Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Derivados do sangue

Por

Ravindra Sarode

, MD, The University of Texas Southwestern Medical Center

Última revisão/alteração completa fev 2020| Última modificação do conteúdo fev 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

As pessoas por vezes recebem transfusões de sangue total durante sangramento grave (por exemplo, após uma lesão ou complicações da gravidez), mas geralmente recebem somente o componente sanguíneo de que precisam. Os diferentes componentes do sangue incluem

O plasma contém anticorpos (imunoglobulinas) e fatores de coagulação, que são às vezes separados do plasma.

Nem todos os componentes são produzidos a partir de uma unidade de sangue doado em particular. As imunoglobulinas e os fatores de coagulação, por exemplo, podem ser separados do plasma reunido de muitos doadores. Glóbulos brancos e plaquetas são obtidos por aférese. Dependendo da situação, as pessoas podem receber somente glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma ou crioprecipitado. Transfundir somente componentes selecionados permite que o tratamento seja específico, reduz os riscos de efeitos colaterais e proporciona uso eficiente dos diferentes componentes de uma única unidade de sangue para tratar diversas pessoas.

Às vezes, os hemoderivados são tratados com radiação para reduzir o risco de os glóbulos brancos transfundidos atacarem o receptor (doença do enxerto contra o hospedeiro).

Alguns hemoderivados podem ser tratados com um produto químico que reduz o risco de transmissão de microrganismos causadores de infecção. Nesse procedimento, chamado tecnologia de redução de patógenos, certos hemoderivados são tratados com um produto químico que reduz o risco de transmissão de quase todos os microrganismos.

Glóbulos vermelhos

Os glóbulos vermelhos concentrados, o componente sanguíneo mais comumente transfundido, podem restaurar a capacidade do sangue de transportar oxigênio. Esse componente pode ser administrado a uma pessoa com hemorragia ou anemia grave. Os glóbulos vermelhos são separados do componente líquido do sangue (plasma) e dos outros componentes celulares. Essa etapa concentra os glóbulos vermelhos de maneira que eles ocupem menos espaço, daí o termo "concentrado".

Às vezes, os glóbulos vermelhos passam por preparo especial (lavagem) de forma a poderem ser administrados a pessoas que apresentaram reações graves ao plasma. Os glóbulos vermelhos lavados ficam livres de quase todos os traços de plasma, da maioria dos glóbulos brancos e de plaquetas.

São rotineiramente usados filtros especiais para remover os glóbulos brancos e reduzir muitos tipos de efeitos colaterais, incluindo febre, calafrios, infecção por citomegalovírus (CMV) e formação de anticorpos contra os antígenos de leucócitos humanos (HLA). Os antígenos HLA são marcadores químicos localizados na superfície das células que são exclusivos de cada organismo, o que capacita o corpo a distinguir o que pertence a ele daquilo que não pertence.

Os glóbulos vermelhos podem ser refrigerados por até 42 dias. Em circunstâncias especiais como, por exemplo, para preservar um tipo raro de sangue, os glóbulos vermelhos podem ser congelados por até dez anos.

Plaquetas

As plaquetas são pequenas partículas sanguíneas semelhantes a células que ajudam na formação de coágulos. As plaquetas são em geral administradas a pessoas com número demasiadamente baixo de plaquetas (trombocitopenia), o que pode resultar em hemorragias graves e espontâneas. As plaquetas podem ser armazenadas por apenas cinco dias, pois são mantidas em temperatura ambiente.

No passado, eram necessários diversos doadores para proporcionar plaquetas suficientes para beneficiar uma pessoa. As técnicas atuais de coleta para aférese, as quais separam melhor as plaquetas dos outros componentes do sangue, permitem que um único doador forneça plaquetas suficientes para as necessidades de uma pessoa.

Plasma

O plasma, o componente líquido do sangue, contém muitas proteínas, incluindo fatores de coagulação sanguínea. Os fatores de coagulação sanguínea são proteínas que atuam junto com as plaquetas, ajudando o sangue a coagular. Sem fatores de coagulação, a hemorragia não pararia depois de uma lesão.

O plasma costuma ser congelado imediatamente após ser separado do sangue fresco (plasma fresco congelado). O plasma congelado dentro de 24 horas da coleta pode ser armazenado por até 1 ano. Ele é utilizado no caso de distúrbios hemorrágicos nos quais o fator de coagulação ausente é desconhecido ou quando o fator de coagulação específico não está disponível. O plasma também é utilizado quando a hemorragia é causada pela produção insuficiente de muitos ou de todos os diferentes fatores de coagulação, como resultado de distúrbios como insuficiência hepática.

Did You Know...

  • Os médicos podem especificar que tipo de componentes sanguíneos será administrado durante uma transfusão, de maneira que as pessoas obtenham somente os componentes necessários para tratar seu distúrbio.

Crioprecipitado

Quando o plasma fresco congelado é descongelado pela primeira vez, certos fatores de coagulação (principalmente fibrinogênio, fator VIII, fator XIII e fator de von Willebrand) formam grumos sólidos na parte inferior do plasma líquido. Os grumos formados dessa forma denominam-se “precipitados”. “Crio” significa frio, daí o nome crioprecipitado. Os crioprecipitados são mais frequentemente administrados a pessoas com hemorragias graves devido a muito pouco fibrinogênio, um importante fator de coagulação (por exemplo, em pessoas com coagulação intravascular disseminada ou ruptura de placenta).

Proteínas de coagulação individuais também podem ser purificadas do plasma reunido ou fabricadas usando-se técnicas de recombinação genética. Fatores de coagulação sanguínea concentrados individuais podem ser administrados a pessoas que herdaram distúrbios hemorrágicos, tais como hemofilia ou doença de von Willebrand, e para reverter os efeitos de medicamentos que inibem a coagulação sanguínea (anticoagulantes, como a varfarina).

Anticorpos

São ocasionalmente administrados anticorpos (imunoglobulinas), os componentes do sangue que combatem as doenças, para proporcionar imunidade temporária a pessoas expostas a doenças infecciosas ou com baixos níveis de anticorpos. Os anticorpos são produzidos a partir do tratamento do plasma doado por muitos doadores.

Infecções para as quais estão disponíveis anticorpos incluem varicela, hepatite, raiva e tétano.

Glóbulos brancos

Glóbulos brancos são transfundidos para tratar infecções com risco de vida em pessoas com número extremamente reduzido de glóbulos brancos ou cujos glóbulos brancos estejam funcionando de forma anormal. O uso de transfusões de glóbulos brancos é raro, porque antibióticos aperfeiçoados e o uso de fatores de crescimento da citocina que estimulam a pessoa a produzir mais dos seus próprios glóbulos brancos reduziram significativamente a necessidade de tais transfusões. Os glóbulos brancos são obtidos por aférese e podem ser armazenados por até 24 horas.

Substitutos do sangue

Pesquisadores vêm tentando criar substitutos do sangue que usam certas substâncias químicas ou soluções especialmente tratadas de hemoglobina (a proteína que permite que os glóbulos vermelhos transportem oxigênio) para transportar e fornecer oxigênio aos tecidos. Essas soluções podem ser armazenadas à temperatura ambiente (frequentemente por diversos anos – por muito mais tempo do que o sangue pode ser mantido em um banco de sangue) e não precisam passar por prova cruzada para as pessoas que as receberão. Essas características as tornam atraentes para o transporte ao local do trauma ou campo de batalha. Contudo, os estudos ainda não mostraram que os substitutos do sangue desenvolvidos até agora salvaram vidas. Os médicos estão fazendo pesquisa adicional sobre outros possíveis substitutos do sangue.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS