Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Uveíte

Por

Kara C. LaMattina

, MD, Boston University School of Medicine

Última revisão/alteração completa jan 2019| Última modificação do conteúdo jan 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Uveíte é a inflamação em qualquer lugar do revestimento interior pigmentado do olho, conhecido como úvea ou trato uveal.

  • A úvea pode ficar inflamada devido a infecção, lesão, distúrbio autoimune sistêmico (que faz o corpo atacar os próprios tecidos) ou por causas desconhecidas.

  • Os sintomas podem incluir dor ocular, vermelhidão do olho, pontos flutuantes, perda de visão ou uma combinação desses fatores.

  • Em geral o tratamento inclui corticosteroides (na forma de colírio, por via oral ou injetado ao redor do olho) colírios que dilatam e relaxam a pupila do olho afetado e, algumas vezes, medicamentos supressores do sistema imunológico.

O trato uveal consiste de três estruturas:

  • a íris

  • o corpo ciliar

  • a coroide

A íris, o círculo colorido que rodeia a pupila escura, abre e fecha para permitir que entre mais ou menos luz no olho, do mesmo modo que o diafragma de uma máquina fotográfica.

O corpo ciliar é o conjunto de músculos que, quando se contraem, levam o cristalino a ficar mais espesso permitindo que o olho focalize objetos próximos. Ao relaxar, o corpo ciliar diminui a espessura do cristalino para que o olho focalize objetos distantes. Esse processo se chama acomodação.

A coroide, que reveste parte da área posterior do globo ocular, se estende da extremidade dos músculos ciliares até o nervo óptico situado na parte posterior do olho. A coroide se localiza entre a parte interna da retina e a parte externa da esclerótica. A coroide contém células pigmentadas e vasos sanguíneos que nutrem as partes internas dos olhos, em especial a retina.

Considerações gerais sobre o trato uveal

O trato uveal é composto por três estruturas: a íris, o corpo ciliar e a coroide.

Considerações gerais sobre o trato uveal

Parte ou todo o trato uveal pode ficar inflamado. A inflamação limitada a parte do trato uveal recebe seu nome de acordo com sua localização:

  • A uveíte anterior é a inflamação na frente do trato uveal, incluindo a íris.

  • A uveíte intermediária é a inflamação no meio do trato uveal, e geralmente também envolve a substância gelatinosa que preenche o globo ocular (chamado humor vítreo).

  • A uveíte posterior é a inflamação atrás do trato uveal e pode envolver a retina e a coroide.

  • Panuveíte é a inflamação que afeta todo o trato uveal.

Por vezes, atribui-se à uveíte uma denominação de acordo com a parte específica inflamada. Por exemplo, irite é a inflamação da íris, coroidite é a inflamação da coroide e coriorretinite é a inflamação que atinge tanto a coroide como a retina. Em muitas pessoas, a inflamação do trato uveal é limitada a um olho, mas pode comprometer ambos os olhos.

Causas

A inflamação tem muitas causas possíveis. Algumas se limitam ao próprio olho e outras são distúrbios que afetam todo o organismo. Na maior parte das pessoas, nenhuma causa é identificada e isso é chamado de uveíte idiopática (ou uveíte de causa desconhecida).

Muitas pessoas que sofrem de uveíte têm alguma doença que também afeta outros órgãos do corpo. O que inclui doenças inflamatórias como a síndrome de Behçet, espondilite anquilosante, artrite idiopática juvenil, sarcoidose, artrite reativa, doenças intestinais inflamatórias (doença de Crohn e colite ulcerativa) e, entre asiáticos e alguns hispânicos, a doença de Vogt-Koyanagi-Harada. Algumas pessoas sofrem de infecções disseminadas, como tuberculose, sífilis ou doença de Lyme.

Outras causas possíveis são infecções que podem afetar somente o olho, como a infecção por herpes (causada pelo vírus do herpes simples), herpes zoster (causada pelo vírus varicela-zoster), toxoplasmose e citomegalovírus. Citomegalovírus ocorre principalmente em pessoas com o sistema imune comprometido, como aquelas infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) ou aquelas tomando medicamentos que suprimem o sistema imune.

Lesões oculares são uma causa comum de uveíte anterior.

Embora raro, alguns medicamentos (como os antibióticos pamidronato, rifabutina e sulfonamida, e o cidofovir) podem causar uveíte.

Sintomas

Os primeiros sintomas da uveíte podem ser leves ou graves, dependendo da parte do trato uveal afetada e do grau de inflamação.

  • Quase sempre a uveíte anterior apresenta a maioria dos sintomas incômodos. São típicas a dor intensa no olho, vermelhidão da conjuntiva, sensibilidade à luz intensa e ligeira diminuição da capacidade de visão. O médico pode detectar vasos sanguíneos proeminentes na conjuntiva, perto do limite da córnea, leucócitos (glóbulos brancos) suspensos no líquido que preenche a parte frontal do olho (humor aquoso) e alguns depósitos de glóbulos brancos na superfície interna da córnea.

  • A uveíte intermediária costuma ser indolor. A visão pode diminuir e é provável que se vejam pontos negros irregulares flutuantes (pontos flutuantes).

  • A uveíte posterior costuma causar redução da visão e pontos flutuantes. O nervo óptico pode ficar inflamado (consulte Neurite óptica). Sintomas desta inflamação consistem em perda de visão, que pode variar de um pequeno ponto cego até a cegueira total.

  • A panuveíte pode levar a uma combinação desses sintomas.

A uveíte pode rapidamente lesionar o olho. E pode também, a longo prazo, causar complicações de risco à visão, como inflamação da mácula, lesão da retina, glaucoma e catarata. Muitas pessoas apenas manifestam um episódio de uveíte. Outras têm recorrências periódicas durante meses a anos ou inflamação crônica precisando de um tratamento de longo prazo.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

O médico estabelece o diagnóstico com base nos sintomas e no exame físico. Durante o exame, o médico usa uma lâmpada de fenda. A lâmpada de fenda é um instrumento que permite ao médico examinar a totalidade do olho em alta resolução. Se o médico suspeitar de uma doença que também afete outros órgãos, são feitos os exames necessários.

Tratamento

  • Corticosteroides

  • Medicamentos para dilatar as pupilas

  • Algumas vezes outros medicamentos ou tratamentos

O tratamento de uveíte deve ser iniciado o quanto antes para evitar uma lesão permanente. O tratamento quase sempre inclui corticosteroides em geral sob a forma de colírio. Os corticosteroides também podem ser administrados por via oral ou injetados ao redor do olho. Também são usados medicamentos para dilatar as pupilas, como colírios com homatropina ou ciclopentolato.

Para tratar sintomas específicos de uveíte podem ser usados outros medicamentos. Por exemplo, se a causa for infecção, medicamentos podem ser administrados para eliminar o organismo causador da infecção.

Ocasionalmente, são necessários outros tratamentos, como cirurgia, uso de laser, medicamentos aplicados no olho ou injetados na veia (intravenosamente) para conter o sistema imunológico (imunossupressores).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Miopia e hipermetropia
Vídeo
Miopia e hipermetropia
Durante a visão normal, a luz passa através da córnea, a camada clara que cobre o olho e,...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Neurite óptica
Modelo 3D
Neurite óptica

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS