Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Vacina contra difteria, tétano e coqueluche

Por

Margot L. Savoy

, MD, MPH, Lewis Katz School of Medicine at Temple University

Última revisão/alteração completa ago 2019| Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

A vacina para difteria, tétano e coqueluche é uma vacina de combinação que protege contra essas três doenças:

  • A difteria geralmente causa inflamação da garganta e das membranas mucosas da boca. Porém, a bactéria que causa difteria produz uma toxina que pode danificar o coração, os rins e o sistema nervoso. A difteria já foi uma causa principal de mortalidade infantil.

  • O tétano (trismo) causa espasmos musculares intensos, que é resultado de uma toxina produzida por bactéria. A bactéria geralmente entra no corpo através de uma ferida.

  • A coqueluche (tosse comprida) é uma infecção respiratória muito contagiosa, particularmente perigosa para crianças com menos de 2 anos de idade e para pessoas que possuem um sistema imunológico enfraquecido.

Para obter mais informações, consulte a Declaração de informações sobre a vacina Tdap (tétano, difteria, coqueluche) dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças) (CDC).

A vacina possui duas formas:

  • DTaP para crianças com menos de 7 anos

  • Tdap para adolescentes e adultos

Tdap possui doses mais baixas da vacina para difteria e coqueluche, indicadas pela letra minúscula d e p. As doses mais baixas são adequadas para adolescentes e adultos. Também existe uma vacina que contém apenas os componentes do tétano e da difteria (vacina contra tétano e difteria).

Administração

A vacina contra difteria, tétano e coqueluche é aplicada como injeção em um músculo. Como parte da vacinação infantil de rotina, são aplicadas cinco injeções de DTaP: geralmente aos 2 meses, 4 meses, 6 meses, 15 a 18 meses e 4 a 6 anos.

Como a coqueluche está se tornando mais comum entre adultos, recomenda-se um reforço com Tdap entre os 11 e os 12 anos, seguido por um reforço de tétano-difteria a cada 10 anos.

Os adultos que perderem a série de vacinações dadas durante a infância devem obtê-las como adultos. Se os adultos não tiverem recebido a Tdap com 11 a 12 anos de idade ou não tiverem certeza de terem sido vacinados, os médicos lhes administram uma dose de Tdap.

Mulheres grávidas recebem uma dose de Tdap durante cada gravidez.

Certos quadros clínicos podem afetar se e quando as pessoas são vacinadas (consulte também CDC: Quem NÃO deve ser vacinado com essas vacinas?). Se as pessoas tiverem uma doença temporária, os médicos costumam aguardar para administrar a vacina até que a doença esteja curada.

Efeitos colaterais

O local da injeção pode ficar dolorido, inchado e vermelho. Os efeitos colaterais sérios são raros. Eles incluem febre alta, choro inconsolável, convulsões e reação alérgica grave.

Os efeitos colaterais sérios geralmente resultam da parte da vacina relacionada à coqueluche. Se ocorrerem, a vacina que contém coqueluche não é usada novamente. Em vez disso, é usada a vacina contra tétano e difteria (que não contém o componente coqueluche) para completar a série de vacinação.

A vacina DTaP ou Tdap não é repetida se ocorrerem convulsões ou outros sinais de mau funcionamento cerebral em sete dias após aplicação da vacina.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Antraz
Vídeo
Antraz
Em condições adversas, as bactérias grandes em forma de bastonetes que causam o antraz evoluem...
Modelos 3D
Visualizar tudo
O resfriado comum
Modelo 3D
O resfriado comum

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS