Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Pneumonia adquirida em hospital

Por

Sanjay Sethi

, MD, University at Buffalo SUNY

Última revisão/alteração completa abr 2019| Última modificação do conteúdo abr 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A pneumonia adquirida no hospital é uma infecção pulmonar que se desenvolve em pessoas que foram hospitalizadas, geralmente após cerca de dois dias ou mais de internação.

  • Muitas bactérias, vírus e até mesmo fungos podem causar pneumonia em pessoas hospitalizadas.

  • O sintoma mais comum é a tosse com expectoração, mas dor torácica, calafrios, febre e falta de ar também são comuns.

  • O diagnóstico se baseia nos sintomas de uma pessoa e nos resultados de radiografias ou de uma tomografia computadorizada (TC) torácica.

  • São usados medicamentos antibióticos, antivirais ou antifúngicos, dependendo de qual organismo provavelmente causou a pneumonia.

A pneumonia adquirida no hospital é, em geral, mais grave do que a pneumonia adquirida na comunidade, porque os organismos infectantes tendem a ser mais agressivos. Também é menos provável que respondam a antibióticos (chamado resistência) e são, portanto, mais difíceis de tratar. Além disso, as pessoas em hospitais tendem a estar mais doentes, mesmo sem pneumonia, do que aquelas que vivem na comunidade e, portanto, não são tão capazes de combater a infecção.

Fatores de risco

Pessoas hospitalizadas e gravemente doentes, especialmente se tiverem outra doença que requeira tratamento com uma máquina de respiração (ventilador mecânico), correm maior risco de contrair pneumonia. Outros fatores de risco incluem:

  • Tratamento prévio com antibióticos

  • Doenças coexistentes como disfunção cardíaca, pulmonar, hepática ou renal

  • Pessoas com mais de 70 anos de idade

  • Cirurgia abdominal ou torácica recente

  • Possivelmente, o uso de inibidores da bomba de prótons (omeprazol, esomeprazol, lansoprazol ou pantoprazol) no tratamento da doença de refluxo gastroesofágico

  • Debilitação

Os organismos que normalmente não causam pneumonia em pessoas saudáveis podem causar pneumonia em pessoas hospitalizadas ou debilitadas, porque muitas dessas pessoas têm um sistema imune sem a mesma capacidade para resistir a uma infecção. Os organismos mais prováveis dependem de quais organismos são predominantes no hospital e, algumas vezes, de outras doenças que a pessoa tem.

Causas

A pneumonia adquirida no hospital é mais comumente causada pelas seguintes bactérias:

MRSA, P. Aeruginosa, e outras bactérias intestinais Gram-negativas são frequentemente resistentes a determinados antibióticos.

Sintomas

Os sintomas são geralmente os mesmos da pneumonia adquirida na comunidade:

  • Uma sensação geral de fraqueza (mal-estar)

  • Tosse com expectoração (muco espesso ou com coloração alterada)

  • Falta de ar

  • Febre

  • Calafrios

  • Dor torácica

Pode ser mais difícil para o médico reconhecer uma pneumonia adquirida no hospital em comparação a uma pneumonia adquirida na comunidade. Por exemplo, muitas pessoas hospitalizadas que desenvolvem pneumonia, como idosos, pessoas com tubos de respiração que estão recebendo ventilação mecânica, aquelas com demência e aquelas que estão criticamente enfermas, podem não conseguir descrever sintomas como dor torácica, falta de ar e fraqueza. Nesses casos, a suspeita de pneumonia é geralmente feita com base na febre e no aumento da frequência respiratória e da frequência cardíaca.

As pessoas mais velhas com pneumonia também podem ter confusão, perda de apetite, inquietação e agitação, sofrer quedas e incontinência (uma perda involuntária de urina).

Você sabia que...

  • A pneumonia adquirida no hospital tende a ser muito mais grave do que a pneumonia adquirida na comunidade.

Diagnóstico

  • Avaliação médica dos sintomas

  • Uma radiografia do tórax ou tomografia computadorizada (TC) torácica

  • Às vezes, culturas de sangue

  • Às vezes, broncoscopia ou toracocentese

O diagnóstico de pneumonia adquirida no hospital se baseia nos sintomas da pessoa e nos resultados de uma radiografia do tórax ou uma TC de tórax. Em geral, os médicos coletam uma amostra de sangue para tentar fazer crescer (cultivar) as bactérias no laboratório e identificá-las.

As pessoas com uma pneumonia adquirida no hospital podem estar muito doentes, então os médicos podem precisar identificar o organismo que está causando a pneumonia para poderem determinar o melhor tratamento. Por essas razões, algumas vezes, os médicos fazem uma broncoscopia para obter amostras de dentro do pulmão para tentar identificar o organismo. Durante a broncoscopia, um tubo para visualização flexível é inserido na traqueia e nos pulmões. Amostras de pus, secreções ou mesmo de tecido pulmonar podem ser coletadas para exame. Se não houver secreções visíveis, uma área do pulmão pode ser lavada com uma solução, que pode, então, ser recuperada para análise (um procedimento denominado lavado broncoalveolar). Se houver acúmulo de líquido no revestimento do pulmão (chamado derrame pleural), os médicos podem colocar uma agulha no tórax para coletar esse líquido para cultura (um procedimento chamado toracocentese).

Prognóstico

Mesmo recebendo tratamentos excelentes, um percentual elevado de pessoas que desenvolvem pneumonia adquirida no hospital morre. No entanto, a morte é frequentemente relacionada aos problemas de saúde subjacentes que permitiram o desenvolvimento de pneumonia (por exemplo, câncer generalizado).

Destaque para Idosos: Pneumonia

A pneumonia ocorre mais comumente em idosos do que em pessoas mais jovens e também tende a ser mais grave nessas pessoas. Em muitos idosos, a infecção se espalha para fora dos pulmões.

As pessoas idosas têm as defesas contra infecções enfraquecidas. Os mecanismos que eliminam os micro-organismos das vias aéreas não são tão eficazes em pessoas idosas como são em pessoas mais jovens. A fraqueza pode fazer a tosse ficar menos vigorosa. O envelhecimento também enfraquece o sistema imune. As pessoas idosas com maior risco de desenvolverem pneumonia incluem aquelas:

  • cujos pulmões foram danificados pelo tabagismo (fumar irrita a mucosa dos pulmões e paralisa as células que normalmente varrem e limpam as vias aéreas) ou doença pulmonar obstrutiva crônica;

  • cujos pulmões ficaram irritados recentemente devido a uma infecção leve, como um resfriado ou, especialmente, influenza;

  • que têm reflexo de tosse insuficiente, por exemplo, resultante de um AVC prévio, ou que estão muito fracas (ou quem sentem dor decorrente de uma cirurgia ou acidente recentes) para tossir vigorosamente;

  • que são menos capazes de combater infecções, incluindo pessoas que estão subnutridas;

  • que estiverem tomando certos medicamentos, como corticosteroides;

  • que têm certas doenças, como a insuficiência cardíaca ou diabetes;

  • que têm câncer nas vias aéreas dos pulmões ou áreas adjacentes (o câncer pode bloquear as vias aéreas e prender quaisquer micro-organismos que tenham chegado aos sacos de ar);

  • que estão paralisadas (por exemplo, por causa de uma lesão na coluna vertebral ou acidente vascular cerebral);

  • que não estão totalmente conscientes (em parte porque não conseguem tossir).

A infecção com alguns dos micro-organismos que causam pneumonia pode ser prevenida com vacinações. Portanto, os médicos recomendam que as pessoas a partir de 65 anos de idade recebam a vacina pneumocócica. Pessoas com menos de 65 anos de idade que apresentam quadros clínicos que as tornem pessoas de alto risco para o desenvolvimento de pneumonia também devem ser vacinadas. Os médicos também recomendam que idosos, em especial, recebam uma vacina anual contra gripe porque o vírus da influenza também pode causar pneumonia ou contribuir com seu surgimento.

A maioria das pessoas idosas que adquirem pneumonia são tratadas no hospital com antibióticos intravenosos. A pneumonia pode deixar as pessoas idosas muito doentes bastante rapidamente e as pessoas idosas tendem a não responder tão bem a antibióticos orais.

Tratamento

  • Antibióticos

O tratamento da pneumonia adquirida no hospital consiste em antibióticos escolhidos com base nos organismos mais prováveis de serem a causa e nos fatores de risco específicos da pessoa. As pessoas que estão gravemente doentes podem ser transferidas para uma unidade de terapia intensiva e, algumas vezes, podem ser colocadas em um ventilador. Os tratamentos incluem antibióticos intravenosos, oxigênio e líquidos intravenosos.

Uma série de antibióticos podem ser usados, incluindo os seguintes:

  • Aztreonam

  • Cefepima

  • Ceftazidima

  • Gemifloxacino

  • Gentamicina

  • Imipenem

  • Levofloxacino

  • Linezolida

  • Meropeném

  • Moxifloxacino

  • Piperacilina mais tazobactam

  • Tobramicina

  • Vancomicina

Esses medicamentos são administrados isoladamente ou combinados.

Assuntos relacionados ao final da vida na pneumonia grave

Algumas pessoas com pneumonia adquirida no hospital estão muito enfermas. A pneumonia é frequentemente tratada com antibióticos potentes e, se necessário, um ventilador mecânico. Pessoas com expectativa de morte breve podem não desejar receber esse tratamento agressivo. Pessoas com distúrbios graves ou terminais devem conversar com seus médicos e familiares sobre seus desejos para o tratamento da pneumonia ou de outras complicações sérias ao darem entrada no hospital.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Apneia do sono
Vídeo
Apneia do sono
Durante a respiração, os pulmões se enchem de ar e oxigênio é trocado por dióxido de carbono...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Pneumotórax
Modelo 3D
Pneumotórax

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS