Os agonistas de GnRH fazem com que os ovários produzam menos estrogênio e progesterona. Assim, eles podem ajudar a controlar as rápidas variações nas concentrações hormonais que ocorrem antes da menstruação e que contribuem para o surgimento dos sintomas. Além disso, a mulher costuma receber estrogênio combinado com uma progestina e eles são administrados em doses baixas por via oral ou transdérmica.

Cirurgia

É possível que o médico ofereça cirurgia como último recurso para a mulher que tem sintomas graves que não conseguem ser controlados com outros tratamentos. A remoção dos ovários elimina os ciclos menstruais e, com isso, elimina os sintomas da TPM. Contudo, a remoção dos ovários tem os mesmos efeitos que a menopausa, incluindo o aumento do risco de osteoporose e outros problemas associados com a menopausa. Para reduzir ou prevenir alguns desses efeitos, os médicos geralmente sugerem a essas mulheres que tomem terapia hormonal com estrogênio e uma progestina ou progesterona até que alcancem a idade média da menopausa (aproximadamente 51 anos de idade).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Visão geral do sistema reprodutor feminino
Vídeo
Visão geral do sistema reprodutor feminino
Modelos 3D
Visualizar tudo
Conteúdo da pelve feminina
Modelo 3D
Conteúdo da pelve feminina

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS